Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Comemoração da mafia!

O líder do PT, Cândido Vaccarezza comemora a absolvição de Jaqueline Roriz. Efusiva e entusiasticamente. Não é à toa que o PT é considerado o partido mais corrupto do Brasil.

Fidel em coma: A mumia marxista

 

O jornalista venezuelano Nelson Bocaranda Sardi, do diário "El Universal", disse nesta segunda-feira que o estado de saúde de Fidel Castro piorou e ele está internado numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Havana. Nelson Bocaranda Sardi foi o primeiro jornalista na Venezuela a dizer que Chávez tinha câncer e é um dos mais bem informados sobre a doença do presidente. Seu texto sobre a saúde Fidel, que completou 85 anos neste mês, reforçam rumores que já circulavam no Twitter. Segundo o jornalista, o agravamento do estado de Fidel levou o presidente venezuelano, Hugo Chávez, a fazer o quarto ciclo de quimioterapia em Caracas - os três primeiros foram em Havana. 

Em seu blog , o venezuelano afirma que Fidel chegou a ficar em coma no domingo, mas se recuperou no mesmo dia. O tratamento estaria sendo feito na própria casa do líder cubano, que é equipada com uma sala de emergência hospitalar e uma unidade de tratamento intensivo. O governo de Havana manteve-se em silêncio diante dos rumores. Pelo Twitter, a blogueira cubana Yoani Sánchez disse desconhecer a informação."Meu telefone não para de tocar. Todos perguntam se é verdade que (o estado de) Fidel está muito grave. Não sei. Se sim, nós, cubanos, seremos os últimos a saber", escreveu.

Aviso! Olavo de Carvalho

Não haverá True Outspeak hoje, 31 de agosto de 2011. Na hora do programa o prof. Olavo de Carvalho estará internado no hospital da Virginia Commonwealth University para remoção de duas pedras entaladas no canal pancreático, que ficaram gritando “Esqueceram de mim!” desde a cirurgia de vesícula que ele sofreu em 2003.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

COMUNIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO NACIONAL

Cuidado,
Estão querendo comunizar as escolas....
"Quem educa são os pais... Professor ensina"

Historicamente, quem tomou para sí a EDUCAÇÃO das crianças foram os comunistas da China, URRS, Corea do Norte..... etc.
Suas crianças voltam para casa apenas para dormir... quando voltam..

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou na noite desta terça-feira (30), na Bahia que, a pedido da presidente da República, Dilma Rousseff, a pasta estuda como viabilizar a antecipação da meta de aumentar a rede pública de ensino para atender os alunos em período integral.

“Com o [programa] Mais Educação, já estamos com 15 mil escolas [atendidas], a presidente pediu um estudo para anteciparmos as metas de 2014, nós pretendíamos chegar em 32 mil escolas até 2014. A presidente está ansiosa para que nós atinjamos esta meta em 2013 e liberamos verba para chegar a 40 mil, 45 mil escolas em 2014”, declarou o ministro durante sua exposição no 4º Fórum Nacional Extraordinário de Dirigentes Municipais de Educação.

A idéia do programa é oferecer atividades fora do horário de aula, permitindo que os estudantes permaneçam na unidade educacional por período integral fazendo outras atividades de cunho cultural, esportivo, entre outras.

Segundo dados do MEC, o programa teve início em 2008, com a participação de 1.380 escolas em 55 municípios em todos os Estados do país, e beneficiava 386 mil estudantes. Em 2009, houve a ampliação para 5.000 escolas em 126 municípios, e em 2010, a meta era atender 10.000 escolas. Ampliar o ensino integral foi uma das bandeiras levantadas durante a campanha presidencial de Dilma.

Em seu discurso, Haddad destacou ainda que a criação deste programa foi resultado das reivindicações dos municípios e ressaltou que as famílias têm o papel fundamental para permitir que as crianças e os adolescentes possam estudar.

Diante da campanha dos dirigentes municipais de pedir que 10% do PIB seja destinado à educação, Haddad comentou que “será uma pena que não vou estar no MEC para investir este dinheiro todo”, uma vez que ao final do primeiro trimestre do ano que vem ele será obrigado a deixar o cargo caso se lance como candidato - o ministro postula a candidatura à Prefeitura de São Paulo.

A participação do petista encerrou o primeiro dia do evento que reúne mais de 1.500 dirigentes e secretários municipais de educação de todo o país, organizado pela Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação).

A presença de Haddad, no entanto, testou sua popularidade. Em vários momentos ele foi ovacionado ao citar o aumento em três vezes do orçamento da pasta durante o goveno Lula. Depois de sua fala, por mais de meia hora, ele foi obrigado a tirar fotos com os presentes que se amontoaram para cumprimentá-lo pessoalmente.

*A jornalista viajou a convite da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação).

Biografia de José Dirceu

Transformar um quarto de hotel em aparelho clandestino é sinal de pouca inteligência. Transformar um endereço no centro de Brasília em esconderijo para tramoias políticas e/ou comerciais envolvendo figurões do governo e do Congresso é prova de indigência mental. Fazer essas coisas simultaneamente só pode ser coisa do companheiro José Dirceu. Como comprova a reportagem de capa da edição de VEJA, ele nunca perde a chance de engrossar a colossal coleção de ideias de jerico inaugurada já nos tempos de líder estudantil.
Em 1968, Dirceu conseguiu namorar a única espiã da ditadura militar. Se quisesse prendê-lo, a polícia poderia dispensar-se arrombar a porta: Heloísa Helena, a “Maçã Dourada”, faria a gentileza de abri-la. Ainda convalescia do fiasco amoroso quando resolveu que o congresso clandestino da UNE, com mais de mil participantes, seria realizado em Ibiúna, com menos de 10.000 moradores. Até os cegos do lugarejo enxergaram a procissão de forasteiros.
No primeiro dia, mandou encomendar 1.200 pães por manhã ao padeiro que nunca passara dos 300 por dia. O comerciante procurou o delegado, o doutor ligou para a Polícia Militar e a turma toda acabou na cadeia. Ninguém reclamou: enquanto o congresso durou, todos haviam tentado dormir sob a chuva por falta de tetos suficientes. Incluído no grupo dos resgatados pelos sequestradores do embaixador americano, Dirceu avisou que lutaria de armas na mão contra a ditadura e foi descansar na França.
O lutador exilado empunhou taças de vinho num bistrô em Paris até trocar a Rive Gauche pelo cursinho de guerrilheiro em Cuba. Com o codinome Daniel, aprendeu a fazer barulho com fuzis de segunda mão e balas de festim, submeteu-se a uma cirurgia para deixar o nariz adunco, declarou-se pronto para derrubar a bala o regime militar e, na primeira metade dos anos 70, voltou ao Brasil. Percebeu que a coisa andava feia assim que cruzou a fronteira e, em vez de trocar chumbo no campo, foi trocar alianças na cidade.
Fantasiado de Carlos Henrique Gouveia de Mello, negociante de gado, baixou em Cruzeiro do Oeste, no interior do Paraná, casou-se com a dona da melhor butique do lugar e entrincheirou-se balcão do Magazine do Homem, de onde só saía para dar pancadas em bolas de sinuca no bar da esquina. Em 1979, quando a anistia foi decretada, Carlos Henrique, apelidado de “Pedro Caroço” pelos parceiros de botequim, abandonou a frente de combate municipal, o filho de cinco anos e a mulher, que só então descobriu que vivera ao lado do revolucionário comunista menos belicoso de todos os tempos.
Livre de perigos, afilou o nariz com outra cirurgia plástica, ajudou a fundar o PT e não demorou a virar dirigente. Ao tornar-se presidente, escolheu Delúbio Soares para cuidar da tesouraria. Depois da campanha vitoriosa de Lula, não se contentou com a chefia da Casa Civil: promoveu-se a superministro e monitorou o preenchimento dos milhares de cargos de confiança.
Nomeado capitão do time do Planalto, mandou e desmandou até a explosão do escândalo protagonizado por Valdomiro Diniz, o amigo vigarista com quem dividira um apartamento em Brasília. E então o país descobriu que o herói de Passa Quatro transformara um extorsionário trapalhão em Assessor para Assuntos Parlamentares. Atirado à planície pelo escândalo do mensalão, conseguiu ser cassado por uma Câmara dos Deputados que não pune sequer os integrantes da bancada do PCC.
Sem mandato, com os direitos políticos suspensos e desempregado, descobriu que estava pronto para prosperar com o tráfico de influência. Desde 2005 junta dinheiro como facilitador de negócios feitos por capitalistas selvagens. E hoje é chamado de Jay Dee por patrões que, na hora de tratar os detalhes do acerto, mandam a criançada sair da sala e vão à janela para saber se algum camburão estacionou por perto.
Quem se dedica a tal ofício tem de ser discreto. Dirceu acha possível seguir embolsando boladas de bom tamanho como “consultor” sem abandonar a discurseira contra a elite golpista e a mídia reacionária, sem renunciar à luta pelo controle do PT, sem arquivar a saudade dos tempos de primeiro-ministro, sem despir o uniforme de guerrilheiro de araque. A reportagem de VEJA contou a última dessa flor de esquizofrenia. Logo será a penúltima.
O TIRO NO PÉ DO GUERRILHEIRO DE ARAQUE -  AUGUSTO NUNES/BLOG VEJA
No momento, Dirceu jura que houve uma tentativa de invasão do aparelho clandestino montado em Brasília. Ele também vive jurando que o mensalão não existiu. “Tenho uma biografia a preservar”, recitou mais uma vez o chefe do que o procurador-geral da República qualificou de “organização criminosa sofisticada”. Aos 65 anos, enquanto o Brasil decente espera que o Supremo Tribunal Federal cumpra o seu dever, o que tem José Dirceu é um prontuário a esconder.
Transformar um quarto de hotel em aparelho clandestino é sinal de pouca inteligência. Transformar um endereço no centro de Brasília em esconderijo para tramoias políticas e/ou comerciais envolvendo figurões do governo e do Congresso é prova de indigência mental. Fazer essas coisas simultaneamente só pode ser coisa do companheiro José Dirceu. Como comprova a reportagem de capa da edição de VEJA, ele nunca perde a chance de engrossar a colossal coleção de ideias de jerico inaugurada já nos tempos de líder estudantil.

Em 1968, Dirceu conseguiu namorar a única espiã da ditadura militar. Se quisesse prendê-lo, a polícia poderia dispensar-se arrombar a porta: Heloísa Helena, a “Maçã Dourada”, faria a gentileza de abri-la. Ainda convalescia do fiasco amoroso quando resolveu que o congresso clandestino da UNE, com mais de mil participantes, seria realizado em Ibiúna, com menos de 10.000 moradores. Até os cegos do lugarejo enxergaram a procissão de forasteiros.
No primeiro dia, mandou encomendar 1.200 pães por manhã ao padeiro que nunca passara dos 300 por dia. O comerciante procurou o delegado, o doutor ligou para a Polícia Militar e a turma toda acabou na cadeia. Ninguém reclamou: enquanto o congresso durou, todos haviam tentado dormir sob a chuva por falta de tetos suficientes. Incluído no grupo dos resgatados pelos sequestradores do embaixador americano, Dirceu avisou que lutaria de armas na mão contra a ditadura e foi descansar na França.
O lutador exilado empunhou taças de vinho num bistrô em Paris até trocar a Rive Gauche pelo cursinho de guerrilheiro em Cuba. Com o codinome Daniel, aprendeu a fazer barulho com fuzis de segunda mão e balas de festim, submeteu-se a uma cirurgia para deixar o nariz adunco, declarou-se pronto para derrubar a bala o regime militar e, na primeira metade dos anos 70, voltou ao Brasil. Percebeu que a coisa andava feia assim que cruzou a fronteira e, em vez de trocar chumbo no campo, foi trocar alianças na cidade.
Fantasiado de Carlos Henrique Gouveia de Mello, negociante de gado, baixou em Cruzeiro do Oeste, no interior do Paraná, casou-se com a dona da melhor butique do lugar e entrincheirou-se balcão do Magazine do Homem, de onde só saía para dar pancadas em bolas de sinuca no bar da esquina. Em 1979, quando a anistia foi decretada, Carlos Henrique, apelidado de “Pedro Caroço” pelos parceiros de botequim, abandonou a frente de combate municipal, o filho de cinco anos e a mulher, que só então descobriu que vivera ao lado do revolucionário comunista menos belicoso de todos os tempos.
Livre de perigos, afilou o nariz com outra cirurgia plástica, ajudou a fundar o PT e não demorou a virar dirigente. Ao tornar-se presidente, escolheu Delúbio Soares para cuidar da tesouraria. Depois da campanha vitoriosa de Lula, não se contentou com a chefia da Casa Civil: promoveu-se a superministro e monitorou o preenchimento dos milhares de cargos de confiança.
Nomeado capitão do time do Planalto, mandou e desmandou até a explosão do escândalo protagonizado por Valdomiro Diniz, o amigo vigarista com quem dividira um apartamento em Brasília. E então o país descobriu que o herói de Passa Quatro transformara um extorsionário trapalhão em Assessor para Assuntos Parlamentares. Atirado à planície pelo escândalo do mensalão, conseguiu ser cassado por uma Câmara dos Deputados que não pune sequer os integrantes da bancada do PCC.
Sem mandato, com os direitos políticos suspensos e desempregado, descobriu que estava pronto para prosperar com o tráfico de influência. Desde 2005 junta dinheiro como facilitador de negócios feitos por capitalistas selvagens. E hoje é chamado de Jay Dee por patrões que, na hora de tratar os detalhes do acerto, mandam a criançada sair da sala e vão à janela para saber se algum camburão estacionou por perto.
Quem se dedica a tal ofício tem de ser discreto. Dirceu acha possível seguir embolsando boladas de bom tamanho como “consultor” sem abandonar a discurseira contra a elite golpista e a mídia reacionária, sem renunciar à luta pelo controle do PT, sem arquivar a saudade dos tempos de primeiro-ministro, sem despir o uniforme de guerrilheiro de araque. A reportagem de VEJA contou a última dessa flor de esquizofrenia. Logo será a penúltima.
O TIRO NO PÉ DO GUERRILHEIRO DE ARAQUE -  AUGUSTO NUNES/BLOG VEJA
No momento, Dirceu jura que houve uma tentativa de invasão do aparelho clandestino montado em Brasília. Ele também vive jurando que o mensalão não existiu. “Tenho uma biografia a preservar”, recitou mais uma vez o chefe do que o procurador-geral da República qualificou de “organização criminosa sofisticada”. Aos 65 anos, enquanto o Brasil decente espera que o Supremo Tribunal Federal cumpra o seu dever, o que tem José Dirceu é um prontuário a esconder.

Manifestações contra a corrupção mobilizam internautas no Facebook

No início de maio, uma brincadeira no Facebook reuniu mais de 50 mil adeptos e se transformou no “Churrascão da Gente Diferenciada”, que reuniu centenas de paulistanos para protestar contra a desistência do governo de construir um metrô na Avenida Angélica, em Higienópolis. Desde então, a ideia de promover eventos com o amparo da rede social se disseminou. Há um mês, um grupo de cariocas criou o movimento “Todos juntos contra a corrupção”, que pretende transformar a mítica Cinelândia, no dia 20 de setembro, em palco da primeira grande manifestação contra a safra de escândalos envolvendo figuras de governo — como os ex-ministros Antonio Palocci, da Casa Civil, Alfredo Nascimento, dos Transportes, e Wagner Rossi, da Agricultura. Segundo os organizadores, cerca de 17 mil pessoas já garantiram presença.
nspirados no exemplo carioca, grupos de brasileiros inconformados com a corrupção endêmica começam a movimentar-se em mais de 20 capitais. Os atos de protesto estão marcados para 7 de setembro, Dia da Independência. Só em São Paulo, são previstos quatro eventos no MASP, na Avenida Paulista. Um deles é o desfile da escola de samba “Unidos contra a corrupção”. Por enquanto, prevê-se o comparecimento de 18 mil convidados.
Somados, os internautas que traduzem sua indignação no Facebook passam de 100 mil. Alguns prometem participar das manifestações vestidos de preto, outroa optaram pelo verde e amarelo. Os líderes dos movimentos se declaram apartidários. Acham apenas que chegou a hora de levar às ruas a indignação de boa parte dos brasileiros contra a corrupção impune.
Confira aqui os eventos já programados.

O PSDB é oposição?

O Brasil está bem de "zoposissão" O PSDB é o partido de um homem só. Parece que é unanimidade entre os opositores dos ratos vermelhos a atuação do Senador Álvaro Dias. 
Na minha visão acredito que toda unanimidade é burra, mas...
Não vemos nenhum tipo de estratégia dos tucanos e aliados para barrar o avanço da rataiada vermelha no país.
Assim como nas ultimas eleições, os tucanos adoram ficar de conversa fiada e fazer de conta que é oposição. 
O partido é um balaio de gatos onde a vaidade e a marca registrada.
Mais de quarenta milhões de votos não foram para a Dentuça e o PSDB esperando o bonde da história passar. Não se mobilizam, não tem liderança, não tem voz, a não ser a estratégia esperta do Senador Álvaro Dias de fazer oposição continua e midiática contra o DESgoverno de Banânia.
O Senador vai angariando seus votinhos o PSDB sumindo e esvaziando e nós que somos opositores do regime dos ratos vermelhos ficando à cada dia mais sem representatividade junto ao congresso nacional.
Ver o FHC, Aécio e o Alkimin se desdobrando em sorrisos e salamaleques para a PresidANTA Dilmarionete foi de dar enjôo em comprimido de Dramin.
Mas essa é a forma Tucana de fazer política, vivem se engalfinhando não são uma oposição efetiva ao governo, e não sabem aproveitar os 40 milhões de votos contrários ao PT. E traem seus eleitores diariamente.
Infelizmente à cada dia que passa vemos que estamos entregues à própria sorte e se a população não se mobilizar por sí mesma, corremos o risco de viver sob as ordens dos ratos vermelhos ad eternum. Uma vez que oposição efetiva não existe no Brasil.
Enquanto eles fazem de conta que se opõe, nós fazemos de conta que acreditamos. Se não aparecerem novas lideranças para criar um novo partido realmente voltado para os 40 milhões de insatisfeitos, nada vai mudar.
O PSDB mostra que é um partido fraco, sem liderança que vive de lambanças, deixaram o Sebento tomar para sí os programas sociais, usar e abusar da máquina pública calados.
Na verdade parece que o PSDB queria na verdade ser um PT da vida.
E os Tucanos ainda não admitem. Ou é estratégia mesmo?

O Mito Loki

 

Por Körbes Hauschild

Muito bela é a versão nórdica sobre o mito Europeu, é também relativamente conservada em muitos pontos. O problema são os detalhes adulterados pela História.

Não só Wotan é o herói anti-deus, ao invés de Demiurgo, mas Loki, além de traidor é imperfeito, bem o contrário do que se diz. Os deuses leais como Wotan são o oposto de Loki, lutam pelo alcance nacional dos Céus, enquanto o bando de Loki pretende destruir as portas do Inferno para que ninguém escape dele. Loki é a versão demiúrgica da tradição nórdica.

A atribuição de inteligência e niilismo à Loki (Loke, Luk) se dá provavelmente pelo fato de servir à Criação. Loki criou o mundo, de fato; aprisonou outros deuses nele, e a última coisa que quer é deixar que escapem dele. Loki, quando vê sua criação perdendo sentido e que os deuses aprisionados nela encontraram uma porta de saída, libera a Ragnarök, a Batalha Final, o Juízo Final, para usar suas últimas forças contra a fuga dos deuses; e é aí que perde o equilíbrio sobre sua própria obra, ordena esmagar o próprio universo com remorso, procura castigar a todos que comeram do Fruto Proibido (a Sabedoria), e assim destruir todas as portas com os deuses dentro do Inferno; no fim consegue a morte de Wotan. Mas não se enganem, Wotan está pré-destinado à morrer em todos os ciclos por todos os semi-deuses presos, é assim que se liberta da carne para voltar a liderar no Valhalla, e neste lugar é que retoma as estratégias, já preparado para reencarnar no Inferno novamente.

A prova de que Loki é imperfeito está nas leis universais, nas influências que passa. São todas imperfeitas, e é pelos ‘buracos’ e ‘espaços em branco’ que os deuses leais conseguem se mover e atribuir uma estratégia de fuga em massa. Os universos paralelos, quando por falta de sincronia se encontram, deformando a física de ambos, acentuam a deficiência do criador. A própria física real pode ser contestada, e isso é um defeito na obra.

Outro problema é Loki ser admirado pelo homem moderno como niilista. Como se tal visão de mundo fosse parte de grande caráter. É que hoje, o homem niilista é aquele deficiente físico que não pega sol, mas aceita as políticas sinárquicas, é o chamado “nerd” que crê-se malvado e correto usando símbolos satanizados comprados no mercado, é o que sabe matemática porém não sabe fritar um ovo. Pois exatamente assim é Loki, se vangloria tentando aparecer como um Grande Arquiteto obscuro e místico, e a falta de raciocínio amplo o faz criar coisas imperfeitas e cruéis. Não é coincidência que no mundo moderno a arte é destruidora e feia, desagradável, muito distinta à arte dos tempos antigos da Europa ou então das de cavalaria medievais.

Loki é adorado por muitos povos, ele elege povos para servir de lacaios na Guerra Eterna. Esses lacaios tentam agregar o mundo inteiro, tomar o controle, para enganar assim à todos e tirar a capacidade de fuga, acabando com suas crenças e mitos originais. Se o homem moderno ficou refletido por Loki em questão de tempo, o contrário da Europa original de Wotan, se conclui que a causa da destruição cultural massiva é estrangeira e não necessariamente interna (a não ser que a preguiça seja religiosamente um problema interno, mas não é).

E essa visão é compartilhada pelos mitos de toda a Europa, com a diferença dos nomes. Em todo o continente temos líderes divinos declarando guerra e Libertação contra um deus “inteligente” e gigante, simbolizando a obra e a supremacia universal. Podemos encontrar algo parecido também em alguns povos da América. Apollo, Lúcifer e Ketzal-Coatl são também Wotan.

TA TUDO DOMINADO, BRASIL DOS GUERRILHEIROS COMUNAS!

O mensaleiro José Genoino, um dos réus do maior caso de corrupção da politica brasileira, agora é assessor especial do Ministério da Defesa. Hoje ele afirmou que a expectativa da pasta é de que o Congresso Nacional vote em setembro o projeto de lei que cria a Comissão da Verdade, que tem como objetivo investigar violações dos direitos humanos ocorridas durante o regime militar. Genoino destacou que já houve conversas com PSDB, PV, PPS e DEM e disse que o esforço do governo federal é aprovar a proposta como foi encaminhada ao Congresso em 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sem a inclusão de emendas parlamentares.
 
Vejam em que ponto chegou o Brasil. O julgamento do Mensalão se arrasta dentro do STF desde 2005, mas um dos mensaleiros, instalado dentro do Ministério da Defesa, tem o desplante e a cara de pau de cobrar que seja votada uma lei para condenar atos praticados há quarenta anos atrás. Este senhor deveria estar preso e não falando em Justiça. Paiseco sem vergonha!

A DEMENCIA MARXISTA DE MARIA DO ROSARIO. SENDO PEDAGOGA É ASSIM, IMEGINEM SE FOSSE GUERRILHEIRA COMO A DILMA!

A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, esteve ontem em São Paulo para participar de uma audiência pública na Assembléia Legislativa. Era a chance que tinha de aprender um pouco. A polícia do Estado — por conta de suas virtudes, não de seus defeitos, que existem e têm de ser corrigidos — tem muitas lições a dar a essa valente sobre direitos humanos. Maria do Rosário poderia ter pisado no estado para aprender a salvar vidas, coisa em que o governo federal se mostra de uma estupenda ignorância. Mas preferiu descer de sua condição — o que não surpreende — para fazer baixo proselitismo partidário contra a polícia mais eficiente do Brasil. É… No cargo, ela não tem se mostrado exatamente uma pessoa prudente. Também não chega a ser, assim, um primor de coerência. Começo por aí.
O governo lançou em abril a sua ridícula campanha em favor do desarmamento. O desarmamento é aquela tese que costuma prosperar entre descolados do Leblon e da Vila Madalena e artistas que andam com segurança privada, segundo a qual o problema do Brasil são as armas LEGAIS e as garruchas enferrujadas, que devem ser entregues ao estado. A tese vigarista, mentirosa, safada — alinhem aí mais uns 200 adjetivos do mesmo paradigma — é que as mais de 50 mil mortes por ano no país são produzidas por elas, não pelas armas ILEGAIS que entram pelas desprotegidas fronteiras brasileiras, por onde também passam cocaína, maconha, muamba etc.
Muito bem! Maria do Rosário não teve dúvida! Aderiu então à campanha e afirmou que as armas legais acabavam caindo nas mãos dos bandidos etc. Vocês conhecem a cascata. Ela só se esqueceu de dizer que, na campanha à Prefeitura de Porto Alegre, em 2008, recebeu R$ 75 mil de doação eleitoral da Taurus, que fabrica… armas, conforme se vê na imagem abaixo, que traz a sua prestação de contas desse monumento à coerência.
maria-do-rosario-taurus
Recentemente, Maria do Rosário foi uma das pessoas que denunciaram, o que repercutiu na imprensa mundo afora, uma suposta onda de extermínio de lideranças sociais no Pará. Investigados os cinco casos, tratava-se de ajuste de contas pessoais — um dos mortos era um bandido foragido. Dois deles morreram em confronto com outro assentado, sendo que um já havia participado, indiretamente, de um homicídio. As mortes precisam ser investigadas, é claro! Mas não havia onda de extermínio coisa nenhuma! Tratava-se apenas de uma fala irresponsável.
Mais de 50 mil pessoas são assassinadas por ano no Brasil, o que é um escândalo. A guerra civil na Líbia está muito longe desse número. Até agora, não se conhece uma só ação — uma miserável que seja — do governo federal para conter esse descalabro. E assim fioi nos oito anos do governo do Babalorixá de Banânia. Nada! No período, o índice de homicídios no Nordeste explodiu. Na Bahia petista, em quatro anos, cresceu mais de 90%. Maria do Rosário, evidentemente, fica de boca fechada. Mas os cinco mortos do Pará viraram uma verdadeira comoção nacional. Este é o PT: cinco mortos levaram o governo federal a mobilizar cinco ministérios numa força-tarefa; 50 mil o deixam inerte porque considera que é assim mesmo, é parte do jogo. Parece que os pobres, quando não têm o que fazer, ficam se matando.
Eu identifiquei o mal moral dessa gente: para eles, existem os mortos com pedigree — aqueles que consideram ligados à sua causa — e os mortos sem pedigree. Diga-se o mesmo sobre a tortura. O Brasil já gastou mais de R$ 5 bilhões pagando o bolsa-ditadura para “perseguidos” e supostos perseguidos do Regime Militar. Os vigaristas deitaram e rolaram. Vai-se criar a Comissão da Verdade para cuidar das violações dos direitos humanos etc. e tal. Pois bem: o Brasil é um dos países onde existe tortura sistemática de presos comuns. E daí? Quem dá bola para torturados comuns?
Maria do Rosário em SPA Polícia Militar de São Paulo tem um  site. Se o internauta acessá-lo e for quase um adivinho, depois de cinco cliques, chegará a uma página da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), que é o Batalhão de Choque. E ali consta a informação de que a PM apoiou o movimento militar de 1964 e atuou na repressão à guerrilha de Carlos Lamarca — era força auxiliar do Exército, como todas as Polícias Militares.
Enfatizo: não e uma página de destaque. Desafio o leitor, aliás, a encontrar a informação. Maria do Rosário, aquela que é contra armas e recebe doação de uma empresa que fabrica revólveres e munição, resolveu deitar falação contra a PM e fazer cobranças ao governador. Afirmou: “Eu considero que todos os Estados da Federação devem fazer também o seu esforço pelo direito à verdade e à memória e pela democracia. Uma página oficial do governo estadual, em um período democrático, que presta homenagem à deposição de um presidente, legitimamente eleito, do presidente João Goulart… Eu me senti aviltada de fato por isso e eu tenho certeza que o governador Geraldo Alckmin tomará providências diante disso porque é uma estrutura do Estado de São Paulo”.
Os mais de 50 mil cadáveres produzidos por ano no Brasil — e o vexame do país só não é maior porque a Polícia de São Paulo cumpre a sua parte — não aviltam essa mulher sensível. Ela quer a verdade? Pois não! EU DIREI A ELA A VERDADE! A mesma página que traz a informação — de resto, aconteceu mesmo, e cumpre não mentir, como fazem as esquerdas — sobre a participação da PM no movimento militar informa a morte do tenente Alberto Mendes Júnior.
A verdade: assassinato covardePoucas mortes no período tiveram tantos requintes de crueldade, torpeza e covardia como a de Mendes Júnior. Sua unidade foi emboscada pela turma do assassino Carlos Lamarca em 1970. O tenente se ofereceu para ficar como refém em lugar de seus homens. Apenas porque considerava que a presença do militar dificultava a andança na mata, Lamarca decretou a sua morte, esmagando seu crânio com coronhadas de fuzil. É a verdade que Maria do Rosário quer, não é? A Polícia Militar e a Rota não devem — e espero que não o façam — abrir mão de exaltar o seu herói. Não precisa mentir sobre si mesma.
Em São Paulo, Maria do Rosário não ensina nada em matéria de direitos humanos. Tem é de aprender. Caladinha — se conseguir… O número de assassinatos por 100 mil habitantes do Brasil é mais que o dobro do paulista. Já fiz essa conta aqui: se o país alcançasse os índices do estado, em vez de mais de 50 mil homicídios por ano, haveria menos de 19 mil. Mais de  31 mil vidas seriam poupadas todos os anos. Buscam-se explicações as mais estrambóticas para o fato — há até quem evoque o Estatuto do Desarmamento, como se ele não vigorasse no país inteiro! —, num esforço brutal de não reconhecer o óbvio: a Polícia de São Paulo — especialmente a militar, que atua no policiamento preventivo — é mais eficiente que a do resto do Brasil. Não por acaso, o estado tem 40% dos presos do país, embora só conte com 22% da população.
Política de Direitos Humanos, minha senhora, é salvar vidas, em vez de deitar falação irresponsável, movida por critérios puramente ideológicos. Depor um presidente eleito não é bonito, claro! Aliás, não é legal. Não acho que deva ser algo a ser exaltado. E praticar terrorismo contra inocentes? E esmagar crânios depois de um “julgamento”feito por um “tribunal revolucionário”? Por que alguns facínoras subiram ao panteão dos heróis e ainda nos custaram bilhões de reais?
O governo Alckmin pode botar as barbas de molho. Os petistas estão trabalhando. Já desfecharam a campanha de 2012. Na Assembléia Legislativa, o PT se mexeu há dias para tentar levar o baguncismo para a Polícia Civil. Agora vem esta senhora, com sua fala ligeira, tentar dar lições de “direitos humanos” a quem não nada tem a aprender com ela, sugerindo que o Estado os desrespeita.  Vergonhoso é contatar que este é um dos países onde mais se mata no mundo, sem que se tenha uma única política federal digna do nome de combate à violência.
Isso, sim,deveria aviltar dona Maria do Rosário!
Por Reinaldo Azevedo

GREVE PETISTA É DEMOCRACIA, CONTRA O PT É REACIONARIO!

Querem enfiar Haddad goela abaixo do eleitor. O esquema é profissional!
Quem aí sabia que mais de 50% dos campi das universidades federais e das escolas técnicas federais estão em greve desde, atenção!!!, 6 de junho??? Quase ninguém.
É isto aí: quando se trata de uma greve contra os companheiros, os manifestantes estão condenados a uma espécie de solidão noticiosa. Enquanto a turma ficava lá reivindicando Deus sabe o quê, Fernando Haddad era lançado pela “imprensa progressista” e também pelos “progressistas” infiltrados no jornalismo sério candidato à Prefeitura de São Paulo. Metade das federais paradas, e o Gugu-Dadá do leninismo estava recebendo Marilena Chaui em sua casa, com ampla cobertura. Marxilena, naturalmente, é favorável a greves na USP — vocês sabem, ela é contra tucanos perversos, mas deve achar que paralisação nas federais é coisa de sabotadores reacionários. É, Lênin, a grande inspiração moral de Haddad, passaria fogo nos contra-revolucionários, né?
Olhem, eu nem sei quais são as reivindicações de alunos e professores. Não costumo ser babá desses movimentos. Podem ser justas, podem ser injustas. Isso, para o meu post, é irrelevante. Este texto não trata de movimento sindical, mas de jornalismo. O que me pergunto é por que o assunto não é pauta de ninguém.
Todos têm as suas ninfas inspiradoras. Também tenho a minha. Noto que Laura Capriglione, a minha Tétis — e as outras Nereidas que povoam todos os veículos —, ainda não foi ver por que as instituições federais estão paradas. Folgaria em ler um daqueles textos em que a aparente objetividade é posta a serviço da opinião. Como eu tendo a ser barroco, aprecio aquele estilo folha seca. Mas nada!
O absurdo é tal que Dilma e Haddad anunciaram a criação de quatro novas universidades federais há duas semanas — que, segundo dados oficiais, custarão o equivalente a dois exames do Enem (!!!) —, e não se disse uma vírgula sobre as greves. Nada vezes nada! Imaginem se a USP estivesse parada há quase três meses!!! Haveria o risco de a ministra Maria do Rosário (voltarei a esta valente daqui a pouco), dos Direitos Humanos, ir ao campus para saber como estavam sendo tratadas as pobres vítimas do PSDB… Isso deveria envergonhar alguns pauteiros. Mas é provável que se orgulhem da tarefa cumprida.
Por Reinaldo Azevedo

NA TERRA DO HONORIS 51 DA SILVA, A APADRINHADA OUVE O QUE NÃO QUER!

Protesto em Garanhuns contra "Dil-Má": instituições federais em greve
Protesto em Garanhuns contra "Dil-Má": instituições federais em greve (Foto Aline Moura/D.A.Press)
dilma-protesto-garanhuns1
Por enquanto, a informação está apenas da versão online do Diário de Pernambuco. Leiam. Volto ao tema no próximo post.
A presidente Dilma Rousseff (PT) e sua comitiva foram recebidos com um protesto e um apitaço promovidos por técnicos da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). A confusão aconteceu no Campus da Universidade de Pernambuco (UPE), em Garanhuns, onde a petista participa da aula inaugural do curso de medicina.
As universidades federais de todo o país estão em greve desde o dia seis de junho reivindicando melhoria salarial. O grupo, formado por cerca de 50 participantes, trouxe um boneco gigante fantasiado da presidente petista com a palavra Dilma-má impressa na roupa.
“Curupira”
Antes, na cidade Cupira, no agreste pernambucano, houve outro protesto, que tinha como alvo também o governador Eduardo Campos (PSB). Os manifestantes cobravam o pagamento do piso do magistério, abertura de um posto do INSS, de uma delegacia do da Polícia Federal, melhorias na saúde e construção de uma estação de tratamento de esgoto.
Dilma falou a uma platéia de 3 mil pessoas, reunida para aplaudir, como sabem. Ao se despedir de Cupira, informa o Blog de Magno Martins, chamou a cidade de “Curupira”, que,  informa o dicionário, é “ente fantástico das matas, descrito predominantemente como um anão de cabelos vermelhos e pés ao inverso”.
Então tá. Poderia ser pior, evocando Odorico Paraguaçu:  “Gente da minha terra, povo de Sucupira…”
Protesto em Cupira, que Dilma chamou "Curupira" (Foto: Rosália Rangel/DP)
Protesto em Cupira, que Dilma chamou "Curupira" (Foto: Rosália Rangel/DP)
Por Reinaldo Azevedo

Febrachoco é atração em Gramado



Conhecida como principal centro de produção de chocolates artesanais da América Latina, Gramado finalmente terá uma feira profissional destinada ao setor. A primeira edição da Feira Brasileira do Mercado de Chocolates (Febrachoco) começa nesta quarta-feira, dia 31, e vai até o sábado (dia 3) no ExpoGramado.
O evento será ancorado pelo Congresso Latino-Americano de Chocolates (Chocolatino),  que irá discutir as relações da cadeia produtiva, passando por temas como a evolução do chocolate caseiro e artesanal ao patamar de gourmet. A convergência entre o food service, a gastronomia e a indústria de chocolate também serão debatidos no encontro.  “O Rio Grande do Sul, com sua posição privilegiada entre Brasil e Argentina, os dois maiores mercados do cone sul, tem tudo para ocupar uma posição estratégica com sua indústria de chocolates concentrada principalmente em Gramado”, destaca Caio Tomazeli, coordenador da feira e do Chocolatino (Congresso Latino Americano do Chocolate), congresso que acontece paralelamente. A afirmação é reforçada pelo presidente da Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados). Getulio Ursulino Netto, ao ressaltar que Gramado contribuiu para a evolução do mercado de chocolates diferenciados com seus produtos e lojas exclusivas. “É a etapa no Brasil de produção de chocolates em pequena escala, com o advento dos fabricantes de chocolates caseiros iniciada em Gramado”, destaca o presidente da Abicab.




O segmento especialidades em chocolates compreende a produção artesanal, os chocolates finos e o chocolate gourmet também presente na confeitaria e gastronomia contemporânea. Caio Tomazeli explica que a feira vai reunir a cadeia de negócios do chocolate e contribuir para fortalecer o segmento do chocolate gourmet, que cresce de forma mais acelerada do que o mercado de chocolates como um todo. “Segundo avaliações que estamos fazendo, este segmento – quase insignificante há algumas décadas, agora já representa cerca de 15% da produção no Brasil em pequenas fábricas espalhadas em todo o país, segundo nossas estimativas, com uma taxa de crescimento em torno de 20% ao ano”, afirma Tomazeli.
O Brasil é o terceiro produtor mundial de chocolates, superado apenas por Estados Unidos e Alemanha. Em termos de Mercosul, o Brasil  é disparado o maior mercado para chocolates, balas e confeitos com uma estimativa de consumo de US$ 9 bilhões, vindo em segundo a Argentina com um consumo estimado de US$ 1 bilhão. Estes números mostram o potencial para o crescimento dos negócios neste setor, daí a importância do evento de Gramado.
A Febrachoco já nasce com o apoio das maiores empresas brasileiras do setor. A Harald, um dos maiores fabricantes de coberturas do Brasil, será um dos patrocinadores. A Barry-Callebaut, maior fabricante de chocolate do mundo, também estará presente, bem como a Arcor, um dos fabricantes mais conhecidos do público consumidor. O evento conta, também, com o apoio da Achoco (Associação dos Chocolateiros de Gramado), da Alaccta (Associação Latinoamericana y Del Caribe de Ciência y  Tecnologia de Alimentos) e da Prefeitura de Gramado.

Dirceu confessa que se encontrava com cúpula do governo na condição de consultor de empresa privada. Ainda vai acabar concorrendo com a “Bandjiiida” do Zorra Total

Valéria e Janete: cuidado com a concorrência!!!
Valéria e Janete: cuidado com a concorrência!!!
José Dirceu ainda acaba sendo convidado para trabalhar no Zorra Total, onde fará o papel de José Dirceu, embora a história indique que ele é mais eficiente fingindo ser quem não é. Só não deve fazer mais sucesso do que a “bandjiiiiida” porque o tipo de caricatura que ele encarna é mais perigosa do que engraçada.
Leio no site do Zero Hora, do Rio Grande do Sul, que ele concedeu uma entrevista ao “Gaúcha Atualidade”. Não entendi direito, mas parece ser um programa de rádio. Lê-se lá o seguinte:
“Segundo José Dirceu, a revista publicou ‘inverdades glamourosas’ e atribuiu a matéria a uma “perseguição política”.
HEEEINNN???
“Inverdades glamourosas”???
Teria o Zé querido dizer “clamorosas”? “Inverdades glamorosa” (e não “glamourosa”, que não é língua nenhuma…) são aquelas que cercavam as estrelas de Hollywood no passado. Mas como Dirceu é Dirceu, não importa com que cara se apresente, ele afirma ao “Gaúcha Atualidade”:
“Nada vai apagar minha história política. Nada foi provado contra mim. Não adianta escrever que a Procuradoria Geral da República me acusou e denunciou. A alegação final não prova nada. O STF vai julgar. É por isso que eu ainda voto e que eu sou filiado ao PT. Eu posso ocupar qualquer cargo público nesse pais”.
Epa! É o apreço de Dirceu pela verdade! Não pode, não! Se for cargo eleito pelo povo, não pode porque está com os direitos políticos cassados. É por isso que exerce cargos informais, em corredores de hotel. Mas o melhor vem agora:
“É engraçado, eu sou advogado e consultor. Faz seis anos que saí do governo. Como podem me cobrar por alguma atividade? Tem alguém cobrando dos ministros do Fernando Henrique por atividades de consultoria que eles prestam? Isso é perseguição política”.
É uma confissão!
Para tentar minimizar o caráter conspiratório daquelas reuniões em meio à crise que derrubou Palocci, ele confessa, então, que se encontrou com Fernando Pimentel, ministro de estado; José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras (e ele dá consultoria para empresas de petróleo e gás) e parlamentares na condição de “consultor privado”.
Vale dizer, a cúpula do governo vai até Dirceu, em encontros clandestinos, para cuidar dos interesses privados daquele que é também chefão no PT e, na prática, líder político de pessoas que exercem funções de estado. Pode-se dizer algo parecido de ex-ministros de FHC? Que eu saiba,  os que estão na iniciativa privada trabalham em empresas sólidas, respeitáveis, com endereço conhecido. Não se escondem em cafofos.
Escrevi aqui desde o primeiro dia que a gritaria feita por Dirceu tinha uma razão de ser: ela demonstra de maneira clara, inequívoca, que o mesmo esquema clandestino que resultou no escândalo do mensalão continua na ativa.
A defesa de Dirceu é uma confissão.
PS – Resta agora ao valente dizer que o Zero Hora errou e que não foi bem aquilo que ele disse.
Por Reinaldo Azevedo

Todo mundo sabe, só o brasileiro teima em não querer enxergar!

Corruption: Brazil Sheltering Wanted Marxist Terrorist   
Written by Alex Newman   
American and Colombian officials suspected that a decision by the Brazilian government granting political asylum to a prominent Marxist terrorist was made under pressure from former President Luiz Inácio Lula da Silva, whose Workers’ Party (PT) has frequently been accused of receiving millions of dollars from the drug-trafficking terror group known as the FARC.
The suspicions surrounding the case were highlighted in an explosive U.S. diplomatic cable from 2006 that was recently released by the whistle-blowing organization WikiLeaks. But despite the enormity of the revelations in the document, entitled “Brazil Grants Asylum to FARC Terrorist,” there has been virtually no press coverage of the scandal so far.

The saga described in the cable began when Francisco Antonio Cadena, the so-called “Ambassador to Brazil” for the communist Revolutionary Armed Forces of Colombia (FARC), was arrested by Brazilian authorities in 2005. He was apparently living there with his family at the time.

Known as “Oliverio Medina” in Brazil, the high-ranking terrorist was taken into custody based on a request from Interpol pursuant to a Colombian warrant. He was wanted for a broad range of crimes including murder for terrorist purposes, extortion, kidnapping, and terrorism.

When Cadena was finally arrested, the FARC’s “International Commission” immediately sprang into action. It issued a
statement the next day calling for the release of “Oliverio Medina, who is a member of our International Commission.”

According to the U.S. cable, citing a Colombian embassy official, Cadena also had many high-level friends within the Brazilian government. “[D]uring the many years Cadena spent in Brazil prior to his arrest last year, he had cultivated close ties with President Lula's Labor Party (PT) and had met with leaders of the PT in a house just outside of Brasilia (called the Red Heart Mansion) owned by a PT member of Congress,” noted the cable, signed by the highest-ranking American official in Brasilia at the time, Chargé d'Affaires ad interim Philip Chicola.

The Colombian embassy official cited in the report also “echoed press and other public accounts that PT leaders had met with Cadena in prison,” according to the U.S. embassy document. “While pointing out that claims of FARC donations to PT campaigns had never been proven, he insisted there was ample proof of Cadena's ties with PT leaders.”

The decision to grant political asylum to the internationally known terrorist was made in total secrecy by the Brazilian National Committee on Refugees in mid-2006. And by approving the request, according to the cable, the government of Brazil was actually violating its own rules — individuals involved in terrorism and drug trafficking are supposed to be extradited, not granted asylum.

“The decision by the Brazilian committee is audacious but not necessarily surprising, as is the near silence surrounding it,” the cable noted. “The granting of asylum to a known terrorist flies in the face of Brazilian claims to oppose international terrorism. Particularly troubling are the allegations of the Presidency subverting the judicial process and pressuring the refugee committee to take a decision contrary to its own guidelines, allegations we find credible.”

According to “unofficial” information provided to the Colombian embassy in Brazil, the decision to grant asylum was made after Cadena promised to sever ties with the FARC. But American and Colombian officials weren’t buying it.

“We, like the Colombians, will be trying to find out what the official rationale for the asylum decision was and how that can be reconciled with the [Government of Brazil]’s supposed opposition to international terrorism,” the cable noted, requesting instructions from Washington about how to proceed. “Embassy believes that high level political pressure resulted in this decision.”

The Brazilian government essentially refused to provide any information about what was going on, according to the cable. The refugee committee told the U.S. embassy that all documents and records related to the asylum decision were confidential. The Colombian government, meanwhile, was quietly informed about the denial of its extradition request — with no explanation — via the Brazilian embassy.

“Of course, the [Brazilian government]‘s silence on the issue is not surprising,” the American cable commented. “Granting refugee status to a man accused of terrorism against a friendly, democratically elected government of a neighboring country is hardly the thing President Lula or his associates would be eager to defend publicly, especially since it would inevitably result during this election period in a new airing of the claims of FARC support for [Workers’ Party] 2002 campaigns, possibly including Lula's.”

The brief and muffled brouhaha sparked by the Brazilian government’s decision quickly faded away. In 2007, the Brazilian Supreme Court upheld the government’s decision. And the fate of Cadena, presumed to be residing somewhere in Brazil under a new alias, remains unknown to the public.

But after years of silence on the matter, earlier this month former Colombian President Alvaro Uribe blasted Lula over the scandal in a series of
messages posted on Twitter. “Lula: many Colombians repudiate your permissiveness with the narco-terrorists from the FARC,” he tweeted on August 5 after the former Brazilian President had stopped in Bogota.

“Lula incapable of declaring the narco-[trafficking group] FARC terrorists,” he charged in another. “Lula was incapable of extraditing Cura Camilo, terrorist taking refuge in Brazil.”

As The New American has
reported on numerous occasions, former Brazilian leader Lula is a co-founder — along with communist tyrant Fidel Castro, and the Sandinistas — of a shadowy group of socialists and communists known as the Foro de São Paulo (São Paulo Forum). The FARC was also involved in founding and funding the movement.

The umbrella organization brings together leftist political parties, dictators, drug traffickers, terrorists, non-governmental organizations, and others for the admitted purpose of subverting capitalism in the region. And with help from China and Russia, as well as drug and oil money, its members now control most Latin American governments.

The current President of Brazil,
Dilma Rousseff (pictured above), is also part of Lula’s Workers’ Party. Prior to taking over the presidency, she served as Lula’s chief of staff. And she’s also an admitted “ex”-communist terrorist, though most Brazilians overlook her past because the Marxist terror campaign was aimed at the former military dictatorship.

Based on
leaked documents from Brazil’s intelligence agency, the Workers’ Party has been publicly accused on countless occasions in the press of collaborating with the FARC. According to an explosive 2005 article based on those intelligence reports that was published in one of the biggest Brazilian magazines, the party received $5 million in 2002 to help win elections.

In a
2010 interview with The New American, acclaimed Brazilian author and philosopher Olavo de Carvalho — who has played a key role in exposing the communist resurgence in the region — explained that Brazil was actually “the headquarters of Latin American revolution.” And the U.S. State Department knows it, he said, adding that “it is actually camouflaging the real danger so that it may grow sheltered from the sight of any intruder.”

Professor Carvalho also summarized the relationship between leftist political organizations and criminal syndicates. “Legal parties cover up the activities of criminal groups, and these provide undercover financial resources to legal parties,” he explained.

Analysts
said the new revelations from WikiLeaks offer yet more evidence that the relationship between the FARC and top political figures runs very deep, and that the Foro de São Paolo and its members are powerful and dangerous. Indeed, violating the nation’s own laws and risking international condemnation to shelter a notorious terrorist is no small matter. But whether anything will change remains to be seen.

Ministra dos Direitos Humanos critica página da Rota que elogia golpe de 1964 e cobra governo de SP por Jair Stangler

Jair Stangler, do Estadão.com.br
A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, criticou o governo de São Paulo por permitir site da Rota que elogia o golpe militar de 1964 e fez várias cobranças com relação ao governo do Estado com relação à sua área de atuação. A ministra participou nesta segunda-feira, 29, de audiência publica na Assemleia Legislativa de São Paulo. A audiência contou ainda com a presença da deputada estadual Leci Brandão (PCdoB), do padre Julio Lanceloti e a secretária de Justiça do governo de São Paulo, Eloisa de Sousa Arruda.
“Eu considero que todos os Estados da Federação devem fazer também o seu esforço pelo direito à verdade e à memória e pela democracia. Uma página oficial do governo estadual, em um período democrático, que presta homenagem à deposição de um presidente, legitimamente eleito, do presidente João Goulart… Eu me senti aviltada de fato por isso e eu tenho certeza que o governador Geraldo Alckmin tomará providências diante disso porque é uma estrutura do Estado de São Paulo”, disse. “Não se pode comemorar golpe, não se pode comemorar a violação do Estado democrático de Direito, sob pena de plantar-se novas violações.”
Maria do Rosário fez outras cobranças ao governo do Estado, como quando criticou que São Paulo ainda não tenha uma  Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae) e também ao encampar algumas das reivindicações dos presentes – afirmou, por exemplo, que irá discutir com o governador Geraldo Alckmin decreto que tira autonomia do  Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe/SP). ”Direi à secretária que reveja os preceitos dos direitos humanos no Estado”, afirmou ainda.
Após a realização da audiência, no entanto, a ministra disse que seu objetivo não é criticar a atuação do governo do Estado na área. “Não foi meu objetivo produzir críticas pontuais ao Estado de São Paulo ou a prefeituras municipais. O meu objetivo é um trabalho em parceria, é trabalharmos juntos. E a presença da secretária de Justiça daqui de São Paulo na abertura do evento e sua equipe na reunião, é um passo muito importante para que os trabalhos nos direitos humanos não estejam pautados na oposição ao governo. Lá no Congresso Nacional ou aqui em São Paulo. Direitos humanos são direitos humanos, tem caráter universal, é um princípio ético. O governo federal, o governo da presidenta Dilma estende a mão, estamos juntos e vamos estar juntos com o governo do Estado de São Paulo, superando as dificuldades.”
Comissão da Verdade
Maria do Rosário defendeu ainda que a Comissão da Verdade, cujo projeto tramita no Congresso Nacional, seja votado ainda este ano. Ela vê dificuldades da proposta ser apreciada em 2012, ano de eleições municipais. A ministra considerou que a saída de Nelson Jobim do comando do Ministério da Defesa não atrapalha as negociações em torno da iniciativa.
Ela ressaltou que tem se empenhado pela aprovação da proposta que visa esclarecer casos de violação de direitos humanos durante a ditadura militar. “Eu peço que a gente tenha a aprovação neste ano, porque 2012 é ano eleitoral e tudo fica mais difícil”, afirmou. O projeto de lei que cria a Comissão foi enviado ao Congresso em maio de 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A ministra também defendeu que os governos municipal, estadual e federal trabalhem juntos em uma política pública de atendimento às crianças e pediu uma nova política nacional anti-drogas para combater o crack.

 
 
   
Odilon de Oliveira, de 56 anos, estende o colchonete no piso frio da sala, puxa o edredom e prepara-se para dormir ali mesmo, no chão, sob a vigilância de sete agentes federais fortemente armados. Oliveira é juiz federal em Ponta Porã , cidade de Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai e, jurado de morte pelo crime organizado, está morando no fórum da cidade. Só sai quando extremamente necessário, sob forte escolta. Em um ano, o juiz condenou 114 traficantes a penas, somadas, de 919 anos e 6 meses de cadeia, e ainda confiscou seus bens. Como os que pôs atrás das grades, ele perdeu a liberdade. 'A única diferença é que tenho a chave da minha prisão.'

Traficantes brasileiros que agem no Paraguai se dispõem a pagar US$ 300 mil para vê-lo morto. Desde junho do ano passado, quando o juiz assumiu a vara de Ponta Porã, porta de entrada da cocaína e da maconha distribuídas em grande parte do País, as organizações criminosas tiveram muitas baixas.Nos últimos 12 meses, sua vara foi a que mais condenou traficantes no País.
Oliveira confiscou ainda 12 fazendas, num total de 12.832 hectares , 3 mansões - uma, em Ponta Porã , avaliada em R$ 5,8 milhões - 3 apartamentos, 3 casas, dezenas de veículos e 3 aviões, tudo comprado com dinheiro das drogas. Por meio de telefonemas, cartas anônimas e avisos mandados por presos, Oliveira soube que estavam dispostos a comprar sua morte.
'Os agentes descobriram planos para me matar, inicialmente com oferta de US$100 mil.' No dia 26 de junho, o jornal paraguaio Lá Nación informou que a cotação do juiz no mercado do crime encomendado havia subido para US$ 300 mil. 'Estou valorizado', brincou. Ele recebeu um carro com blindagem para tiros de fuzil AR-15 e passou a andar escoltado.
Para preservar a família, mudou-se para o quartel do Exército e em seguida para um hotel. Há duas semanas, decidiu transformar o prédio do Fórum Federal em casa. 'No hotel, a escolta chamava muito a atenção e dava despesa para a PF.' É o único caso de juiz que vive confinado no Brasil. A sala de despachos de Oliveira virou quarto de dormir. No armário de madeira, antes abarrotado de processos, estão colchonete, roupas de cama e objetos de uso pessoal. O banheiro privativo ganhou chuveiro. A família - mulher, filho e duas filhas, que ia mudar para Ponta Porã, teve de continuar em Campo Grande. O juiz só vai para casa a cada 15 dias, com seguranças. Oliveira teve de abrir mão dos restaurantes e almoça um marmitex, comprado em locais estratégicos, porque o juiz já foi ameaçado de envenenamento. O jantar é feito ali mesmo. Entre um processo e outro, toma um suco ou come uma fruta. 'Sozinho, não me arrisco a sair nem na calçada..'


Uma sala de audiências virou dormitório, com três beliches e televisão. Quando o juiz precisa cortar o cabelo, veste colete à prova de bala e sai com a escolta. 'Estou aqui há um ano e nem conheço a cidade.' Na última ida a um shopping, foi abordado por um traficante. Os agentes tiveram de intervir. Hora extra. Azar do tráfico que o juiz tenha de ficar recluso. Acostumado a deitar cedo e levantar de madrugada, ele preenche o tempo com trabalho. De seu 'bunker', auxiliado por funcionários que trabalham até alta noite, vai disparando sentenças. Como a que condenou o mega traficante Erineu Domingos Soligo, o Pingo, a 26 anos e 4 meses de reclusão, mais multa de R$ 285 mil e o confisco de R$ 2,4 milhões resultantes de lavagem de dinheiro, além da perda de duas fazendas, dois terrenos e todo o gado. Carlos Pavão Espíndola foi condenado a 10 anos de prisão e multa de R$ 28,6 mil. Os irmãos , condenados respectivamente a 21 anos de reclusão e multa de R$78,5 mil e 16 anos de reclusão, mais multa de R$56 mil, perderam três fazendas. O mega traficante Carlos Alberto da Silva Duro pegou 11 anos, multa de R$82,3 mil e perdeu R$ 733 mil, três terrenos e uma caminhonete. Aldo José Marques Brandão pegou 27 anos, mais multa de R$ 272 mil, e teve confiscados R$ 875 mil e uma fazenda.

Doze réus foram extraditados do Paraguai a pedido do juiz, inclusive o 'rei da soja' no país vizinho, Odacir Antonio Dametto, e Sandro Mendonça do Nascimento, braço direito do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. 'As autoridades paraguaias passaram a colaborar porque estão vendo os criminosos serem condenados.' O juiz não se intimida com as ameaças e não se rende a apelos da família, que quer vê-lo longe desse barril de pólvora. Ele é titular de uma vara em Campo Grande e poderia ser transferido, mas acha 'dever de ofício' enfrentar o narcotráfico. 'Quem traz mais danos à sociedade é mega traficante. Não posso ignorar isso e prender só mulas (pequenos traficantes) em troca de dormir tranqüilo e andar sem segurança.'
ESTE É O CARA E MERECE NOSSOS APLAUSOS!
POR ACASO A MÍDIA NOTICIOU ESSA BRAVURA QUE O BRASIL PRECISA SABER? NÃO, AGORA SE ELE FOSSE UM BBB OU O JOGADOR DE FUTEBOL... APARECIA EM TUDO!
ESTE SIM, É UM VERDADEIRO BRASILEIRO!!!!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

ISTO É O FIM DO MUNDO!

O Governo Federal vai investir 13 milhões de reais em uma estátua com a imagem do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, maior que o Cristo Redentor, que será construída em Brasília e servirá como monumento do patrimônio público. Na tarde deste sábado (11), a Presidenta Dilma assinou a liberação do dinheiro para dar início à obra.

A assessoria do PT aplaudiu a rapidez da presidenta em liberar a verba para que a estátua seja construída o mais breve possível. O local exato da construção ainda será definido, mas a ideia é fazer o monumento ficar próximo do Palácio do Planalto e poderá ser visto de qualquer lugar de Brasília.

Na estátua Lula irá segurar uma estrela, símbolo do PT. No Senado Federal, os senadores petistas disseram que a estátua do Lula será, no futuro, uma das oitavas maravilhas do mundo.rsrsrsr..ainda bem que nem a concordância da grafia existe

Tio de Obama é acusado de dirigir bêbado nos EUA

Onyango Obama, 67, quase bateu em carro da polícia em Massachusetts.
Ele é mantido sob custódia pelas autoridades da Imigração.

Da AP
 Onyango Obama em foto de 24 de agosto, divulgada pela polícia de Framingham (Foto: AP) Onyango Obama em foto de 24 de agosto,
divulgada pela polícia de Framingham (Foto: AP)
Um tio do presidente dos EUA, Barack Obama, foi acusado de dirigir sob influência de álcool no estado de Massachusetts, está detido por autoridades da imigração e corre o risco de ser deportado.
Onyango Obama, de 67 anos, foi preso no dia 24 em Framingham, depois que ele fez uma manobra perigosa e com seu utilitário esportivo e quase bateu em um carro da polícia.
Ele argumentou que os policiais deveriam ter dado preferência para ele, segundo a imprensa americana.
Questionado se queria fazer um telefonema, ele teria dido, segundo a polícia: "Acho que vou ligar para a Casa Branca".
Margaret Wong, advogada da imigração de Cleveland, que está representando Onyango no caso, confirmou que ele é tio de Obama.
Onyango é irmão de Zeituni Onyango, tia do presidente, que no ano passado ganhou o direito de permanecer no país após ter sofrido ameaça de deportação.
Nascido no Quênia, ele está preso sem direito a fiança em uma instalação da Imigração.

DESABAFO DO FAUSTÃO

..Independência ao RIO GRANDE DO SUL:
Acho que o RS tinha mesmo era que se separar do Brasil,falando sério. O povo de lá tem um nível de educação superior,além de uma série de outras coisas.O gaúcho tem uma qualidade que falta ao Brasil, ele sabe se posicionar, toma partido, tem um talento nato pra isso.No resto do país é todo mundo em cima do muro, o que é péssimo em todos os sentidos.Falo como paulista e garanto:a maioria dos brasileiros tem inveja dos gaúchos.

Lula ajuda Dilma de um jeito que nem ele imagina…

Luiz Inácio Apedeuta da Silva, o nome do mal da política brasiliera, colabora com o governo Dilma de um modo que ele mesmo não supõe e que muitos analistas não suspeitam, alguns deles não se dando conta do que eles próprios escrevem.
Como há um certo temor de que o Babalorixá de Banânia decida voltar — e conhecemos a sua herança maldita: infraestrutura em petição de miséria, gastança desordenada, instituições aviltadas — e num contexto internacional, desta feita, adverso, então há uma espécie de “fuga coletiva para Dilma”, por mais, para ser generoso, anódino que seja o seu governo.
Dá-se de barato algo mais ou menos assim: “Antes Dilma do que Lula; ela, ao menos,  não passa a mão na cabeça de corruptos” —  consolidou essa fama com algumas demissões havidas no governo.
Assim, mesmo o estelionato eleitoral explícito, como a mobilização para derrubar a Emenda 29, passa por um lance de grande prudência na administração pública. À medida que Lula é visto, e por bons motivos, como líder de tudo o que pode haver de mais nefasto na política brasileira — ele é a síntese dos piores defeitos do PT e do PMDB —, a sua criatura é vista como a garantia possível contra o criador.
É claro que esse é o momento para que surjam as vozes da oposição. Até que elas estão cumprindo o seu papel no Congresso. Mas quem lidera? Alguns maquiáveis de quarteirão estão dedicados a fraturar o PMDB para, quem sabe, se unir à turma no futuro… Vale dizer: há quem ache que o melhor caminho para a oposição é se juntar à banda mais podre da situação.
Deus nos acuda!
Por Reinaldo Azevedo

Natasha Raymundo é eleita Miss RS Latina em Gramado





Na noite de sábado (27), Gramado recebeu a terceira edição do concurso Miss RS Latina, realizado na Sociedade Recreio Gramadense. Natasha Raymundo, de 19 anos, foi a vencedora do concurso de beleza.
Representando Nova Petrópolis e natural de Porto Alegre, Natasha, que já foi eleita primeira princesa do Garota Verão e já representou Nova Petrópolis no concurso Miss Rio Grande do Sul, conquistou o título de Miss RS Latina 2012.
O Miss RS Latina, que teve apresentação da ex-Miss Universo Deise Nunes, está em sua terceira edição, e de acordo com o organizador do evento, Anderson Sassy, é a primeira vez que o evento acontece em Gramado.
O próximo compromisso da Miss RS Latina será em outubro, em Recife (PE), onde a bela participará da edição nacional do evento e caso seja uma das classificadas vai à Punta Cana, na República Dominicana, em maio, para participar da edição mundial do concurso. A segunda colocada do Miss RS Latina, Lais Berté, participará do evento Miss Atlântico, em Punta del Este, no Uruguai.

NEM A PORRETE!

SÃO PAULO - Desde junho, os presos brasileiros têm direito a reduzir um dia da sua pena a cada três dias dedicados ao estudo. O objetivo é ajudar os detentos a conseguir emprego quando forem soltos e diminuir a reincidência, mas a medida corre risco de não sair do papel. Dos cerca de 500 mil presos no Brasil, apenas 8% estudam, segundo pesquisa inédita obtida pelo estadão.com.br. A demanda por ensino é muito maior - 64% dos presos não completaram o ensino fundamental - mas faltam recursos para levar as salas de aula para dentro dos presídios. Quem ganha com isso, segundo especialistas, é a escola do crime.
Dos cerca de 500 mil presos no Brasil, apenas 8% estudam, aponta pesquisa - Divulgação/CDP
Divulgação/CDP
Dos cerca de 500 mil presos no Brasil, apenas 8% estudam, aponta pesquisa
A situação nos Estados é crítica. Em 12 deles, não há nenhum professor atuando dentro do sistema penitenciário, e em 21 a proporção de presos estudando é menor que 10%, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa e Cultura Luiz Flávio Gomes, a partir de dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) de dezembro de 2010.
Mesmo nos Estados mais ricos, parece ser baixo o interesse em aplicar a Lei nº 12.433/11, que criou o benefício conhecido por remição pelo estudo. Em São Paulo, por exemplo, não há nenhum professor dando aulas aos presos - a docência é exercida por 50 'monitores' selecionados entre os próprios detentos, que lecionam para 15 mil dos 170 mil presos do Estado - menos de 9%. No Rio Grande do Sul, 5% dos presos estudam, e em Goiás e Minas Gerais, apenas 4%. A pior situação é no Pará, onde nenhum detento estuda, apesar de o Estado ter declarado ao Depen que cinco professores e dois pedagogos atuam no sistema prisional. Pernambuco é o Estado mais bem preparado, com 17% dos presos tendo aulas, seguido pelo Ceará, com 15%.
O baixo investimento na educação em presídios contribuiu para as altas taxas de reincidência, segundo especialistas. "O Estado precisa disputar contra o crime organizado o destino dos presos, pois muitos deles são novatos quando entram no sistema penitenciário", opina Fábio Sá e Silva, pesquisador do Ipea e ex-dirigente do Depen. "A pessoa está no presídio numa situação de ociosidade e, se ela tem a oportunidade de estudar, aumentam as chances de reinserção", diz. "Quem entra na prisão já é um desajustado social, e se lá dentro não recebe nenhum tipo de apoio, volta pra sociedade muito pior", diz o jurista Luiz Flávio Gomes.

algumas verdades sobre o cigarro

O filósofo Olavo de Carvalho, em seu programa semanal, esclarece alguns mitos criados propositalmente sobre o cigarro. Referência de Áudio: http://www.blogta/...

A propaganda fascistóide do governo Dilma – Ou: a mão do Estado-Deus!

Em comunicação, pouco importa a intenção; interessa aquilo que efetivamente se realizou, o conteúdo que foi transmitido. A propaganda do governo Dilma que está no ar, aquela da mão grande, é uma das coisas mais estúpidas e deseducativas jamais produzidas no Brasil. É também essencialmente mentirosa. Envergonha qualquer um que tenha um pouquinho de bom senso.
As imagens têm história. A mão que vem do alto, em socorro ao ser humano, é, originalmente, a mão de Deus. A matriz dessa iconografia é a “A Criação de Adão”, de Michelangelo, afresco que está no teto da Capela Sistina. Abaixo, reproduzo a imagem e o detalhe. Sigo depois.
a-criacao-de-adao-michelangelo
dedo-de-deus-a-criacao-michelangelo
Essa matriz gerou, como disse, ao longo da história — procurem no “Google Imagem” todas as variantes de “A Mão de Deus” — uma tradição iconográfica, a que pertence também a propaganda oficial do governo Dilma.
Como petralhas são uma bestas ao quadrado, logo um deles tirará as patas dianteiras do chão para tentar argumentar, fingindo ter a coluna ereta: “Então Michelangelo era fascitóide?” Ai, ai… A propaganda do governo Dilma inventou um estado generoso, que concede benefícios àqueles cá da terra, como se chovessem casas, estradas, escolas, benefícios sociais vários, sem qualquer custo; como se um ente realmente superior derramasse maná sobre a Terra, numa lógica da pura doação.
E quem doa os benefícios ao povaréu passivo e sorridente? O estado! E esse estado é encarnado pelo governo Dilma, mais especificamente pela própria Dilma. E aí vem a mensagem malandra: “O Brasil está em boas mãos”. Sei… Poderia soar personalismo. Então vem a emenda do soneto: “Nas mãos do povo brasileiro”.
Desde a democratização plena, o país está nas mãos do povo brasileiro. Esteve também quando os adversários do PT foram eleitos. Assim como o Estado, a Dilma e o PT não nos dão nada, também não foi este governo (ou o de Lula) que nos deu a democracia. Ela foi uma construção coletiva.
A mão que concede benefícios não é a mão de Deus, não é a mão do Estado, não é a mão de Dilma. A mão que concede benefícios é a dos trabalhadores que pagam impostos, que arcam com a carga tributária mais alta do mundo, que beira a extorsão. Não existe essa doação, não existe esse presente, não existe essa chuva de maná.
Digo que a propaganda é fascistóide porque ela supõe a existência de um povo, como direi?, passivamente mobilizado, que é uma característica dos regimes fascistas, organizado à espera do provimento, como se as ações sociais nunca tivessem custo e decorressem da generosidade do estado e dos governantes.
Trata-se de uma campanha feita para idiotas, que infantiliza o telespectador, que trata a população como bichos à espera da ração. Tio Rei é rapaz caipira. No fim da tarde, uma das tarefas da molecada na Fazenda Santa Cândida era alimentar as galinhas. A gente abria o paiol e debulhava o milho numa geringonça com manivela. Era virar a taramela do depósito, a galinhada começava a se reunir. Quando saíamos com a bacia de milho, havia aquele mar de penas, uma cena de Hitchcock… E começava a chuva de grãos… Alimentávamos, generosos, aquelas que nos davam os ovos e que acabariam, fatalmente, na panela.
Também nós, os generosos, fingíamos doar aquilo que tirávamos das galinhas.
Por Reinaldo Azevedo