Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O desarmamento e as lições sobre a violência europeia

hackneyCar_1967240c.jpgAs recentes eclosões de violência indiscriminada na Europa realçam uma perturbadora tendência que há muito vem sendo alertada por filósofos e estudiosos das civilizações: o retrocesso da civilização ocidental.  Palpiteiros e "especialistas" destilam na televisão e em artigos de jornais inúmeras teorias para tentar explicar o que está acontecendo.  Algumas soam suficientemente plausíveis, mas somente aqueles dentre nós que possuem um sólido conhecimento da teoria economia têm as ferramentas necessárias para decifrar o significado destes atuais eventos. 
Aqueles que utilizarem essas ferramentas irão descobrir que o estado não apenas causou diretamente estes distúrbios de várias maneiras (via assistencialismo, militarismo, inflação monetária, escolas públicas e muito mais), como também impediu as pessoas de defenderem a si próprias e a sua propriedade.  Estou me referindo, é claro, às leis do desarmamento.
A sociedade ocidental está claramente se degradando.  À medida que as pessoas e os governos vão se afundando em dívidas, o crescimento econômico permanecerá, na melhor das hipóteses, estagnado.  As classes dependentes, que vivem do assistencialismo, verão seu padrão de vida se deteriorando rapidamente à medida que a crise vai se desdobrando.  Se a história nos serve de guia, ondas de crimes e inquietações sociais não estão muito longe no horizonte.  Já estamos testemunhando o início dessa tendência em países como Inglaterra e Noruega, onde restrições à posse de armas estimulam a violência, a destruição e a pilhagem, além de deixarem cidadãos de bem completamente desarmados, sem proteção policial e totalmente à mercê de vândalos. 
A principal lição a ser retirada de tudo isso é a importância de ser ter meios de se proteger a si próprio, a sua propriedade e a seus parentes amados nessas épocas vindouras de pânico e incerteza.  Se você confiar no governo, poderá perder tudo o que construiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário