Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Parece até filme de Róliudi. Convenção das Bruxas


Fala verdade...
Uma parece um pinguim, a outra é a bizavó da Barbie.
A Amérdica Latrina está muito bem representada...Dá para notar o clima de "boa vontade" entre elas.

............................

Será que nós teremos uma primeira dama Portenha?

(Até formam um casal gay a moda BBB que daria um bom IBOPE, no horario do Zorra Total)

O DIARIO - COLUNISTA JESSICA LOESCH 31 JAN.2011

Pelo que soube na última semana o prefeito Schenkel e o administrador do Hospital Márcio Schumann dos Santos estão se reunindo esporadicamente para discutir sobre soluções para os problemas que rondam a casa de saúde. Já foi desmentido o anúncio sobre a possibilidade de o Hospital fechar por falta de alvará sanitário. Agora a Prefeitura vai auxiliar o Hospital nas adequações necessárias para que, o quanto antes, recebam o alvará necessário para continuarem atendendo. 
Tanto a Prefeitura e o Hospital estão se entendendo que até visita às obras do novo centro cirúrgico o prefeito e a secretária de Saúde fizeram na última semana. Bem melhor assim, pois do jeito que estava até pouco tempo atrás com a questão convênio, a comunidade só tem a perder. O jeito é unir forças e abraçar a causa!Fonte: http://www2.odiario.net/colunistas/coluna/c/2869

Comento: A aproximação entre o poder publico e o hospital, transparece que a brigada pró hospital que existia até a ultima sessão legislativa de 2010 se pulverizou. O hospital como ferramenta politica para a bancada da oposição não rendeu bons frutos, levando em conta que o hospital é uma entidade privada, filantropica e amarrada através da legislação com a filantropia e o SUS. A questão do alvará da vigilancia sanitaria pendente até o momento ainda é uma incognita que por aqui ninguem pode garantir sua renovação até o momento, a não ser que o poder publico auxilie por via politica a sua renovação, pois por via normal através do cumprimento de exigencias da 5ª Delegacia Regional de Saúde, desde o ano passado nada ou muito pouco havia sido realizado pela administração, conf. informação dada pela Vigilancia Sanitaria em dezembro ultimo.Vemos uma boa vontade do poder publico em auxiliar a entidade, pois 2012 está chegando e o momento politico local começa a fervilhar para as proximas eleições e auxiliar o hospital pode trazer frutos para a situação. Até aí tudo normal.
O que pouco se viu até o momento é sobre a sanidade financeira e administrativa da entidade tão comentada até dezembro ultimo e que a poucos dias ouvi comentarios de que a divida com este modelo administrativo não teria como reverter o quadro. Os problemas da entidade ultrapassam a má administração e a crise financeira, bate a porta da estrutura fisica/clinica e da convivencia profissional nos seus corredores.
Bloco cirurgico até o momento é uma utopia que não mostra perspectivas de realinhamento administrativo e equilibrio da entidade com esta obra. Por enquanto é buscar $$ e enterrar na area do hospital.

Aluguelzinho caro esse!

Mais informações do Contas Abertas. Já pensou em pagar um aluguel de R$ 63 milhões ao mês?! Bem, isso é o que a União pagou, em 2010, por imóveis alugados em todo o Brasil e até no exterior. No total, R$ 756,3 milhões foram gastos no ano passado com despesas de locação de imóveis. O valor representa aumento de 19% em relação ao ano anterior. Desde 2002, mais de R$ 4,3 bilhões (em valores corrigidos) foram desembolsados para arcar com a locação de salas, prédios, casas e até espaços para festas e eventos utilizados por órgãos ligados aos Três Poderes (veja a tabela). Para se ter ideia da quantia gasta com locação de imóveis nos últimos nove anos, basta dizer que ela seria suficiente, por exemplo, para construir cerca de 174 mil casas populares de R$ 25 mil ou adquirir um espaço equivalente a quase quatro cidades do tamanho de São Paulo. Isso considerando o custo médio do m² no Brasil, que é de R$ 769, segundo dados do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE).

DILMA E SUAS ENGANAÇÕES

Dilma Rousseff - que em silêncio é uma poetisa - fez a seguinte declaração em função da sua visita à Argentina:

"Os dois maiores países do Cone Sul estão dando uma demonstração de que suas sociedades evoluíram no sentido de superar o tradicional preconceito que existia contra a mulher". 

Tanto Dilma quanto Cristina Kirchner foram eleitas não por serem do gênero feminino, mas por serem as "mulheres" de dois populistas que arrebentaram os cofres públicos para comprar o eleitorado. Nada diferente do que Perón fez com Isabelita, colocando-a como a sua vice-presidente.Se quisesse um exemplo, teria que ter citado o Chile, onde Michele Bachelet, esta sim, foi eleita pelos seus próprios méritos e não empurrada goela abaixo pelo caciquismo político.

LISTA DE IGREJAS ABERTAS NO BRASIL EM 2010 (até setembro)

Folha de São Paulo

O primeiro milagre do heliocentrismo

Eu, Claudio Angelo, editor de Ciência da Folha, e Rafael Garcia, repórter do jornal, decidimos abrir uma igreja.
Com o auxílio técnico do departamento Jurídico da Folha e do escritório Rodrigues Barbosa, Mac Dowell de Figueiredo Gasparian Advogados, fizemo-lo. Precisamos apenas de R$ 418,42 em taxas e emolumentos e de cinco dias úteis (não consecutivos) . É tudo muito simples.
Não existem requisitos teológicos ou doutrinários para criar um culto religioso. Tampouco se exige número mínimo de fiéis.

Com o registro da Igreja Heliocêntrica do Sagrado Evangélio e seu CNPJ, pudemos abrir uma conta bancária na qual realizamos aplicações financeiras isentas de IR e IOF. Mas esses não são os únicos benefícios fiscais da empreitada. Nos termos do artigo 150 da Constituição, templos de qualquer culto são imunes a todos os impostos que incidam sobre o patrimônio, a renda ou os serviços relacionados com suas finalidades essenciais, as quais são definidas pelos próprios criadores. Ou seja, se levássemos a coisa adiante, poderíamos nos livrar de IPVA, IPTU, ISS, ITR e vários outros "Is" de bens colocados em nome da igreja.

Há também vantagens extratributárias. Os templos são livres para se organizarem como bem entenderem, o que inclui escolher seus sacerdotes. Uma vez ungidos, eles adquirem privilégios como a isenção do serviço militar obrigatório (já sagrei meus filhos Ian e David ministros religiosos) e direito a prisão especial.
Algumas igrejas...

- Igreja da Água Abençoada
- Igreja Adventista da Sétima Reforma Divina
- Igreja da Bênção Mundial Fogo de Poder
- Congregação Anti-Blasfêmias
- Igreja Chave do Éden
- Igreja Evangélica de Abominação à Vida Torta
- Igreja Batista Incêndio de Bênçãos
- Igreja Batista Ô Glória!
- Congregação Pass o para o Futuro
- Igreja Explosão da Fé
- Igreja Pedra Viva
- Comunidade do Coração Reciclado
- Igreja Evangélica Missão Celestial Pentecostal
- Cruzada de Emoções
- Igreja C.R.B. (Cortina Repleta de Bênçãos)
- Congregação Plena Paz Amando a Todos
- Igreja A Fé de Gideão
- Igreja Aceita a Jesus
- Igreja Pentecostal Jesus Nasceu em Belém (do Pará?????)
- Igreja Evangélica Pentecostal Labareda de Fogo
- Congregação J. A. T. (Jesus Ama a Todos)
- Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação Para Cristo (quem perder vai ficar!!!)
- Igreja Pentecostal Uma Porta para a Salvação
- Comunidade Arqueiros de Cristo
- Igreja Automotiva do Fogo Sagrado (ESSE DEVIA TER ABERTO UMA CONCESSIONÁRIA)
- Igreja Batista A Paz do Senhor e Anti-Globo
- Assembléia de Deus do Pai, do Filho e do Espírito Santo
- Igreja Palma da Mão de Cristo
- Igreja Menina dos Olhos de Deus
- Igreja Pentecostal Vale de Bênçãos
- Associação Evangélica Fiel Até Debaixo DÁgua (em são paulo no meio das enchentes)
- Igreja Batista Ponte para o Céu
- Igreja Pentecostal do Fogo Azul
- Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo!
- Igreja da Cruz Erguida para o Bem das Almas
- Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade (Suma-se!!!!!!!!)
- Igreja Filho do Varão (Opa!!! Se puxar o pai vai se dar bem!!!!)
- Igreja da Oração Eficiente
- Igreja da Pomba Branca
- Igreja Socorista Evangélica (essa é do Café, do Beiçudo, dos bombeiros de Tibagi)
- Igreja A de Amor (NESSA SÓ DEVE TER ADORADORES DA XUXA)
- Cruzada do Poder Pleno e Misteri oso
- Igreja do Amor Maior que Outra Força
- Igreja Dekanthalabassi (QUE PORRA DE LÍNGUA É ESSA GENTE FALA????)
- Igreja dos Bons Artifícios
- Igreja Cristo é Show (Padre Marcelo gosta dessa também)
- Igreja dos Habitantes de Dabir
- Igreja Eu Sou a Porta
- Cruzada Evangélica do Ministério de Jeová, Deus do Fogo
- Igreja da Bênção Mundial
- Igreja das Sete Trombetas do Apocalipse
- Igreja Barco da Salvação
- Igreja Pentecostal do Pastor Sassá
- Igreja Sinais e Prodígios
- Igreja de Deus da Profecia no Brasil e América do Sul
- Igreja do Manto Branco
- Igreja Caverna de Adulão
- Igreja Este Brasil é Adventista
- Igreja E..T.Q.B (Eu Também Quero a Bênção) (????????)
- Igreja Evangélica Florzinha de Jesus (QUE DEUS ME PERDOE, MAS ISSO FICOU TÃO GAY)
- Igreja Cenáculo de Oração Jesus Está Voltando
- Ministério Eis-me Aqui
- Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia
- Igreja Evangélica A Última Trombeta Soará
- Igreja de Deus Assembléia dos Anciãos
- Igreja Evangélica Facho de Luz
- Igreja Batista Renovada Lugar Forte
- Igreja Atual dos Últimos Dias
- Igreja Jesus Está Voltando, Prepara-te
- Ministério Apascenta as Minhas Ovelhas
- Igreja Evangélica Bola de Neve
- Igreja Evangélica Adão é o Homem (ALGUÉM TINHA ALGUMA DÚVIDA QUANTO A ISSO???????? ?)
- Igreja Evangélica Batista Barranco Sagrado
- Ministério Maravilhas de Deus
- Igreja Evangélica Fonte de Milagres
- Comunidade Porta das O velhas
- Igreja Pentecostal Jesus Vem, Você Fica (QUE EGOÍSTA)
- Igreja Evangélica Pentecostal Cuspe de Cristo (O CARA QUE INVENTOU ESSE NOME ESTAVA CHEIRADO)
- Igreja Evangélica Luz no Escuro
- Igreja Evangélica O Senhor Vem no Fim (NÃO DÁ PRA CHEGAR UM POUCO MAIS CEDO)
- Igreja Pentecostal Planeta Cristo
- Igreja Evangélica dos Hinos Maravilhosos (???)
- Igreja Evangélica Pentecostal da Bênção Ininterrupta
- Assembléia de Deus Batista A Cobrinha de Moisés(COITADO DO MOISÉS TROCARAM O PAUZINHO DELE POR UMA COBRINHA rsrsrsrs)
- Assembléia de Deus Fonte Santa em Biscoitão (SENHOR ISSO É HERESIA)
- Igreija Evangélica Muçulmana Javé é Pai (PÔ, ESSE AQUI NÃO TEM NEM NOÇÃO DE RELIGIÃO rsrsrsrs.
- Igreja Abre-te-Sésamo (AHHHH, ESSA SIM, TA NO ESQUEMA DE ALI BABA SÓ NÃO INFORMARAM COM QUANTOS LADRÕES.)
- Igreja Assembléia de Deus Adventista Romaria do Povo de Deus
- Igreja Bailarinas da Valsa Divina (SERÁ QUE ESSA É MEIO CLUBE DA LULUZINHA??? OU SERÁ QUE HOMENS TB PODEM PARTICIPAR?)
- Igreja Batista Floresta Encantada (FICA NA DISNEY ISSO????)
- Igreja da Bênção Mundial Pegando Fogo do Poder
- Igreja do Louvre
- Igreja ETQB, Eu Também Quero a Bênção
- Igreja Evangélica Batalha dos Deuses (PENSEI QUE EVANGÉLICOS FOSSEM MONOTEÍSTAS)
- Igreja Evangélica do Pastor Paulo Andrade, O Homem que Vive sem Pecados (é o Cristo em pessoa!!)
- Igreja Evangélica Idolatria ao Deus Maior
- Igreja MTV, Manto da Ternura em Vida
- Igreja Pentecostal Marilyn Monroe (???????) (ESSE DEVE TER PREMONIÇÕES HOLLYWOODIANAS)
- Igreja Quadrangular O Mundo É Redondo (ISSO É SACANAGEM)
- Igreja Pentecostal Trombeta de Deus (Samambaia -DF)
- Igreja Pentecostal Alarido de Deus (Anápolis -GO)
- Igreja pentecostal Esconderijo do Altíssimo (Anápolis -GO) COITADO DO ALTÍSSIMO,VIROU FUGITIVO
- Igreja Batista Coluna de Fogo (Belo Horizonte -MG)
- Igreja de Deus que se Reúne nas Casas (Itaúna -MG)
- Igreja Evangélica Pentecostal a Volta do Grande Rei(Poços de Caldas-MG)
- Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia (Uberlândia -MG)
- Igreja Evangélica a Última Trombeta Soará (Contagem -MG)
- Igreja Evangélica Pentecostal Sinal da Volta de Cristo (Três Lagoas -MS)
- Igreja Evangélica Assembléia dos Primogênitos (João Pessoa -PB)
- Ministério Favos de Mel (Rio de Janeiro -RJ)
- Assembléia de Deus com Doutrinas e sem Costumes (Rio de Janeiro -RJ)

ENXUGANDO GELO, BEM COISA DE PETISTA

Completados 30 dias de governo da Dilma,herança do velhaco delinqüente Lulu das Cabritas, podemos notar que a Dilma tem um estilo bem diferente de governar (para melhor) do que o vigarista cachaceiro VAGABUNDO lula 51. Dilma TRABALHA! Isso é fato. Incontestavelmente a presidenta se debruça sobre os problemas nacionais(gravíssimos) e fica a estudar soluções, esquece o seu conforto pessoal, come as refeições no gabinete e exige eficiência de todos. Esta certa.
È isso que se espera de um governante.
Porem tudo isso de NADA VALE pois todo o ESTADO brasileiro virou uma DISNEYLANDIA de bandidos. De Sarney a Lulla o Brasil foi transformado na mais gigantesca pocilga de imundícies políticas,um enorme lamaçal de corrrupções, um pântano tenebroso de vilanias e delinqüências,um covil de ladrões onde a impunidade atingiu sua gloria!!! As virtudes foram vilipendiadas e enxovalhadas e em seu lugar a vulgaridade, o cinismo e a demagogia e a mentira se tornaram a voz oficial dos governantes .
O Brasil traído e entregue ao estrangeiros por estes velhacos nojentos de Sarney até Lulla foi subjugado ,explorado e roubado pela Nova Ordem Mundial que é quem manda e desmanda no Brasil e nossos “guias” são indicados por eles para atender tudo que lhes for pedido.Lula entregou parte do território nacional ao Principe Charles ,a Serra da Raposa do Sol...A Amazônia é vendida em anúncios em jornais e revistas americanos e europeus . ONGS estrangeiras aos milhares dominam a Amazonia em algumas áreas até o Exercito brasileiro é barrado, proibido de entrar pelos seguranças super armados da BLACK WATER.. Enfim o Brasil esta dominado.
Perdemos a soberania das nossas riquezas,
Nossas cidades estão DOMINADAS pelo CRIME e pelas DROGAS
A corrupção é endêmica e avassaladora
A sociedade brasileira foi transformada em zumbis através da péssima educação
Pela programação televisiva cuidadosamente programada para fazer lavagem cerebral nas massas de ignorantes aumentando e exarcebando a sua alienação e subjugação total.
O Brasil de hoje é um imenso curral de bois de abate. O povo em sua grande maioria não pensa, não tem consciência própria são guiados por espertos vigaristas populistas a fazer o que os DONOS DA NOVA ORDEM MUNDIAL mandam.
Lula Enrabador das Cabritas foi o maior celerado escolhido via URNAS ELETRONICAS FRAUDADAS pela NWO para acabar de vez com o que restava do Brasil.O VELHACO PASSOU 8 ANOS VIAJANDO EM UM AVIÃO LUXUOSO ,não trabalhou UM dia sequer durante seus 2 mandatos! Tapeou,enganaou,palanqueou a vontade..mas trabalhar mesmo...NADA!
Com essa IRRESPONSABILIDADE Lula abriu as portas para que todos os RATOS se soltassem e roessem até o âmago as verbas e o respeito das instituições que dirigiam, resultado;
DNIT,INFRAERO,PETROBRAS entre outras não resistem a uma simples auditoria.. tanto é verdade que Lulla fez de tudo e barrou a CPI da PETROBRAS! O rombo dela é enorme,as falcatruas e desvios de dinheiro são uma FABULA! E assim de ESCANDALO EM ESCANDALO ( MENSALÃO,SANGUESSUGA,BANCOOP,CARTÕES CORPORATIVOS) O DESGOVERNO LULLA FOI AFUNDANDO O QUE RESTAVA DA ECONOMIA. PARA PIORAR MAIS AINDA ,LULLA DEU CENTENAS MILHÕES DE DOLARES PARA A VENEZUELA FAZER SEU METRO, PARA CUBA FAZER O PORTO DE MARIEL, PARA BOLIVIA CONSTRUIR RODOVIAS DA COCAINA, SEM FALAR NAS DOAÇÕES E PERDOES DE MILHOES DE DOLARES DE PAISES AFRICANOS LIDERADOS POR DITADORES ADIMIRADOS POR LULA.
A herança dessa bandalheira toda é a volta da INFLAÇÃO! É o escandaloso AUMENTO DA DIVIDA INTERNA PARA A CASA DOS 3 TRILHÕES DE DOLARES!( IMPAGAVEL) A EXTERNA EM 300 BILHÕES DE US.DOLARES,pagamos 180 bilhões de dolares por ano de juros!!!!para conseguir isso trabalhamos 5 meses do ano para pagar , A MAIOR CARGA Tributaria DO PLANETA !! 164 TRIBUTOS !!! MAIOR TAXA DE JUROS DO MUNDO! PIOR EDUCAÇÃO DO MUNDO!! PIOR SAUDE PUBLICA DO MUNDO!! SEGURANÇA PUBLICA INEXISTENTE E CORRUPTA. JUSTIÇA LERDA E INEFICAZ COM LEIS PARA PROTEGER E AMAPAR A BANDIDOS. O E.C.A É UMA ABERRAÇÃO LOUCA ONDE MENORES INFRATORES PODEM MATAR,ROUBAR,DESTRUIR PATRIMONIO,ESTRUPAR E FICAM IMPUNES!!! MAIS ABSURDO DO QUE ESTE: UM MENOR EM SÃO PAULO DESDE OS 10 ANOS ROUBA CARROS RECETEMENTE FOI PRESO PELA 16ª VEZ, DESTA VEZ COMO CHEFE DE UMA QUADRILHA DE MENORES INFRATORES, AGREDIU O DELEGADO COM UMA DENTADA QUE LHE RASGOU A MÃO E O “ ANJINHO” NA MESMA NOITE FOI SOLTO POR UM “JUIZ”!!! VOLTOU AS RUAS COM A MESMA QUADRILHA ZOMBANDO DOS POLICIAIS E INSOLENTES PARTIRAM EM BUSCA DE UMA NOVA VITIMA.. ESSE É O RESULTADO DO PENSAMENTO “POLITICAMENTE CORRETO” DA ESQUERDA SOCIALISTA DE MERDA.
Cacciola ganha as ruas livre e leve e solto e o 2 bilhões de dólares roubados do Brasil?
Batistti, o canalha terrorista condenado pela justiça italiana,aqui é adulado e protegido por deputados e senadores da esquerda brasileira ganha de lulla um presente! Vai ficar aqui e quiçá ganhar um cargo publico, assessor para assuntos terroristas.
As cenas da GUERRA CIVIL no Rio de Janeiro onde hordas de traficantes-terroristas armados até os dentes desafiando a legalidade correram o mundo. Assombrosa realidade que não acabou apesar da encenação dos soldadinhos da PM de Cabral juntos com os blindados da marinha ,não derrotaram os traficantes, estes fugiram e foram para outros morros e a criminalidade continua! As UPP são um fracasso! Jamais vingarão pois a maior parte dos favelados vivem direta ou indiretamente do trafico de drogas! Não há emprego decente para concorrer com o trafico.
As calamidades da natureza no Brasil mostrou a INCAPACIDADE de resposta do desgoverno lulla, Santa Catarina ainda esta devastada e ainda não viu nenhuma providencia efetiva de recuperação do desgoverno, Bahia idem, Alagoas e Pernambuco idem nestes estados, em Ipojuca PE existem centenas de pessoa ainda abrigadas passando horrores em escolas publicas desde da cheia de 2009! Estão esquecidos...
A criminalidade nos centros urbanos extrapolou todos limites, os bandidos agora estão usando DINAMITE para arrobar bancos! A matança de gente é absurda mais de 50 mil mortos ano! E quem esta no crime? Jovens de todas as camadas sociais! Motivo; DROGAS , drogas enviadas pela rodovia boliviana de Evo Morales construída com o dinheiro brasileiro dado por LULA DA SILVA! O crack virou uma epidemia! Graças ao companheiro EVO e a seu lacaio lulla das cabritas!
ESSA É A HERANÇA LULA DA SILVA!!!
DILMA VAI COLHER O QUE ELA MESMO PLANTOU JUNTO COM LULA.
VEM AHI UMA HECATOMBE FINANCEIRA MUNDIAL, A CRISE CAMBIAL VAI DEVASTAR
AS ECONOMIAS, A INFLAÇÃO VAI DETONAR O BRASIL POR CONTA DOS EXCESSOS DE BANDALHEIRAS DOS 8 ANOS DE ROUBALHEIRAS DE LULLACORLEONE, QUANDO O DOLAR E O EURO PPERDEREM SEU VALOR AS EXPORTAÇÕES DO BRASIL PARAM,HAVERÁ FOME,SAQUES,COMOÇÃO SOCIAL TAL O QUE VEMOS HOJE NA TUNISIA,EGITO ,IEMEN,ARGELIA MOTIVADOS POR
1- DESEMPREGO CRONICO E BAIXOS SALARIOS
2- INFLAÇÃO GALOPANTE E CUSTO DE VIDA INSUPORTAVEL
3- FALTA DE DEMOCRACIA E TRANSPARENCIA DOS GOVERNANTES
4- DITADORES LACAIOS DA NOVA ORDEM MUNDIALQUE JÁ NÃO ENGANAM MAIS O POVO.

O FMI JÁ DEU O ALERTA, A ECONOMIA DO BRASIL ESTA UMA DESORDEM! MANTEGA IRRESPONSAVELMENTE RETRUCOU O MONITORAMENTO DO FMI CHAMANDO PRECONCEITUOSAMENTE DE “VELHOS” OS QUE FAZEM O FMI. OU SEJAM, A POLITICA COMUNISTA DE DESQUALIFICAR SEUS OPONENTES E CRITICOS, DE NADA VALE! O FMI MANDA! E SE DIZ QUE O BRASIL ESTA NAUFRAGADO É PORQUE ESTA MESMO . NÃO TEM MENTIRA DE MANTEGA OU NINGUEM QUE POSSA REVERTER A REALIDADE QUE TODOS NÓS SENTIMOS NA PELE, HAJA TAXA DE JUROS SUBINDO E CORTES DE 40 BILHÕES NO ORÇAMENTO JÁ FALADOS POR DILMA.. SE ISSO NÃO SIGNIFICA “QUEBRADEIRA’ ENTÃO O QUE SERÁ ???
30 DIAS... E DILMA CALADA... TENTANDO ENXUGAR O GÊLO... COITADA!
VAI MORRER DE XINGAR OS MINISTROS,VAI ESBRAVEJAR COM TUDO E TODOS MAIS NÃO VAI RESOLVER NADA! E NO FIM VAI LEVAR UMA TREMENDA RASTEIRA DE SARNEY&TEMER COM O AVAL DO VELHACO LULA NA SOMBRA DA SUA COVARDIA. O BRASIL ESTA DESGOVERNADO, NÃO EXISTE MAIS COMO UM ESTADO ORGANIZADO VIROU UMA IMENSA DISNEYLANDIA DE BANDIDOS E CORRUPTOS QUE FAZEM DISSO AQUI UMA ETERNA “FESTA” AS CUSTAS DE NOSSA LETARGIA E DA NOSSA COVARDIA.

Cada povo tem o dotô que merece

Frases do dotô  LULA 
(doutor honoris causa na Universidade FEDERAL de Viçosa  - UFV-MG). 
 


"Não é mérito, mas, pela primeira vez na história da República, a República tem um presidente e um vice-presidente que não têm diploma universitário. Possivelmente, se nós tivéssemos, poderíamos fazer muito mais."  -  Fonte:Primeira Leitura 13/09/2003 e Radiobrás  
________________________________________
"Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta." - Falando no Dia Internacional da Mulher, em 8 de março de 2004.  - Fonte: Radiobrás da data e vários jornais.

PETRALHADA MENTIROSA

"O mínimo deveria ser de R$ 1.100,00 se levasse em conta o valor real de 1939. Os que recebem o mínimo deveriam receber pedidos de desculpas" - Outubro de 1998. 

"O presidente (Fernando Henrique Cardoso) ainda vê um pequeno aumento no salário mínimo como custo. Deveria ver como renda. O trabalhador ganhando R$40,00 a mais não vai comprar dólar nem carro importado. Vai comprar feijão, arroz." Candidato à presidência em 1998 .
EM 2010, LULA ASSINOU A MP QUE LIMITA O SALÁRIO MÍNIMO EM  540,00, nos últimos momentos de seu mandato, sabendo que, para o povo, culpada será a próxima presidente. 

Educação, Educação e Educação

Por Jorge Serrão

O símbolo do franciscanismo na política tupiniquim foi para o saco! Veio à tona a informação de que até o senador Pedro Simon, que sempre posou de paladino da defesa da coisa pública e se apresenta como dado a hábitos franciscanos, recebe aposentadoria de ex-governador. São Francisco de Assis deve estar envergonhado. Neste ritmo, o imortal José Sarney acaba Presidente do Céu. Deus acabará exilado para os confins miseráveis do Maranhão... Se der sorte, com direito a uma bolsa família...

Diante de tantas denúncias comprovadas de uso e abuso do poder do Estado, os brasileiros deviam se revoltar. No entanto, ocorre o contrário. Ficam cada vez mais passivos e inertes diante das coisas erradas. Só faltam imitar os ignorantes do Egito. Mortos de vontade de derrubar a ditadura que se eterniza por lá, não sabem como atacar o governo. Assim, tacam fogo em duas múmias que nada têm a ver com a história atual. A revolta contra os falecidos faraós é uma alegoria da ignorância, do analfabetismo político dos subdesenvolvidos, incapazes de pensar e agir com correção.

O triste é que a maioria dos brasileiros também raciocina com intestino. Sofremos da síndrome da múmia paralítica. Somos fruto de um processo histórico que nos tornou assim. Uma sociedade que não inventou o Estado, mas que foi inventada e moldada, sem educação, por um Estado criado para explorar. Por ignorância sobre a própria verdade histórica e incapacidade de analisar informações relevantes, aceitamos viver, passivamente, como escravos em uma rica colônia de exploração pós-moderna, mantida artificialmente na miséria pelos poderes globalitários que nos controlam, há séculos, daqui extraindo tudo que lhes convém.

O brasileiro foi adestrado a saber tudo de libertinagem. Mas nunca aprendeu a lidar com a liberdade. Por isso, não conseguimos ser livres. E aceitamos sobreviver na senzala da ignorância libertina, concedendo à privilegiada classe política o “direito” de dirigir nossa subcidadania. Por instinto de autoperpetuação, esta classe dominante – que usa e abusa do poder estatal - colabora o processo de manutenção do status quo ignorante. Eis por que os poderosos só tratam da Educação na retórica discurseira. E povo, que desconhece a liberdade, faz pouco caso da Educação.

Para nossa triste sina, quem percebe a importância da Educação também age na contramão da história, segregando o processo educacional a uma minoria privilegiada. Vide o lamentável episódio de dois pais na cidade de Serra Negra, no interior de São Paulo. Considerando o ensino brasileiro muito fraco, o norte-americano Philip Ferrara, de 48 anos, e sua esposa brasileira Leila Brum Ferrara, de 44, optaram por ensinar os filhos em casa. As irmãs Vitória, de 11 anos, e Hannah, de 9, foram tiradas da escola.

Agiram corretamente os pais ao aplicarem o “homeschooling”? Tal prática é muito difundida nos Estados Unidos. Teria mais de 1 milhão de adeptos por lá. Só que é proibida no Brasil! Os pais radicalizaram para exercer a liberdade de educar os filhos, em tese, com qualidade. Acontece que o ensino exclusivamente no lar não é permitido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Muito menos pela Lei de Diretrizes e Bases. O ECA e a LDB determinam que as crianças devem frequentar escolas.

Em tese, o principio é correto. Todo espaço de convivência e socialização de conhecimento e troca de vivências é essencial ao desenvolvimento pleno do ser humano. A pergunta fatal é: nossas escolas, em sua maioria, cumprem tal papel? A resposta é um “não rotundo” – como diria o velho Leonel Brizola, um dos poucos políticos brasileiros, com todos os seus defeitos, que teve a virtude de defender a importância da educação para o desenvolvimento do Brasil.

Solução imediata. O brasileiro precisa acordar para a importância de Educação. A História da Humanidade comprova que só se desenvolver as nações em que os cidadãos têm acesso à Educação desde a infância. Sem um processo que viabilize a liberdade de escolha, o livre pensamento e o acesso a múltiplas experiências artísticas, o pleno desenvolvimento de outros fatores produtivos fica dificultado ou inviabilizado.

Educação. Educação e Educação. Ou adotamos estas três prioridades, ou tudo continuará como dantes na escolinha do Abrantes. Temos de superar e revogar a “vocação” historicamente maldita para sermos meros súditos ou escravos colonizados pelas nobres realezas globalitárias.

DILMASTALIN 1º ATO MENTIROSO

Em sua primeira viagem ao exterior, Dilma Rousseff foi a Argentina onde, após sua reunião com a presidente daquele país, se reuniu com integrantes do movimento Mães e Avós da Praça de Maio.

Tenho curiosidade de ver se na sua visita a Cuba, a presidente também se reunirá com representantes das Damas de Branco, que tal e qual as Mães da Praça de Maio Argentina, pedem respeito aos direitos humanos em Cuba e querem notícias de seus filhos, maridos e netos presos pelo governo dos irmãos Castro.

Muitos destes opositores ao regime cubano, depois de torturados, foram executados no Paredon.

Cuba, um país com uma população muito menor que a do Brasil e da Argentina, executou mais oposicionistas ao governo do que qualquer um dos dois países latino americanos durante seus períodos de ditadura.

TIRIRICA NO MEC JÁ

O palhaço Tiririca afirmou ontem que tem planos de participar da Comissão de Educação e Cultura da Câmara. O PR tem dois deputados na comissão de 32 membros. "É o que o partido também quer", afirmou o humorista, ao deixar o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde retirou a vesícula. Na verdade, o palhaço tem melhores credenciais para substituir o incompetente, arrogante, petulante e mal humorado Fernando Haddad, cuja última ação foi cabalar um doutor honoris causa para o ex-presidente, nomeando o reitor da universidade concedente como Secretário de Educação Superior do MEC (veja post ). Palhaçada por palhaçada, Tiririca no MEC!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Invasões bárbaras no Brasil do sec. XXI

Carlos Frederico Queiroz de Aguiarpresidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança ABIMDE
Nota DefesaNet - No dia 11 de Janeiro Assumiu a presid~encia da ABIMDe o Sr Orlando Neto da Embraer O autor permanece como VP da ABIMDE.

OBrasil virou uma espécie de Eldorado mundial. O bom momento econômico que vive o país e os bilionários investimentos públicos a serem realizados até 2030 despertam um apetite sem precedentes, e daí o título deste artigo, emprestado do filme canadense candidato à Palma de Ouro de 2003. Estamos no olho do furacão. E a indústria nacional que se segure: sem regras definidas, virá uma invasão bárbara por aí.
Só na área de infraestrutura, estima-se que investimentos públicos que precisarão ser feitos para dar cabo à agenda de eventos esportivos globais previstos até 2016 cheguem a US$26 bilhões. Some-se o setor de energia, onde só a Petrobras anuncia investimentos até 2014 de US$224 bilhões na exploração do pré-sal - felizmente, neste caso, com 80% dos recursos reservados para conteúdos industriais nacionais.
No segmento da Defesa e Segurança, há esforços para o reequipamento das Forças Armadas. Pela Estratégia Nacional de Defesa, serão investidos US$247 bilhões, até 2030, na modernização dos equipamentos da Marinha (US$70 bilhões), Exército (US$94 bilhões) e Aeronáutica (US$83 bilhões). Não é, portanto, exagero estimar-se que haverá oportunidades que chegam a US$700 bilhões. Onde mais se anuncia Eldorado semelhante?
Sou testemunha da invasão que estamos sendo alvo de empresas de todo o mundo. A Fiesp, a Firjan e a Abimde receberam ao longo deste ano delegações empresariais de países como EUA, Canadá, Inglaterra, Alemanha, França, Itália, Israel, oferecendo suas expertises. Se não houver cautela, a indústria nacional correrá imensos riscos.
No segmento industrial de Defesa, adianto ameaça adicional: a da desnacionalização. Afinal, como enfrentaríamos uma eventual invasão de nosso território, da Amazônia, do pré-sal, se a tecnologia empregada pelas nossas tropas não pertencesse a nós, mas aos nossos inimigos? As consequências já são evidentes em território nacional: aumento das importações, diminuição das exportações pela queda da competitividade em preço do produto nacional e desindustrialização.
A invasão bárbara que temos presenciado é como script de um filme conhecido, que começa com empresas internacionais se associando a brasileiras e, depois, assumindo o controle acionário. Segue-se, então, o epílogo dramático: após sorverem o que podem, elas se retiram do País com o qual jamais tiveram compromisso. Nossa Constituição não limita o capital estrangeiro no segmento da Defesa, apesar do seu caráter estratégico. Desde que o estabelecimento das empresas siga as normas legais, tudo certo. Mas pergunto: tudo certo para quem?

Frank Laubach - Teorico plágiado por Paulo Freire e as pedabobas não sabem!

Frank Laubach

Frank Laubach nasceu nos Estados Unidos em setembro de 1884 e aos 45 anos foi servir como missionário entre os muçulmanos no sul das Filipinas. Nessa época, deu início à prática de permanecer na presença de Cristo. Foi um dos homens mais conhecidos do século XX. No ano em que recebeu o prêmio "Homem do Ano", disse humildemente: "O Senhor não quer contar meus troféus, mas minhas cicatrizes." Faleceu aos 85 anos, deixando mais de 50 livros e reconhecido como o maior educador de todos os tempos.

Laubach ficou conhecido, também, como “O Apóstolo dos Analfabetos”. Em 1935, enquanto trabalhava em um povoado remoto nas Filipinas, desenvolveu o programa de alfabetização “Cada um ensina um”. Esse programa foi usado para ensinar cerca de 60 milhões de pessoas a ler em sua própria língua. Além disso, ele era profundamente preocupado com a pobreza, a injustiça e o analfabetismo, os quais considerava barreiras para a paz mundial. Em 1955, fundou o Método Laubach de Alfabetização que já foi usado em mais de 34 países. Ele esteve no Brasil (em Pernambuco) em 1943, onde Paulo Freire como bom comunista que foi, se apropriou da teoria alterando na sua base ideologica e batizando de construtivismo, um verdadeiro plágio grosseiro bem à moda socialista.
Além de todo o envolvimento com a alfabetização, Laubach foi autor de inúmeras obras de literatura voltadas para devocionais cristãos, as quais refletiam sua experiência de vida. Uma das mais influentes obras devocionais foi o folheto intitulado “O Jogo dos Minutos”. Nele, Laubach estimulava os cristãos a tentarem conservar Deus em suas mentes, pelo menos, por um segundo de cada minuto do dia. No “Jogo dos Minutos”, assim, ele demonstrava os benefícios de uma vida constantemente focada em Deus. A inspiração de Laubach veio de sua experiência de oração, a qual está relatada em sua obra “Cartas de um Místico Moderno.”

Sites da extrema burrice neuropetista voltam a atacar

Como se não bastasse, o neurocientista, ultrassensível à críticas, pediu reforços em sua segurança pessoal, mesmo admitindo não ter recebido ameaça alguma. E de conhecimento público tornou-se o diagnóstico do mal que aflige a cabeça do Dr. Miguel Nicolelis: neuropetismo crônico e generalizado. Patologias à parte, vamos ao saneador esclarecimento de algumas questões:
(1) A posição milenar da Igreja Católica sobre o homossexualismo não deixa dúvidas: é um pecado, é imoralidade, é algo que vai contra a própria fisiologia humana.
O neurocientista Miguel Nicolelis apóia a união civil de homossexuais, o que nivelaria juridicamente os casais gays à família tradicional.
(2) A Doutrina Social da Igreja Católica afirma sobre socialismo: os fiéis que o apoiarem estão auto-excomungados (latae sententiae).
Miguel Nicolelis, ateu, não só votou na terrorista candidata do Foro de São Paulo à presidência do Brasil, como escreveu textos em defesa de Dilma Rousseff e seu partido, o PT, durante a campanha.
(3) A Igreja Católica Apostólica Romana se opõe ao aborto.
Nicolelis é a favor da descriminalização do assassinato de fetos.
(4) Consta no artigo 5 da Constituição da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano: "os candidatos a uma vaga na Academia são escolhidos pela Academia na base de seus eminentes estudos científicos originais e sua reconhecida personalidade moral". A escolha, segundo o documento é feita "sem nenhuma discriminação étnica ou religiosa".
Alguém duvida de que qualquer cristão com um mínimo de bom senso questionaria se o Dr. Nicolelis, apoiando o que apóia, é de fato, alguém com "reconhecida personalidade moral"?
(5) Outra pergunta: é vedado a qualquer cristão, no pleno exercício de suas atividades intelectuais, se opor à nomeação de um defensor de socialistas, do aborto e de políticas gayzistas à Pontifícia Academia de Ciência do Vaticano?
Qualquer católico não só tem esse direito, como esta é única postura coerente com os princípios de sua fé. Católicos reconhecem que o Vaticano errou, e os revolucionários, sempre posicionados contra qualquer pronunciamento da Igreja Católica (na verdade, mal escondem que, para eles, ela não deve abrir a boca sobre nada, nunca), desta vez a apoiaram, simplesmente porque favorece um de seus ícones.

A pergunta que resta é: quem é a extrema direita, então, Luís Nassif e Conceição Lemes, endossada por Luiz Carlos Azenha, chamam de "extrema-direita"?
Evidentemente, para esses esquerdistas conhecidos, a "extrema-direita" é composta pelos católicos, e todas as pessoas, cristãs ou não, que se opõem ao aborto, ao socialismo e às políticas gayzistas.
A canalhice da patota ao aplicar tal rótulo aos cristãos já seria aterradora ficasse por aí. Mas deve-se destacar que o rótulo "extrema-direita" comporta aí duas acusações. Além de um suposto extremismo ideológico, (como se defensores do aborto, do petismo e do gayzismo fossem os exemplares máximos da neutralidade política), fica a associação popular, e totalmente falsa, com o nazi-fascismo e com facções da linha da Ku Klux Klan.
Uma associação da qual a edição brasileira do Le Monde Diplomatique deste mês reforça com uma foto de um skinhead com uma suástica tatuada na nuca e a manchete: "Cresce a extrema direita". Nas páginas internas, matéria intitulada "A direita radicaliza", coloca os governos de Mussolini e Franco como inauguradores de um modelo que a "ofensiva da hierarquia católica" dá continuidade, valendo-se do discurso conservador dos "bons costumes".
Ao olhar do observador atento da história, e de um conhecedor do pensamento político minimamente livre da mistificação revolucionária, nada poderia ser mais falso. E ficam algumas perguntas:

Como associar os conservadores, promotores da moralidade judaico-cristã, do livre mercado e do estado mínimo, às ideologias totalitárias de Hitler e Mussolini, socialistas convictos, centralizadores de poder, anticapitalistas, anticristãos e revolucionários?
Como esquecer da apologia da eugenia por parte de ícones do progressismo, como George Bernard Shaw, John Maynard Keynes, Julian Huxley, Sidney Webb (patrono dos socialistas fabianos) E. A. Ross, e Margareth Sanger, fundadora da liga que posteriormente se tornou a instituição abortista Planned Parenthood, tão protegida pela esquerda obamista nos EUA?
Como não levar em conta os vínculos da esquerda acadêmica dita "pós-moderna" com o nazismo, lembrando-se de nomes como Paul de Man e Martin Heidegger?
Como associar a Ku-Klux-Klan a uma suposta extrema-direita, se em 1924 a facção racista participou da convenção Klanbake, do Partido Democrata dos EUA, o partido de Al Gore, Obama, Clinton e Jimmy Carter, ex-presidentes idolatrados pela imprensa socialistóide tapuia?
Não são os conservadores os principais oponentes das políticas raciais esquerdistas, como as quotas nas universidades, políticas essas que fazem do Estado instrumento de oficialização do critério de raça, ao melhor estilo nazista?
Não são os conservadores os adversários de qualquer tentativa de planificação cultural e econômica defendida pela esquerda estatólatra que faz do "Estado de Bem-Estar Social" (que ao surgir, tinha a eugenia como um de seus meios) seu deus?
Respondidas essas perguntas, fica evidente: se há alguém, no âmbito das idéias políticas, próximos a aberrações ideológicas do século XX como o nazismo e o fascismo, estes são os defensores da ideologia mãe destas duas: o socialismo, uma paixão de quase toda a imprensa brasileira atualmente.
Só mentes afligidas pela extrema burrice e pelo neuropetismo não enxergam essa obviedade

A DILMA CALOU O LULLA?

A Dilma não é nova porcaria nenhuma, é apenas o Nono Ano do governo Lulla, vamos dizer Ano 9 da Era Lulla. Para os puristas do credo lullista, como Dirceu, Gushiken, Genoíno, Delúbio, Mercadante e Palocci, é o Ano 9 Depois do Lulla. (O que aconteceu com a cara do Mercadante que inchou daquele jeito? Será ele o próximo hóspede do 8 Estrelas de Dubai, o hospital Sírio-Libanês ?
A Dilma nada tem de purista. A Dilma é apenas o Poste. Delúbio é um dos grandões, um founding father, como Dirceu era, é e sempre será. Dirceu ainda terá a cara estampada nas notas de Déreal, podes crer. O Poste c´est une parvenu, foi imposta pelo Lula goela abaixo do petismo militante, obediente e de olho no PMDB, que vive de olho nas migalhas do banquete.
Depois do Lulla? Depois, nada. Estamos em plena vigência do mesmo Cara de sempre, que sai da caverna com a máscara na cara e anel de caveira na mão direita, montado no Heroi e acompanhado pelo Capeto; o Fantasma é Imortal.
Jamais escaparemos.
Veja no mapa da América Latrina o país dos hermanos, a Argentina, tão bela e que já foi tão rica, acho que a 4ª economia do Mundo, destruída há mais de 60 anos pelo peronismo e
pelo fantasma do Perón.
Na Argentina, situação, oposição, direita, centro e esquerda são peronistas, um espelho do nosso futuro, quando teremos situação, oposição, direita, centro e esquerda paridos dentro do lullismo, disputando entre si não mais o controle da política e da sociedade, que possuirão de velho, mas fatias mais gordas do butim.
Este Reich lullista caminha para os 70 anos do PRI mexicano, 12 já estão no papo (pertinho dos 13 do Hitler), se tudo correr a contento para o Poste e sua saúde reconhecidamente frágil.
Na melhor das hipóteses, o Plano A - a cumpanherada tem como certos mais 8 anos do Cara daqui a pouco, somando 20. Como a oposição só se opõe a si mesma, eles nadam de braçada sem nada pela frente.
Na pior, o Plano B - criado e aprovado à sorrelfa, na maior correria. Alguns meses antes da eleição, quando a saúde do Poste era assunto de palanque e instrumento de caça aos votos, a cumpanherada agiu rápido e aprovou no Congresso uma coisa que não sei o nome, se Lei ou Emenda à Constituição, mudando a substituição do presidente no caso de sua morte ou impedimento permanente. Se a presidenta desabar em pleno mandato, quem assume não é a vice, a doce Marcela, que levaria o Temer de lambuja. Assume o presidente do STF, para convocar eleições em 90 dias.
Como o Poste teria cumprido um mandato de não sei quantos dias, ou semanas ou meses ou anos, chuta aí a quem a Lei garante o direito de se candidatar de novo, chuta, vai. Acertou em cheio, isso mesmo, ao Cara. Já tem até a musiquinha que ele vai cantar na campanha, a mesma do Getúlio, reencarnação do Getúlio, que ele afirma que é, "Bota o retrato do velho outra vez, bota no mesmo lugar..." (Eu sugeri "Lulla de novo nos braços do povo", mas ninguém me escuta).
Numa democracia, a oposição se opõe e fiscaliza o governo. Eu não vejo isso acontecer aqui; dá a impressão de que a oposição só está na oposição porque quis uma boca na situação
e não conseguiu. Está na oposição por puro despeito e não por escolha ou ideologia; dá a impressão de que na hora em que tiver uma chance, troca de barco. Dá uma olhada nas ações do Aecim, Anastasim e Kassab. Numa democracia, a oposição , ao se opor e fiscalizar o governo, procura votos para com eles deixar de ser oposição e virar situação. Esse é o jogo.
Aqui, há 44 milhões de votos procurando a oposição. São 44 milhões de habitantes do "país" alfabetizado, que trabalha, produz o PIB, gera riquezas, paga impostos.
São 44 milhões que não vivem de mesada da viúva, pagam a conta - e não penduram a conta. Cadê os caras que poderiam sonhar com esse caminhão de votos ? Estão concedendo "cem dias de trégua" a quem já teve 8 anos de mandato e só trouxe a maior corrupção nunca antes vista neste país.
Então, prego com fúria religiosa aos quatro tempos e ventos, "Cem dias de trégua uma pinoia. Sem dias de trégua, isso sim". Pau no Poste, enquanto houver democracia que o permita.
Há um movimento subreptício para atribuir sabedoria ao Poste pelo seu silêncio, ao mesmo tempo em que se confere a essa sabença o mérito pelo sumiço do Cara.
Marta, a craca Melhor do Mundo, não a Relaxa e Goza, pendurou a camisa dela no Poste e a foto saiu em todos o jornais. Nada mais Lulla do que o Poste.
VENCEU O 1º MENSALÃO (MÊS GRANDÃO) DA DILMA. ATÉ AGORA, NADA.


Publicado no Diário do Comércio em 27/01/2010.

Artigo para professores, pedagogos e cidadãos preocupados com a educação

A queda na qualidade de ensino no Brasil.
                         
É isto mesmo que nossos corruptos governantes buscam. Ter uma população de vacas de presépio que não sabem fazer uma crítica e que são incapazes de analisar e comentar fatos.
Por isto e por outras que devemos, o mais rápido possível, nos livrarmos desta corja que tomou o poder em Brasília.
Parece um apelo desesperado, mas é uma realidade critica que vivemos há no mínimo 14 anos, ou seja, após a regulamentação da LDB de 1996 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm), que rege a educação nacional em todos os seus níveis.
Esta lei homologada no governo FHC, assim como neste governo surgiu o bolsa alimentação e bolsa escola que no governo Lula se transformou em Bolsa família, foi à primeira punhalada na qualidade da educação brasileira, encaminhando o ensino para os níveis baixos de qualidade e que hoje vemos com pavor o crime com no mínimo duas gerações de estudantes que até concluíram ou estão concluindo o ensino superior muito abaixo de gerações anteriores.
Esta lei foi interpretada e executada por burocratas da educação (pedagogos) que pouco ou nada sabem da sala de aula e apenas divagam nas teorias e estatísticas da educação e com o governo Lula foi à teoria freiriana, a escolhida para alicerçar a LDB emburrecedora dos estudantes brasileiros, que poda a liberdade de escolha do modelo educacional inclusive na rede privada e que verticalizou os livros didáticos, com a desculpa de oportunizar livros iguais para todos, inclusão didática para manter o nível de emburrecimento em todos os níveis.
Tomo como exemplo a aplicação do livro didático de História de Mario Schmitt, que de livro de verdade tem muito pouco, um gibi repleto de fotos e apologias a heróis comunistas e desinformação histórica total. Um manual para formar comunistas em sala de aula.
Inclusão no ensino não é assim que se faz incluir a todos ao ensino é proporcionar condições salariais para que os estudantes escolham onde estudar e que livros comprar, escolhidos pelos seus professores, assim como era feito na época do regime militar, hoje tão criticados pela esquerda comunista que quer igualar e nivelar a todos por baixo.
A ficção da igualdade social no Brasil apenas ilude os miseráveis do Nordeste brasileiro, comprados com os cartões magnéticos da Bolsa Tudo que o governo distribui em troca do cabresto do voto em época de eleição.
Menciono alguns itens da lei que podemos observar o quão vago e interpretativo são, deixando margem para interessados em tirar proveito do sistema em beneficio político próprio, é muito fácil de manipular. E toda esta interpretação sendo feita por pedagogos treinados nas universidades utilizando e decorando as teorias que privilegiam a educação comunista e de construção de massa de manobra e omitida das verdades e da qualidade de ensino.

Art. 1º § 2º “A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social”.
A educação inclusiva iniciada com FHC e mais fortemente executada pelo PT nos seus dois governos, não coloca ninguém próximo do mundo do trabalho e da disciplina do mundo do trabalho, apenas incentiva a formação de adolescentes sem interesse e um mundo do faz de conta da educação apoiado pelo policiamento das pedagogas sobre os professores, punindo e desmoralizando o docente perante os futuros vadios formados na escola publica.

Art. 3º O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; Liberdade para quem não sabe usá-la, sem disciplina e amarrado nos livros didáticos indicados pelas editoras contratadas do governo? Bonita liberdade é dada para os docentes e para as instituições.
III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas;
As idéias são impostas pela pedagogia e balizadas em Freire, Piaget e Vigotsky, todos os pedagogos que não obtiveram resultados das teorias e o que mais próximo de resultados chegou foi Freire, emburrecendo e formando uma massa de manobra para a implantação do comunismo na África.
IV - respeito à liberdade e apreço à tolerância;
Liberdade de quem e tolerância pra quem? O que se vê é os alunos repletos de liberdades e tolerância zero para os docentes que são cobrados por não ter controle sobre os alunos, mas se impondo, são punidos, pois afeta a liberdade de direito dos alunos. Esta tolerância é apenas para os docentes que se torturam com a falta de respeito e vadiagem legalizada dos alunos, vendo seu esforço profissional sendo reprimido e desprezado com esta lei vertical de interesse político.
A realidade atual é de desvalorização total, onde pedagogos e não pedagogos defecam na cabeça dos docentes como semideuses da educação, mas não tem o preparo e o conteúdo para ministrar aulas apenas fazem de conta que dão aulas quando estão em sala de aula e nos seus gabinetes tentam ensinar docentes a executar o seu trabalho, mas palpites não são sinônimos de qualidade do ensino.
AS TEORICAS ACADEMICAS DE ORIENTAÇÃO PEDAGOGICA MARXISTA (PIAGET, VIGOTSKY, E PRINCIPALMENTE PAULO FREIRE, QUE NÃO DETEM O CONHECIMENTO ESPECIFICO DAS LICENCIATURAS, MAS SE COLOCAM COMO GENIOS DOS PROBLEMAS DA EDUCAÇÃO.
POR ACASO ALGUMA PEDAGOGA CONHECE A HISTORIA DO PLAGIO TEORICO DE PAULO FREIRE? PODEM ME JUSTIFICAR O ESTUDO E TENTATIVA DE PRATICA DE TEORIAS RUSSAS E SUIÇAS DO SEC. XIX EM NOSSA EDUCAÇÃO? SE NEM NOS LOCAIS DE ORIGEM FORAM ACEITAS E DESENVILVIDASD PQ NÓS QUE QUEREMOS QUALIDADE E CONHECIMENTO TEMOS QUE SEGUIR ESSA CARTILHA ARCAICA?
SE ALGUMA PEDABOBA ME RESPONDER FUNDAMENTADA E CONHEÇA REALMENTE PAULO FREIRE COMO EU ESTUDEI, ME RESPÓNDA, CASO CONTRARIO, POR FAVOR, VÃO LIMPAR AS IDEIAS QUE BOTARAM NA CABEÇA DE VOCES NOS BANCOS ACADEMICOS E ESTUDEM. APOS A CHEGADA E A CRIAÇÃO DA PEDAGOGIA EFETIVA NAS ESCOLAS NOSSA EDUCAÇÃO SÓ PIOROU E NÃO PELO FATO DAS PROFISSIONAIS, MAS PELO SISTEMA QUE CRIOU UM BANDO DE VENTRILOCOS QUE REPETEM E SE ACHAM A SOLUÇÃO FINAL DA EDUCAÇÃO.
TENHO PENA DAS PEDAGOGAS A SERVIÇO DA ESQUERDA MARXISTA LENINISTA, NEM IMAGINAM QUAL A SUA REAL FUNÇÃO NO SISTEMA, MAS PQ NÃO ESTUDARAM O QUE PRECISAVA HISTORIA DA PEDAGOGIA E NÃO APENAS A BIBLIOGRAFIA DE FREIRE, PIAGET E VIGOSTKY.
INFELIZMENTE A PEDAGOGIA NO BRASIL ESTÁ A SERVIÇO DA POLITICA E NÃO DA EDUCAÇÃO, SÓ AS PEDAGOGAS NÃO ENXERGAM!
 O plagio Paulo Freire se explica com uma breve pesquisa a bibliografia da educação e filosofia, o que os bancos acadêmicos não fazem questão de expor na preparação das futuras gerações de pedagogos por já estarem a décadas a serviço da esquerda na construção da inclusão/totalitarismo das massas doutrinadas por essa cartilha.
Exponho a gênese do freirianismo idolatrado pela pedagogia esquerdista que é o responsável pelo emburrecimento de gerações de brasileiros que ao completarem seus estudos se vêem excluídos do mercado de trabalho pela total bestialidade e engano da teoria em prepará-los para o mundo de mercado e das oportunidades.
O Método Laubach de alfabetização de adultos foi criado pelo missionário protestante norte-americano Frank Charles Laubach (1884-1970). Desenvolvido por Laubach nas Filipinas, em 1915, subseqüentemente foi utilizado com grande sucesso em toda a Ásia e em várias partes da América Latina, durante quase todo o século XX.
Em 1915, Frank Laubach (foto) fora enviado por uma missão religiosa à ilha de Mindanao, nas Filipinas, então sob o domínio norte-americano, desde o final da guerra EUA/Espanha. A dominação espanhola deixara à população filipina uma herança de analfabetismo total, bem como de ódio aos estrangeiros.
A população moura filipina era analfabeta, exceto os sacerdotes islamitas, que sabiam ler árabe e podiam ler o Alcorão. A língua maranao (falada pelos mouros) nunca fora escrita. Laubach enfrentava, nessa sua missão, um problema duplo: como criar uma língua escrita, e como ensinar essa escrita aos filipinos, para que esses pudessem ler a Bíblia. A existência de 17 dialetos distintos, naquele arquipélago, dificultava ainda mais a tarefa em meta.
Laubach adaptou o alfabeto inglês ao dialeto mouro. Em seguida adaptou um antigo método de ensino norte-americano, de reconhecimento das palavras escritas por meio de retratos de objetos familiares do dia-a-dia da vida do aluno, para ensinar a leitura da nova língua escrita. A letra inicial do nome do objeto recebia uma ênfase especial, de modo que aluno passava a reconhecê-la em outras situações, passando então a juntar as letras e a formar palavras.
Utilizando essa metodologia, Laubach trabalhou por 30 anos nas Filipinas e em todo o sul da Ásia. Conseguiu alfabetizar 60% da população filipina, utilizando essa mesma metodologia. Nas Filipinas, e em toda a Ásia, um grupo de educadores, comandado pelo próprio Laubach, criou grafias para 225 línguas, até então não escritas. A leitura dessas línguas era lecionada pelo método de aprendizagem acima descrito. Nesse período de tempo, esse mesmo trabalho foi levado do sul da Ásia para a China, Egito, Síria, Turquia, África e até mesmo União Soviética. Maiores detalhes da vida e trabalho de Laubach pode ser lido na Internet, no site Frank Laubach.
Na América Latina, o método Laubach foi primeiro introduzido no período da 2ª Guerra Mundial, quando o criador do mesmo se viu proibido de retornar à Ásia, por causa da guerra no Pacífico. No Brasil, este foi introduzido pelo próprio Laubach, em 1943, a pedido do governo brasileiro. Naquele ano, esse educador veio ao Brasil a fim de explicar sua metodologia, como já fizera em vários outros países latino-americanos.
A visita de Laubach a Pernambuco causou grande repercussão nos meios estudantis. Ele ministrou inúmeras palestras nas escolas e faculdades – não havia ainda uma universidade em Pernambuco - e conduziu debates no Teatro Santa Isabel. Refiro-me apenas a Pernambuco e ao Recife, pois meus conhecimentos dos eventos naquela época não iam muito além do local onde residia.
Houve também farta distribuição de cartilhas do Método Laubach, em espanhol, pois a versão portuguesa ainda não estava pronta. Nessa época, a revista Seleções do Readers' Digest publicou um artigo sobre Laubach e seu método - muito lido e comentado por todos os brasileiros de então, que, em virtude da guerra, tinham aquela revista como único contato literário com o mundo exterior.
Naquele ano, de 1943, o Sr. Paulo Freire já era diretor do SESI, de Pernambuco - assim ele afirma em sua autobiografia - encarregado dos programas de educação daquela entidade. No entanto, nessa mesma autobiografia, ele jamais confessa ter tomado conhecimento da visita do educador Laubach a Pernambuco. Ora, ignorar tal visita seria uma impossibilidade, considerando-se o tratamento VIP que fora dado àquele educador norte-americano, pelas autoridades brasileiras, bem como pela imprensa e pelo rádio, não havendo ainda televisão. Concomitante e subitamente, começaram a aparecer em Pernambuco cartilhas semelhantes às de Laubach, porém com teor filosófico totalmente diferente. As de Laubach, de cunho cristão, davam ênfase à cidadania, à paz social, à ética pessoal, ao cristianismo e à existência de Deus. As novas cartilhas, utilizando idêntica metodologia, davam ênfase à luta de classes, à propaganda da teoria marxista, ao ateísmo e a conscientização das massas à sua “condição de oprimidas”. O autor dessas outras cartilhas era o genial Sr. Paulo Freire, diretor do SESI, que emprestou seu nome a essa “nova metodologia" - da utilização de retratos e palavras na alfabetização de adultos - como se a mesma fosse da sua autoria.
Tais cartilhas foram de imediato adotadas pelo movimento estudantil marxista, para a promulgação da revolução entre as massas analfabetas. A artimanha do Sr. Paulo Freire "pegou", e esse método é hoje chamado Método Paulo Freire, tendo o mesmo sido apadrinhado por toda a esquerda, nacional e internacional, inclusive pela ONU.
No entanto, o método Laubach – o autêntico - fora de início utilizado com grande sucesso em Pernambuco, na alfabetização de 30.000 pessoas da favela chamada "Brasília Teimosa", bem como em outras favelas do Recife, em um programa educacional conduzido pelo Colégio Presbiteriano Agnes Erskine, daquela cidade. Os professores eram todos voluntários. Essa foi à famosa Cruzada ABC, que empolgou muita gente, não apenas nas favelas, mas também na cidade do Recife, e em todo o Estado. Esse esforço educacional é descrito em seus menores detalhes por Jules Spach, no seu recente livro, intitulado, Todos os Caminhos Conduzem ao Lar (2000).
O Método Laubach foi também introduzido em Cuba, em 1960, em uma escola normal em Bágamos. Essa escola pretendia preparar professores para a alfabetização de adultos. No entanto, logo que Fidel Castro assumiu o controle total do poder em Cuba, naquele mesmo ano, todas as escolas foram nacionalizadas, inclusive a escola normal de Bágamos. Seus professores foram acusados de “subversão”, e tiveram de fugir, indo refugiar-se em Costa Rica, onde continuaram seu trabalho, na propagação do Método Laubach, criando então um programa de alfabetização de adultos, chamado Alfalit.
A organização Alfalit foi introduzida no Brasil, e reconhecida pelo governo brasileiro como programa válido de alfabetização de adultos. Encontra-se hoje na maioria dos Estados: Santa Catarina (1994), Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Sergipe, São Paulo, Paraná, Paraíba e Rondônia (1997); Maranhão, Pará, Piauí e Roraima (1998); Pernambuco e Bahia (1999).
A oposição ao Método Laubach ocorreu desde a introdução do mesmo, em Pernambuco, no final da década de 1950. Houve tremenda oposição da esquerda ao mencionado programa da Cruzada ABC, em Pernambuco, especialmente porque o mesmo não conduzia à luta de classes, como ocorria nas cartilhas plagiadas do Sr. Paulo Freire. Mais ainda, dizia-se que o programa ABC estava "cooptando" o povo, comprando seu apoio com comida, e que era apenas mais um programa “imperialista”, que tinha em meta unicamente "dominar o povo brasileiro".
Pedagogia dos Oprimidos, do educador brasileiro Paulo Freire.
O estranho é que a obra de Paulo Freire não versa sobre educação - certamente não a educação de crianças. Pedagogia dos Oprimidos não menciona nenhum dos assuntos que ocuparam a cabeça dos reformistas da educação durante o século XX: provas, padrões de ensino, currículo escolar, o papel dos pais na educação, como organizar as escolas, que matérias devem ser estudadas em cada série, qual a melhor maneira de treinar professores, o modo mais efetivo de educar crianças desfavorecidas em todos os níveis. Esse best-seller sobre educação é, ao contrário, um tratado político utópico que clama pelo fim da hegemonia do capitalismo e a criação de uma sociedade sem classes. Professores que adotam essas idéias perniciosas arriscam prejudicar seus alunos - e ironicamente, seus alunos mais desfavorecidos sofrerão em maior escala.
Para se ter uma idéia das prioridades do livro, basta dar uma olhada em suas notas de rodapé. Freire não está interessado nos tradicionais pensadores e educadores do Ocidente - não em Rousseau, Piaget, John Dewey, Horace Mann, ou Maria Montessori. Ele cita um leque bem diferente de figuras: Marx, Lênin, Che Guevara, e Fidel Castro, assim como os intelectuais orgânicos radicais Frantz Fanon, Régis Debray, Herbert Marcuse, Jean-Paul Sartre, Louis Althusser, e George Lukács. E não há porque ser diferente, uma vez que sua idéia central é que a principal contradição em toda sociedade é entre "opressores" e "oprimidos" e que a revolução resolverá esse conflito. Os "oprimidos" estão destinados a desenvolver uma "pedagogia" que os leve à sua liberdade. Aqui, numa passagem chave, está como Freire vê seu projeto de emancipação:
A pedagogia do oprimido [é] uma pedagogia que deve ser feita com, e não para, o oprimido (tanto indivíduos ou grupos) numa incessante batalha para recuperar sua humanidade. Essa pedagogia faz da opressão e suas causas objetos de reflexão pelo oprimido, e dessa reflexão virá o engajamento necessário na luta pela sua liberdade. E na luta essa pedagogia se fará constante.
Como essa passagem deixa claro, Freire nunca teve a mais leve intenção de que pedagogia seja algo que se refira ao dia-a-dia na sala de aula, como análise e pesquisa ou qualquer coisa que se leve a uma melhor produção acadêmica dos alunos. Ele almeja algo maior. Sua idiossincrática teoria sobre escolas remete apenas a uma autoconsciência dos trabalhadores e camponeses explorados que estariam "percebendo a opressão no mundo". Uma vez que eles cheguem à noção de que estão sendo explorados, mirabile dictu, "essa pedagogia não mais pertence aos oprimidos e passa a ser uma pedagogia de todos no processo de liberação permanente".
Freire raramente fundamenta sua descrição de luta entre opressores e oprimidos em uma sociedade ou um período histórico em particular, então se tornam difícil ao leitor julgar se o que ele está dizendo faz sentido ou não. Não sabemos se os opressores a que ele se refere são os banqueiros norte americanos, os barões latino americanos ou, ainda, autoritários burocratas da educação. Sua linguagem á tão metafísica e vaga que ele pode simplesmente estar se referindo a um jogo de tabuleiro com dois lados oponentes, os opressores e os oprimidos. Ao fazer análises gerais sobre a luta entre esses dois lados, ele se apóia na formulação padrão de Marx segundo a qual "a luta de classes necessariamente leva a uma ditadura do proletariado [e] essa ditadura significa a transição para a abolição de todas as classes e a uma sociedade sem classes".
Em uma nota de rodapé, entretanto, Freire menciona uma sociedade que de fato atingiu a "permanente liberação" que ele propõe: esse "parece ser o fundamental aspecto da revolução Cultural de Mao". Os milhões de chineses de todas as classes que sofreram e morreram sob o tacão da revolução brutal provavelmente discordam. Freire também oferece conselhos a líderes revolucionários, que "precisam entender a revolução, por causa de sua natureza criativa e liberal, como um ato de amor." O exemplo usado por Freire de seu amor revolucionário é ninguém menos que o símbolo da revolução armada de 1960, Che Guevara, que afirmou que "o revolucionário é guiado por forte sentimento de amor". Freire deixa de mencionar, no entanto que Che foi um dos mais brutais personagens da revolução cubana, responsável pela execução de centenas de oponentes políticos.
Afinal, escuridão e tristeza parecem ser o menor dos problemas do livro, mas assim mesmo é válido citar um trecho da abertura do livro.
Enquanto o problema da humanização sempre foi, do ponto de vista axiológico, o problema central da espécie humana, ele agora toma um caráter de preocupação inevitável. Preocupação pela humanização remete ao reconhecimento da desumanização, não apenas como uma possibilidade ontológica, mas como uma realidade histórica. E à medida que um indivíduo percebe a extensão da desumanização, ele ou ela deve se perguntar se humanização é uma possibilidade viável. Na história, em contextos objetivos e concretos, tanto a humanização quanto a desumanização são possibilidades para uma pessoa enquanto um ser incompleto consciente de sê-lo.
Precariamente traduzindo: humanização é bom e desumanização é ruim. Ah, como nos dias em que os panfletos revolucionários acertaram, como em: "Um fantasma está assombrando a Europa".
Como esse livro sobre opressão, luta de classes, a destruição do capitalismo e a necessidade de uma revolução pode ter sido confundidas com um tratado sobre educação que pode resolver os problemas das escolas do século XXI nas cidades de interior americanas? A resposta para essa questão começa em Pernambuco, um estado do nordeste brasileiro. Nas décadas de 50 e 60, Freire foi um professor universitário e um radical ativista político na capital, Recife, onde ajudou a organizar campanhas em prol da alfabetização de camponeses. Freire percebeu que aulas de alfabetização e civilidade era um bom caminho para fazer com que os camponeses pobres votassem em candidatos radicais. Sua "pedagogia" começou, então, com campanhas para mobilização de um grande número de eleitores, rendendo-lhe poder político.
.
A popularidade da Pedagogia do Oprimido não se deveu somente a teoria educacional. Durante a década de setenta, veteranos das fileiras de protesto estudantis e contra a guerra no Vietnam colocaram de lado seus cartazes e começaram sua "longa marcha para dentro das instituições de ensino", adquirindo Ph. D.s e fazendo parte dos departamentos de ciências humanas. Uma vez dentro das universidades, os esquerdistas incorporaram suas agendas radicais (não importa se Marxistas, feministas ou racistas) em seus ensinamentos. Ao celebrar Freire como um grande pensador as portas se abriram para esses radicais. Sua declaração em Pedagogia do Oprimido de que "não existia uma educação neutra" se tornou um mantra para professores de esquerda que passaram a usá-lo como justificativa para incitar o ódio antiamericano nas salas de aula de universidades.
Por toda parte alguns professores de esquerda reconheceram os perigos para o discurso acadêmico da eliminação do ideal de neutralidade no ensino.
Não existem evidências de que a pedagogia Freireana tenha tido muito sucesso no Terceiro Mundo. Nem que os regimes revolucionários favoritos de Freire como China e Cuba, tenham reformado seus próprios sistemas "bancários" de ensino, no qual os alunos mais brilhantes são controlados, disciplinados, e têm seus conteúdos educacionais rígidos para atenderem as demandas nacionais - e a produção de mais administradores industriais, engenheiros e cientistas. O quão perverso é, então, que apenas nas cidades do interior americanas os educadores Freireanos são levados a "libertar" crianças pobres de uma "opressão" imaginária e os recrutem para uma revolução que nunca virá?
As idéias de Freire são perigosas não somente para os alunos, mas também para os professores comprometidos com esse tipo de educação. Um consenso mais amplo está emergindo entre reformadores da educação de que a melhor opção para enriquecer as conquista acadêmicas das crianças nas cidades de interior americanas é melhorar dramaticamente o nível dos professores que nelas ensinarão. Melhorar a qualidade dos professores numa tentativa de reduzir a diferença entre a educação de crianças pobres e as demais é o maior foco na agenda educacional de Obama. Mas se a qualidade dos professores é agora o principal foco, isso desafia a racionalidade de que a Pedagogia do Oprimido ainda ocupe um lugar de destaque em cursos de treinamento para professores, que certamente nada aprenderão sobre tornarem-se melhores instrutores com seus desacreditados chavões Marxistas.
Na era Obama, finalmente, parece ser inaceitável encorajar professores a levar a agenda política de Freire a sério. Se existe alguma mensagem política que os professores tenham que trazer para seus alunos, é aquela do maior escritor afro-americano, Ralph Ellison, que afirmou ter procurado em seus escritos "ver a América com a consciência de sua diversidade e sua quase mágica fluidez e liberdade... confrontando as desigualdades e brutalidades de nossa sociedade diretamente, ainda que impelindo suas imagens de esperança, fraternidade humana, e realização individual."
Estas informações podem esclarecer até que ponto nossa educação realmente quer preparar, formar pessoas através do conhecimento, inseri-las no mercado globalizado e realmente formar uma população visando o progresso e a prosperidade da nação perante o mundo desenvolvido que concorremos diariamente.

Prof. Marlon Adami

Monstro Coletivo-Totalitário Arreganha os Dentes

O estudante Felipe Svaluto Paúl, autor da primeira denúncia de doutrinação político-ideológica veiculada por EscolasemPartido.org, atiçou, com sua ação corajosa, o monstro coletivo-totalitário que habita o Departamento de História da UFF.
Num grupo de discussão do centro acadêmico, soldadinhos da guarda vermelha e uma professora do Departamento (Adriana Facini) visivelmente transtornada ante a perspectiva de ser a próxima a aparecer no quadro de denúncias do EscolasemPartido.org dão um show de sectarismo, agressividade, ignorância, intolerância, covardia, falsidade e preconceito.
A discussão começou no dia 24/09/04, às 13h26, com uma mensagem intitulada “Soninha Rebel ameaçada por fascistas!!!”, enviada por uma aluna/militante que se autodefine – parece que com inteira razão –, como “recadista, mosca de padaria, burra, cheia de ardor juvenil, insana, office-boy ideológica, sobrevivente e parte da massa protestante”; e, até às 20h07 do dia 26, quando já haviam sido postadas dezenas de mensagens, nenhum dos linchadores quis saber se os fatos relatados na denúncia – ainda não respondida pela professora interessada – eram verdadeiros ou falsos. Estavam, naturalmente, ocupados demais em pregar rótulos ofensivos no malvado Felipe e na “agência babaca-fascista” que veiculou a denúncia.
Foi então que um dos participantes compareceu para dizer que “tudo o que ele [Felipe] denunciou aconteceu no decorrer das aulas, como eu e a A. testemunhamos, assim como todos os nossos colegas, tirando um ou outro exagero. Os fatos, de modo geral, são verídicos”. Até o momento em que escrevo (27/09, 15h40), esse depoimento não havia sido desmentido.
Os mais equilibrados, é verdade, abstiveram-se de censurar o colega pelo teor da mensagem, com isso reconhecendo, ao menos tacitamente, a veracidade dos fatos; mas criticaram-no duramente por não haver procurado resolver o problema junto ao departamento. Pergunto a esses alunos: – Diante das reações provocadas pela denúncia e conhecendo a professora denunciada, a estrutura e o perfil ideológico do Departamento -- tão bem representado nesse debate pela Profª Adriana Facina --, vocês realmente acreditam que essa providência teria surtido algum resultado? Vocês acham que uma conversa do Felipe com a “Soninha” teria resolvido o problema? Será que a professora, mesmo sendo a pessoa maravilhosa que é, aceitaria numa boa a crítica do aluno, sem assumir uma atitude defensiva, despejando sobre ele – como se disso se tratasse – toda aquela lenga-lenga sobre liberdade de opinião e liberdade de cátedra? E se ele houvesse feito isso, será que vocês estariam, neste momento, debatendo este assunto que é absolutamente vital para a formação de vocês? Não lhes parece, por outro lado, que o assunto interessa à sociedade em geral, que é quem suporta, com o dinheiro dos impostos, todas as despesas da UFF?
Os mais exaltados, porém, não economizaram insultos, partindo direto para o ataque pessoal, na manjadíssima jogada de desqualificar o outro lado mediante a aposição histérica e projetiva de carimbos infamantes: site de extrema-direita, órgão repressor, rapazinho denuncista (adjetivo que, aliás, não sai mais da boca dos esquerdistas...), atos de intolerância, linguagem policialesca, perseguição ideológica de tipo fascistóide, etc.
Numa de suas mensagens, a iniciadora da discussão referiu-se ao colega, ao site e ao curso de História nos seguintes termos:
“O rapazinho recorreu a um orgão repressor e sabia mt bem q haveria retaliações a professora. é um facista sim e repito na cara dele se precisar e faria isso com mt gosto. Ele deve ser processado antes q esta cobra se crie! Ele deve ter noção q ele não tem o direito de fazer o q quer a hora q bem entender. Se ele resolveu fazer historia vai ter q aturar os marxistas , anarquistas, maoistas e a pouta q te pariu e se não gostar q pague olavo de carvalho pra dar aula particular pra ele.”
E pensar que essa menina está apenas começando a sua vidinha profissional... Mas, com toda a certeza, não lhe faltarão oportunidades de trabalho: logo, logo, vai acabar sendo contratada pelo João Pedro Stédile para ensinar História, ou melhor, contar histórias nos Madraçais do MST.
Leiam as mensagens e vejam por si mesmos. É a aplicação rigorosa da estratégia leninista para a destruição do inimigo: Acuse-os do que você faz; xingue-os do que você é.
Prossigo, por isso, dirigindo-me aos soldadinhos da guarda vermelha e à professora mencionados: leiam a “carta de ameaça” enviada pelo site à Prof. Sônia Rebel, seus palermas. Leiam e vejam o quão injustos, fingidos e mentirosos vocês são. Vocês que fazem pose de democratas, de defensores da liberdade de expressão e pensamento, mas que são, na verdade, a fina flor do mais autêntico e sinistro obscurantismo stalinista.
E, por favor, não me venham com o argumento de que “a imparcialidade no ensino da História é um ideal impossível de ser atingido”. Pode ser impossível de ser atingido – e, de fato, o é, como todo ideal –, mas não é impossível de ser buscado! Pelo contrário. O homem de ciência e sobretudo o educador devem ser capazes de uma ascese intelectual; devem ser capazes de mortificar, por assim dizer, as suas crenças e paixões, preferências e antipatias em prol da verdade e da objetividade científicas. O simples fato de saber que seu enfoque pessoal pode estar ideologicamente contaminado já o obriga moralmente a precaver-se contra a influência da ideologia. Em suma: A idéia de que “não existe imparcialidade ou neutralidade nas ciências humanas” deve ser, para o professor, uma advertência, e não um salvo-conduto para a prática daquilo que o site se propõe a combater: a doutrinação político-ideológica em sala de aula, seja de esquerda, seja de direita.
Finalizo com umas palavrinhas à Profª Adriana Facina e um apelo aos alunos de boa-fé.
À primeira eu digo o seguinte: A mensagem que você postou é covarde, desonesta e mentirosa. O EscolasemPartido.org não é um site de extrema direita, como você o qualificou na tentativa de desmoralizá-lo; é declaradamente apartidário. É um site democrático e pluralista, voltado unicamente para o combate à doutrinação político-ideológica nas escolas, não importa, repito, se de esquerda ou de direita. O direito de resposta assegurado pelo site – embora você finja não entender isso – é a prova irrefutável da sua isenção e transparência; e é a prova, também, do seu caráter essencialmente liberal, na medida em que as garantias do contraditório e da ampla defesa constituem, como se sabe, um dos pilares do Estado de Direito. É mentira que o site ou alguém do site tenha ido para os jornais, promovido abaixo-assinados para o MEC e telefonado para o Mário Schmidt para infernizá-lo por haver escrito aquela obra de subliteratura didática que é a “Nova História Crítica”. É mentira que a carta enviada pelo site à Profª Sônia Rebel possua “conteúdo intimidatório”. A comparação entre a denúncia do Felipe e a liberdade de expressão reivindicada por movimentos neo-nazistas é expressão da mais pura patifaria. “Perseguição ideológica de tipo fascistóide” é exatamente o que você está insuflando os soldadinhos a fazer contra o Felipe e contra o site. Mas, tenho de reconhecer, você está certa quando afirma que o movimento iniciado pelo EscolasemPartido.org “é algo extremamente grave”. Grave e perigoso, acrescento, para professores acostumados a deitar calúnias e maledicências a torto e a direito, a distorcer e esconder a verdade dos fatos, apostando na ignorância, na timidez e no espírito de rebanho dos alunos e imaginando-se protegidos pelas cortinas de segredo das salas de aula. Nesse sentido – e já que você se sente ameaçada pelo site – é bom mesmo mobilizar a militância para “não deixar a serpente sair do ovo”. Mas ande rápido, porque a casca ela já rompeu.
Dirijo-me, agora, aos alunos de boa-fé: Não se acovardem! Não tenham medo de defender o que é justo e verdadeiro. Não permitam que suas jovens almas sejam corrompidas pela mentira e pela malícia de professores incapazes de perceber qualquer diferença entre uma cátedra universitária e um carro de som.

As nossas escolas - A mentira como um método

No dia 11 de abril, publiquei aqui posts sobre aulas de um professor de história do Anglo de Tatuí, o já muito famoso “Carlão”. Cheguei a transcrever o que vai num vídeo de 9 minutos e 3 segundos que está no Youtube. Ele é, diga-se, uma verdadeira estrela do site. A maioria dos alunos parece adorar as suas performances. Num dos filmes, vêem-se vários celulares ligados, registrando a sua “dança”, com as telas iluminadas. Impossível ele não saber que está sendo filmado. Um verdadeiro astro. Se você ainda não viu a sua, digamos, palestra sobre os EUA, clique na imagem acima ou aqui. Este vídeo, a exemplo de outros, já estavam no Youtube desde o ano passado. Foi retirado e posto novamente no último dia 20.
Andei escrevendo, há alguns meses, sobre a distorção do material didático nas escolas, o que me rendeu críticas vindas do subjornalismo que mascateia opiniões. Ali Kamel produziu excelentes artigos a respeito no Globo. Entendam: é claro que o tal professor Carlão de Tatuí” — ou “Zezão de São Paulo” ou “Noam Chomsky do MIT” —, em si, tem importância reduzida. O tema que interessa é a manipulação deliberada da realidade em favor de uma ideologia. O que importa discutir é a desinformação como uma militância política.
Aconteceu o que eu imaginava. Para responder às muitas críticas dos comentaristas às aulas do professor, formou-se uma verdadeira corrente de alunos seus, todos muito indignados. Vetei os que traziam ofensas e tal. E guardei alguns. Trato disso no post abaixo deste. Antes, faço questão de republicar o que diz o tal Carlão no vídeo acima (em vermelho). Volto depois.
… porque a principal forma de riqueza estadunidense está em cima de uma indústria; a indústria alimentícia, a indústria de automóveis, a indústria de refrigerantes, a indústria de roupas está toda atrelada à indústria bélica. Isso todo mundo sabe. [mostra um cogumelo atômico na projeção do telão].
Aqui nós temos 1945, ou “até daqui a pouco” e aqui nós temos duas bombas jogadas, uma em Hiroshima e uma em Nagasaki. Porque eles matam! Essa é a idéia da riqueza estadunidense. E eles matam, eles continuam matando. Porque é a principal indústria, porra! “Num” tem muito que se pensar. O que gera a riqueza estadunidense é a indústria bélica. [“passa”, diz para quem cuida do projetor].
Mas não só no Oriente, porque a idéia de indústria bélica começou no século XIX, dentro da América Latina. Depois eles partiram pra África; depois eles partiram pra a Ásia, e agora estão no Oriente Médio, não é? Quer dizer, e tudo isso daqui que nós ‘tamos colocando é justamente o fruto dessa cobiça dos Estados Unidos. E você não pode esquecer que tudo isso é mercado consumidor que acaba sendo gerado pras principais indústrias que apóiam essa mesma indústria bélica, porra! [“passa”, diz para quem cuida do projetor].
E o pior é que… Dá uma olhada nisso! [mostra a tela com imagem de feridos em guerra] O pior é que eles mentem, porra! Eles conseguem controlar a mídia de uma tal forma, que nós acreditamos que tudo que o Jornal Nacional fala é verdade, que o Jornal da Record fala é verdade, que não existe um nazismo presente filtrando a porra das informações.

Você não consegue enxergar neles nada de errado, porque eles conseguem criar uma verdade pela mídia. Então mentem, sim. E mentem mais. E são várias pessoas que mentem. Você não vai encontrar nada, nunca isso aqui na mídia. [mostra imagem de um telejornal]. Você vai encontrar aqui, uma coisa soft, uma coisa light, a felicidade, não é? [mostra imagem de um homem muçulmano segurando o filho morto] Não um pai segurando o filho. [-passa!].
E o pior é que não se dão por satisfeitos. Eles precisam humilhar, não só mentir. Não é? [mostra telão] E aqui, olha, puta que o pariu!, gosto tanto dessa cena, em Cabul, eu acho tão bonita! Aqui nós temos um monte de iraquianos, um estadunidense aqui, “uma” estadunidense, deve tá com uns quinze mão na chana dela, ela tá sorrindo de alegria, não é?, que coisa absurda!, não é, e finalmente, claro, nós temos o grande ícone dessa neocruzada, hoje testada pelos Estados Unidos, que é uma neocruzada, não é? Afinal de contas, antes de ser uma busca pelo petróleo, que seria a contramão de qualquer tendência, hoje, mundial, é uma guerra contra o islamismo.
E ofende a nossa inteligência… tribunal no Iraque? Se a ONU não permitiu a invasão no Iraque e eles invadiram, como é que a gente vai ter um tribunal hoje no Iraque, pra julgar os condenados do quê? Afinal de contas, que crime que eles cometeram? Se você conseguir me responder o crime que eles cometeram, palavra de honra, aí dá até pra descartar isso aqui, mas não tem jeito, olha isso aqui [telão] um caminhão-bomba atingiu o quartel general da polícia italiana.[incompreensível]
Mas eles exterminam o futuro também! Não pensem vocês que eles só brincam com o presente: eles trabalham o passado, fodem com o presente pra aniquilar lá no futuro. [telão] Isso aqui é uma criança, isso aqui é uma criança, eu me surpreendo, às vezes, quando eu começo a pensar, como é que a gente pode continuar acreditando que um mundo melhor possa ser construído com a presença deles? Incomoda. Eu acho que é o mesmo que, talvez, os gregos pensassem dos romanos. Essa criança ainda tá feliz, aquela também. [Passa].
Mas não só. É no mundo inteiro. Eles são cosmopolitas. É por isso que, eu não sei se vocês perceberam, todos os Estados Unidos são obesos. É claro que salvo nos filmes que nós assistimos. Essas pessoas não fazem parte de um Spa, patrocinados pelos Estados Unidos. No mundo inteiro. E não tem jeito! Se nós não entendermos de alguma forma, veja, a única forma de se impedir um país capitalista imperialista é evitar consumir produtos desse país, eu não consigo enxergar outra forma. Eu sei que eles fazem isso, porque eles vão impedir na base, porque a indústria do lucro é a indústria da guerra.
Eles vão financiar sempre, sempre. [mostra imagens do Bush, de armas e de pessoas e crianças armadas]. Esse revólver eu achei de uma coisa tão bonita! Porque aonde eles entram, entra o mercado também. Onde eles dominam, é um mercado que [inaudível]... E as indústrias estadunidenses patrocinam a guerra porque precisam de mercado consumidor. Não precisa falar muito, quanto maior a miséria, maior a riqueza. Como é que será que uma pessoa pode ter a consciência de viver bem sabendo que existe isso? Eu não consigo, eu não consigo imaginar. Eles conseguem! volto a colocar também: não são todos, hein, só 50% mais um. São seres humanos! Eu não coloquei o Brasil aqui pra não chocar.
Não vai acabar! É essa minha preocupação: não vai acabar. Eu particularmente acho que não, eu não vou tá vivo pra ver, não. A gente precisa dar uma basta, mas devagar, resistir, tentar se conter a tomar uma coca-cola. Eu sei que é difícil. É preciso pagar e deixar o Hollywood, o cigarro. Devagarzinho. Isso vai acabar. Isso vai acabar assim: [imagens do planeta e de um cogumelo atômico]. Aqui é o nosso planeta, ou vai acabar dessa forma, ou as duas coisas juntas. Eu acho que é o mais provável, ou não! Ou talvez a gente consiga, de uma forma ou de outra, resistir a isso. Eu não sei como, palavra! Eu não tenho uma fórmula pra isso. Eu acho que nós poderíamos encontrar alguma alternativa. Por isso que eu tô fazendo uma homenagem a esse povo com as torres gêmeas. Eu tô muito sensível a isso, tem pessoas inocentes que morreram nas torres gêmeas. Por isso que, sem macaquice, eu vou até lá chamar o Luis pra falar sobre isso. [sai da sala]
Mentiras e mistificações- é mentira que toda a indústria americana esteja atrelada à indústria bélica;
- é mentira que os EUA promovam “a guerra” em busca de mercado consumidor. Onde? Em Bagdá? Em Cabul?;
- é mentirosa a relação “quanto maior riqueza (nos EUA), maior pobreza no mundo”. Os EUA enfrentam hoje uma recessão, e a China, por exemplo, nunca foi tão rica. Ou mesmo o Brasil;
- é mentirosa a tese de que o boicote a produtos americanos prejudicaria o “império”, até porque a globalização atomizou a produção em busca de mão-de-obra mais barata. A China, o Brasil e até o pobre Vietnã produzem boa parte de produtos que têm etiquetas de empresas americanas e européias. Um boicote é coisa de uma mente delirante. Mas, ainda que desse certo, iria desempregar pessoas em países pobres;
- é mentira que a ONU permita (ou não) invasões; o Conselho de Segurança pode vetar resoluções; no caso do Iraque, não houve veto. Só não houve aquiescência com a invasão. A diferença faz… toda a diferença. Os EUA não desrespeitaram resolução nenhuma.
O problema da aula deste senhor não é seu esquerdismo barato, mas seu esquerdismo ignorante — e caro, sim, para os pais dos alunos. Um professor que diz que uma militar americana está sorrindo porque há “uns 15 com a mão na chana dela” se autodefine: tenta responder à brutalidade que supostamente acusa com outra. Sei bem que as aulas de cursinho, em muitos casos, optam pelo espetáculo e pela linguagem de futebol de várzea. Algumas empresas pedem que os alunos dêem notas a seus professores, e estes se tornam, então, reféns do Ibope. Carlão deve receber sucessivos “dez com louvor”. Já fui professor. Sei como funciona a máquina. Esse mecanismo de aferição de popularidade é detestável e torna o docente, muitas vezes, um animador de auditório.
Mas há duas coisas aí:
a – ninguém obriga o professor a ter esse emprego;
b – pode-se, suponho, dar uma aula de historia ou de qualquer outra disciplina sem mentir. Carlão me diga quais são as suas referências bibliográficas — não valem jornaizinhos do PC do B, do PSTU ou de militantes políticos —, e vamos, então, conversar. Eu duvido que essa sua “palestra” esteja nas apostilas do Anglo, por mais equivocadas que fossem do ponto de vista ideológico. Como duvido que o Anglo — ou a escola de Tatuí que tem convênio com o curso pré-vestibular — aprove a sua pantomima “em homenagem” ao 11 de Setembro. Carlão se vestiu de terrorista árabe (ver abaixo), com aviãozinho na mão, e dançou ao som de Ivete Sangalo: “Vai rolar a festa”. Uma performance tão idiota quanto macabra. Morreram mais de três mil pessoas naqueles atentados.

Um professor de história pode e deve debater o 11 de Setembro com os seus alunos e a posterior reação do país agredido. Exijo que ele defenda, como defendo (deixo bem claro), a ação americana? Não! Mas há formas de censurá-la sem apelar para a mentira, para a baixaria, para um vocabulário chulo. Digo e assino embaixo, senhores alunos do Carlão — e sou eu a fazê-lo, não a VEJA (assim como a aula é do Carlão, não do Anglo): na transcrição acima, o que há de suposta informação é nada menos do que mentira e mistificação. O resto é proselitismo ideológico. Ele tem o direito de fazê-lo? Na minha opinião, não em sala de aula. E a razão é simples: está estabelecida ali uma relação de autoridade, por mais “bacana” e camarada que ele seja. E ele não pode expor os alunos às suas idiossincrasias políticas. Pouco importa se é professor de história ou de biologia.
Ademais, o que dizer de um professor que afirma que os EUA vão à guerra para ganhar mercado consumidor e, minutos depois, que se trata de uma “nova Cruzada” contra o islamismo? Será que Carlão é assim tão inocente? Sabem quem se refere ao Ocidente como a união dos “novos cruzados com os sionistas”? Osama Bin Laden. Sim, a “teoria” de Carlão tem autoria: a Al Qaeda. E isso eu posso provar se ele quiser. E ele não poderá provar que toda a indústria americana é subordinada à indústria bélica.
Seus alunos me acusam, numa verdadeira corrente — e é bom que saibam que não tenho receio de correntes —, de magnificar um simples vídeo de Internet, sem conhecer o “verdadeiro Carlão”. Bem, pretendo me poupar desse desgosto, mas reparem: ele falou aquelas coisas; ele dançou aquela música, ele vestiu aquela roupa. Seja qual for o verdadeiro Carlão, aqueles “carlões” que se vêem também são ele.
O professor, como vocês viram, deu a senha aos estudantes: “Tudo culpa da mídia; não acreditem na mídia”. Deixe-me ver: a esta altura, lutam contra a mídia Dilma Rousseff, Tarso Genro, Alexandre Nardoni, Anna Carolina Jatobá e Carlão. Outro que não gostava da mídia era Renan Calheiros. Delúbio Soares tem horror dela. Marcos Valério a deplora com todas as forças. Zé Dirceu a considera hedionda. Ah, sim: Lula também não gosta. Tanto é assim, que resolveu criar uma só pra ele: a tal TV Pública — o problema é que ninguém vê.
“Por que Carlão? É só ele?” É claro que não. Falo dele porque estou lidando com uma informação pública, que está na Internet. Se mera ocorrência isolada, eu nem tocaria no assunto. Mas sei que o homem é uma legião. Eles se espalham por aí, escolas afora, especialmente nas particulares, oferecendo sua “consciência” aos estudantes, que depois levam alguns anos para se livrar das deformações.
Ademais, deploro essas aulas-espetáculo, de que ele está longe de ser o único representante. Nos comentários que me chegaram, dizem os estudantes qualquer coisa como: “Ele torna legal o que poderia ser muito chato”. Nada contra isso em particular, embora o “legal” devesse ser substituído por “compreensível”. A didática era assunto que já preocupava os gregos. O que lastimo é que parte desse desempenho teatralizado esteja a serviço, nos vídeos que vi, da mentira mais grotesca.
Não há nada mais simples — e intelectualmente mais covarde — do que atribuir aos Estados Unidos, ao capitalismo e ao mercado as mazelas do mundo. Até o petismo mais rombudo e estúpido já desistiu dessa tara ideológica. Será que Carlão ensina aos alunos dele o que aconteceu quando tentaram criar uma altenativa? Será que ele relatou a seus alunos os 35 milhões de mortos de Stálin, os 70 milhões de mortos de Mao, os 3 milhões de mortos de Pol Pot, os mortos da ditadura cubana, que eliminou, na relação por 100 mil habitantes, 2.600 vezes mais do que a ditadura militar brasileira?
Peçam para ele lhes dar essa aula. E ponham o resultado no Youtube. Comentarei com prazer. E noto: não fui eu a filmar a aula nem a torná-la pública num site que está no mundo inteiro. Lamento. Lamento muito o que estão fazendo nas escolas com nossas crianças e com nossos jovens. O Brasil amarga os últimos lugares nos exames internacionais — o desempenho das escolas particulares é igualmente sofrível. Como se vê, não é por acaso.
Ah, sim. Carlão não diz “americanos”, mas “estadunidenses” porque, “explicou-me” um de seus fãs, “americano é quem nasce nas Américas, seu ignorante”. Vai ver eu não sabia… É claro que o valente considera isso mais um ato de resistência. Deveria evitar também o termo “índio”, já que deriva de um engano de Cristóvão Colombo, não é mesmo, Carlão? Conta aí pra eles… Santo Deus!
Uma última observação. De tudo o que ele fala, mentiras à parte, há uma compreensão da história que é de arrepiar. Referindo-se aos americanos, pergunta: “Como é que a gente pode continuar acreditando que um mundo melhor possa ser construído com a presença deles?” Logo, deve-se entender que um mundo melhor só se constrói SEM a presença deles — uma tese, sem dúvida, esposada hoje pelo terrorismo islâmico.
E filosofa em seguida: “Eu acho que é o mesmo que, talvez, os gregos pensassem dos romanos.” Ora, o Império Romano não se construiu roubando de ninguém o direito natural de ser também império. Venceu guerras. Não fosse ele, seria outro. Quem universalizou a civilização helênica foram os senhores romanos, não os escravos gregos. Não reconhecer isso é deixar de fazer história para fazer apenas julgamento moral do passado. Se ele, que odeia tanto o Império Americano — e, como se vê, quer destruí-lo — faz um paralelismo com os romanos, então devemos concluir, na sua linha de, por assim dizer, raciocínio, que o Império Romano também foi um mal para a humanidade. Nessas alturas da estupidez, nem o marxismo chegou.
É assim que se está ensinando história no Brasil. E isso, creiam, explica muita coisa.