Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Educação, uma questão fundamental para um futuro melhor


Lutaremos e exigiremos que o governo se comprometa em restaurar, manter e zelar pela cultura Nacional, história, bons modos e costumes, para que nossos jovens tornem se homens e mulheres exemplares diante da sociedade. Somente dessa forma a educação e a disciplina voltarão a ser aplicada nas famílias e pelas famílias como antigamente.

Atualmente vemos muitas crianças que ao invés de serem educadas pela família, são educadas e doutrinadas nas escolas por “alguns” professores “libertários, liberais e comunistas”; sendo assim, são influenciadas, doutrinadas e disciplinadas aos moldes da atualidade insana, repugnante e liberal para com as drogas, homossexualismo, precocidade e às vezes até com a religião e crenças!

A educação e a doutrina devem vir de casa, os professores devem ensinar suas matérias e preparar a criança para ter um bom convívio na sociedade e um direcionamento profissional; somente isso!

Antigamente os filhos se formavam médicos, advogados, juízes, promotores, delegados, professores; atualmente em que eles estão se formando? Qual será o futuro dos seus filhos?

Devagar, conforme a moda e a tecnologia avançam, os jovens estão regredindo cada vez mais, estão voltando para a idade média; logo não terão nem onde morar, pois não pensam mais no futuro, somente em curtir a vida, ser "livre", Liberdade (Libertinagem) e etc...

Lembrem se:

"Não são nossos filhos que precisam da Nação e sim a Nação é quem precisa dos nossos filhos!

Se criarmos bons filhos, teremos uma boa Nação!"
Vamos lutar por uma boa educação e exigir que o MEC não apóie idéias absurdas que contrariam um ensino coerente e exemplar e principalmente idéias que fujam das necessidades do aprendizado!
Na tentativa constante de acabar com os valores que edificaram nossa Nação, a crença em Deus, na Família e na Pátria, temos observado diversas tentativas do atual governo do PT e de seus asseclas de destruírem ou desestimularem estes valores. Primeiramente, deturpam e desacreditam os valores espirituais e fomentam uma educação materialista e grosseira baseada puramente no consumismo e na massificação onde o ter é superior ao ser.
Desta forma a educação se tornou um instrumento contrário ao seu real objetivo, que é a reafirmação dos pilares que sustentam a Nação.
Começam desacreditando nossos ancestrais, que trouxeram um dos idiomas mais belos e complexos saídos do tronco latino. Também trouxeram cultura e civilização para a terra de Vera Cruz, unificando de forma extraordinária um país continental não favorecendo qualquer problema étnico.
Transformam nossos heróis em verdadeiros carrascos da história. Lamentavelmente, para estes “educadores”, a Batalha dos Guararapes, a Guerra do Paraguai e muitos outros eventos, não passam de atos praticados por genocidas e por pessoas despreparadas de um exército de segunda categoria. Desta forma, quebram sentimentos de patriotismos e orgulho nacional das atuais gerações.
Assim, o atual governo transforma o cidadão num descompromissado eleitor ou analfabeto político; sem qualquer responsabilidade frente os destinos da Pátria.
Ultrajam a família e nossa religião tradicional; fomentando comportamentos e práticas completamente reprováveis e estranhas a estes pilares fundamentais. Temos observado o incentivo à promiscuidade e a banalização da religião através de novelas e de diversos programas de auditório e reality shows; com a desculpa de estarem mostrando a “realidade” e a “evolução” da sociedade.
Assim, a “educação” planejada pelo atual governo está conseguindo transformar o cidadão que outrora buscava destinos superiores através da disciplina e da ordem, em neo-bárbaros à margem de uma civilização realmente digna e próspera.
Portanto, ante o neo-bárbaro, viciado e insensível frente às “manobras” escusas do atual governo ( mensalão, PNDH3, kit gay, PL 122/06, caso Palocci e outros) reafirmamos o homem tradicional e espiritualista que valoriza os bons costumes e o respeito às instituições que formaram a nossa Nação; sendo a educação tradicional uma extensão dos valores positivados pela Família, onde o homem acredita em seu destino sobrenatural e que enxerga no Estado o meio para o alcance da felicidade.

A EDUCAÇÃO FAZ O CARÁTER E O FUTURO DOS NOSSOS FILHOS!

www.ultradefesa.blogspot.com


RECADO AOS TRAIDORES DA PÁTRIA:

Senhoritas comunistas... O que não nos mata apenas nos fortalece!
De nada adiantará a tentativa de difamar e distorcer o fato sobre quem somos, pois tudo isso apenas fortalece e divulga cada vez mais o nosso trabalho! A mentira só consegue enganar os fracos e sabemos que nosso povo está cada vez mais atento quanto as suas artimanhas e tentativas de sancionar iniqüidades... Nosso povo está acordando e vendo quem realmente somos e quais nossas intenções para com nossa Nação, por isso, também estão começando a acordar quanto a tal “liberdade” que vocês tanto pregam! 
Os camaradas da Ultra Defesa são trabalhadores e dignos... Já muitos de vocês são vagabundos e outros universitários que ficam à custa do Estado. Enquanto isso, nós trabalhadores e pais de família exploradamente temos que pagar altíssimos impostos para o atual governo imundo e corrupto prosseguir com seus propósitos de doutrinar e colocar rédeas na juventude e nos cidadãos fracos e frágeis de espírito!

Depois de nossas manifestações nas ruas contra o kit gay, apoio ao Deputado Jair Bolsonaro referente à sua campanha contra o kit gay que seria entregue aos nossos filhos; deparamos com constante crescimento de distorções e difamações de alguns jornalistas, blogueiros esquerdistas e outros mal intencionados que nos chamam de ditadores e racistas, porem com tamanha capacidade “intelectual” não conseguem enxergar que estamos exercendo apenas a nossa liberdade de expressão!
Quem são os ditadores e os antidemocráticos na verdade?

Por isso aqui vai o recado da Ultra Defesa: Vão cuidar das suas vidas e tentar fazer algo realmente aproveitável e descente para a Nação Brasileira! Deixem de fazem manifestações a favor de Drogas com pretextos de causas medicinais... Aborto com fundamentos de controle de natalidade... Pederastia, Promiscuidade e Feminismo com intenção de desmoralização e destruição da mais pura e verdadeira identidade familiar que é a Família tradicional... Incentivar a invasão de propriedades privadas com pretextos de reforma agrária... Banalização da Religião para destruir o mais importante alicerce que edificou junto à família tradicional essa grande Nação chamada Brasil!Tomem vergonha na cara!
Por fim... Cuidem de suas vidas e esqueçam se de nossa existência, é um aviso diplomático!
Ultra Defesa!

A Igreja Católica: Construtora da Civilização - O Sistema Universitário Partes 1, 2 e 3



Nesta série, o professor Thomas Woods Jr explica como funcionava o formidável sistema universitário medieval, que chegou a ter 91 instituições espalhadas pela Europa, sendo que os bacharéis da maioria delas tinham aceitação imediata em qualquer país cristão. 





segunda-feira, 28 de novembro de 2011


A ALEGRIA DO POVO AUSTRÍACO

Em 1938, os Alemães e Austríacos tiveram a oportunidade de decidir a favor ou contra a unificação de ambos os países por plebiscito. A aprovação dos Austríacos foi de 99.73% dos votos, a aprovação alemã foi de 44.362.667, que representava 99.02% dos votos.
Alemães e Austríacos são a mesma coisa racial e culturalmente, tanto que a Áustria se chamava República Alemã da Áustria (Republik Deutschösterreich), antes da unificação com a Alemanha.
Vídeo emocionante, mostra a alegria do povo austríaco que saudou euforicamente o Führer em Viena, os militares alemães saudando seus irmãos austríacos e vice-versa.
Calamos aí os canalhas que alegam que a Áustria foi invadida pela Alemanha!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Tarso Genro agora pratica auto-homenagem

Tarso Genro agora pratica auto-homenagem

Moças e moços livres de todo o Brasil, uni-vos! Ou: Por que a liberdade é superior ao pão. Ou: Professores da área de humanas, tirem essa barbicha ou esse saião que eu quero vocês sérios!

Moças e moços livres de todo o Brasil, uni-vos! Ou: Por que a liberdade é superior ao pão. Ou: Professores da área de humanas, tirem essa barbicha ou esse saião que eu quero vocês sérios!

INTOLERÂNCIA - MUSEU DO HOLOCAUSTO


Publiquei HOLOCAUTELA, no início o mês, sem saber que o “Colóquio” ali anunciado teria ainda maiores consequências. Acabamos de ser informados de que Curitiba, cidade sul-brasileira, 1,8 milhão de habitantes, que já tem um museu de Arte Contemporânea, outro de Alfredo Andersen, um de Curitiba, um da Imagem e do Som, mais o de História Natural, o Botânico e o Museu Oscar Niemeyer, agora tem também um MUSEU DO HOLOCAUSTO. Segundo o Google só existe outro em Washington, Jerusalem e Berlim (se não me engano, mais um em Miami).

Estranho. Nada tem a ver com a história regional. Nada a ver com a natureza ou geologia da região. Pretende se referir a algo que teria acontecido em outro continente 70 anos atrás!

Este museu foi inaugurado ontem, dia 20 de novembro de 2011, presentes o governador do Paraná, seu vice e secretário da Educação, bem como o prefeito de Curitiba. O governo federal foi representado pela ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário. Não deixaram de comparecer muitos deputados federais e estaduais, vereadores e outras autoridades.

Pela parte sionista estiveram presentes o idealizador do empreendimento,  dono da maior indústria de cosméticos do Brasil; o presidente da Confederação Israelita Brasileira, o embaixador de Israel e o seu cônsul em São Paulo; o presidente da Federação Israelita no Paraná.

Os “sobreviventes” foram representados por Ben Abraham (86anos), que já escreveu cerca de dez livros sobre a matéria dos quais, segundo ele, já foram vendidos mais de 700 mil exemplares. Ben Abraham foi desmascarado pelo falecido Castan como testemunha MENTIROSA. Castan divulgou dois videos. Um apresenta Ben Abraham em 1989 na Bandeirantes dizendo que passara 5 1/2 anos em Auschwitz. Um ano depois o mesmo Ben fala na Educativa do Rio Grande do Sul que em Auschwitz ficara cerca de duas semanas e meia. O site www.inacreditavel.com.br ainda deve dispor destes vídeos.

É claro que o museu em questão nada poderá apresentar de concreto, a não ser uma coleção de material publicitário e uma simbologia constituída de malas velhas, sapatos, uma diversidade de objetos pessoais. Há vídeos com depoimentos de sobreviventes da Segunda Guerra.

Mas qual seria na realidade o objetivo desta iniciativa?  Dizem seus responsáveis, que ela representa o fortalecimento de uma lembrança, com o fim de fomentar uma discussão mais ampla sobre a intolerância.

A inauguração aconteceu ontem, mas o museu só abrirá em fevereiro. Por que só em fevereiro? Porque então teremos o reinício das aulas? Imagino que haverá ônibus especiais carreando crianças inocentes com suas respectivas professoras para visitar a exposição. Ali aprenderão a ter pena daquele pobre e bom povo massacrado pelos bárbaros alemães, que tanto mal trouxeram à humanidade.

E o que aprenderão na discussão mais ampla sobre a intolerância? Intolerância como a de Henry Morgenthau, conselheiro do presidente americano Roosevelt, que desenvolveu um plano para exterminar todo o povo alemão, fazendo-o voltar à Idade da Pedra. Plano este que chegou a ser aprovado por Roosevelt e Churchill, depois substituído por outro, que deu no que deu. Discutir-se-á a intolerância e ódio demonstrados por Theodore Kaufman, presidente da American Federation of Peace, que em seu livro Germany must perish! (Alemanha deve perecer!) explicitamente preconizou o extermínio de todo o povo alemão? O mesmo que fez Louis Nizer, membro da loja B’nai-B’rith, que deu respostas semelhantes em seu livro What to do with Germany? (O que fazer com a Alemanha)?

É de se esperar que a tal discussão mais ampla sobre a intolerância acabe também com a dogmatização do holocausto. A punibilidade do seu questionamento adotada pela legislação de vários países, sob influência sionista, certamente não é demonstração de tolerância.

O que vem acontecendo no mundo, no Oriente Médio e ao redor do Mediterrâneo de fato mostra que há muito a fazer contra a prepotência, contra a brutalidade e contra a incompreensão, mas criar um museu como o citado em Curitiba, Paraná, Brasil, América do Sul não quer me parecer uma iniciativa exatamente condizente e promissora. Ela seria muito mais compreensível como sendo parte de uma estratégia publicitária para (de)formação de opinião pública.

Toedter

Dextra: Isto não pode acontecer aqui! -- por Patrick Bucha...

Dextra: Isto não pode acontecer aqui! -- por Patrick Bucha...: A nova América : metiços chicanos, que em poucas décadas serão a maioria da população americana, deixando claro a que vieream Patrick J. Bu...

Dextra: Isto não pode acontecer aqui! -- por Patrick Bucha...

Dextra: Isto não pode acontecer aqui! -- por Patrick Bucha...: A nova América : metiços chicanos, que em poucas décadas serão a maioria da população americana, deixando claro a que vieream Patrick J. Bu...

sábado, 19 de novembro de 2011

Marx, Lenin, Gramsci? Quem é o ideólogo das esquerdas de USPício?


 

As teias da epidemia de esquerdopatia se alastram e chegam à USP
A febre de esquerdismo (doença infantil, segundo Lenin) recentemente reagudizada na USP já jogou a máxima representação estudantil da universidade no chão, babando e se debatendo freneticamente em horrendas convulsões antidemocráticas.

Na busca por remédios curativos e paliativos adequados para esse extemporâneo ataque convulsivo causado por alguma variedade malsã de febre esquerdista, convém que seja encontrado seu fator desencadeante, ou seja, de onde procede o pernicioso inóculo ideológico que circula no organismo do DCE uspiano. Terá ele vindo de Marx e Engels? Terá vindo de
Frankfurt?

Ora, que nada! Para que se pudesse acertadamente supor alguma das mencionadas origens, teria-se que partir da premissa de que no pirogênico abscesso esquerdista coalhado de
incendiários milicianos universitários houvesse pendor generalizado para o estudo das obras dos pensadores marxistas, o que não é possível, dado o desprezo pelo saber existente entre os patogênicos elementos revolucionários à solta na USP. Assim sendo, o inóculo ideológico causador da ruptura da homeostase institucional da universidade só pode ter vindo de alguma fonte mais primitiva, de menor requinte intelectual. Algo mais distante dos filósofos e sociólogos, e mais próximo das subcelebridades vulgares dos mass media.
Apesar de ser palhaço, o Tiririca se envergonha das palhaçadas esquerdofrênicas na USP
Que ninguém suspeite do palhaço Tiririca! Tendo em mente que é o incendiário PSOL que hoje manda no DCE da USP, nada mais apropriado que desconfiar de uma de suas mais conhecidas figuras da atualidade, o ex-BBB e deputado Jean Wyllys. É ele que ensinou aos seus pupilos uspianos que a vontade da maioria só é correta e deve prevalecer quando está de acordo com o que eles pensam. Eis a prova cabal:

Embora não muio interessados em absorver o conhecimento de seus mestres, os militantes (e as moças, militANTAS?) psolistas uspianos assimilaram muito bem os ensinamentos deste produto da alienação burguesa dos enlatados globais que atende pelo porcamente americanizado nome de Jean Wyllys. Caso os padawans do ex-BBB prevaleçam hoje no DCE, e amanhã nas cátedras universitárias e nos ministérios, qual será o futuro do Brasil? A julgar pelo histórico da esquerda no poder, terá muito crepitar de labaredas, mas não será nada luminoso. Assim sendo, é bom torcer para que o País tenha algum fiapo de DNA de fênix escondido. Oremus. A cura para o mal da USP, se vier a tempo, passa necessariamente pela prece.

Novos tentáculos do poder político


Como fiscalizar as ONGs? Houve problemas, ninguém nega. E quem tiver cometido erro tem que pagar”. Quando Aldo Rebelo, escolhido para substituir Orlando Silva no Ministério dos Esportes, fez essa declaração, ficou claro, no conjunto da entrevista que concedeu, que responsabilizar as ONGs foi um modo de livrar a cara do camarada antecessor. Eu entendi a manifestação como exercício de um dever de solidariedade. A culpa era dessas só organizações e da dificuldade de as fiscalizar. Foi na mesma linha que entendi o novo ministro quando, em outras entrevistas, disse que não pretendia prosseguir com tal prática. Ele não mais se valeria de instituições que não tinha como fiscalizar e passaria a destinar os recursos da pasta para estados e municípios.
Passado menos de um mês, fica-se sabendo que Aldo Rebelo cancelou convênios com 50 ONGs. Mas se era possível cancelar assim, por que, raios, esses convênios existiam? Por outro lado, deduz-se que das organizações que mantinham convênio com o ministério, malgrado a decisão de trabalhar com nenhuma, remanesceram 250 (!) em atuação (segundo o noticiário, cerca de três centenas de ONGs operavam nos programas de esporte do governo).
Aliás, quando fiquei sabendo desse número, para todos surpreendente, pus-me a indagar o seguinte: se em torno do PCdoB, um partido pequenininho, numa pasta também periférica, orbitavam três centenas de ONGs, quantas não agiriam no complexo universo comandando pelo PT e PMDB, os dois gigantes do governo federal? Pois é. A resposta, colhida na mídia, chega a quase uma dezena de milhar. É toda uma rede, financeira e politicamente subordinada, envolvendo um contingente humano que pode alcançar um milhão de pessoas se considerarmos todos os dirigentes, servidores assalariados e voluntários. Trata-se de uma nova máquina que se agrega ao gigantismo do poder central, estatal, e que tantas vezes - sabe-se agora - está incorporada aos vetores da corrupção por ele polarizada.
Com enorme surpresa já ouvi de alguém: "Eu tenho uma ONG". E com surpresa ainda maior, já li, várias vezes: "Fulano de tal, dono de uma rede de ONGs...". Que tal? Donos de ONGs? Só podia dar no que deu. Entende-se, então, o motivo pelo qual a CPI das ONGs, nascida em 2006, morreu de inanição, quatro anos mais tarde, sob total desinteresse da maioria governista. Na nota oficial em que fez o necrológico da finada CPI, a Associação Brasileira de ONGs (http://www.abong.org.br/noticias.php?id=2576) fala em "criminalização dos movimentos sociais" e em "setores conservadores". Quem conhece o idioma da esquerda sabe que tal vocabulário que não deixa dúvidas quanto à devoção filial dessa instituição a padrinhos bem conhecidos, com acesso à grana dos esfolados contribuintes.
Ressalve-se que organizações dessa natureza compõem uma estrutura admirável se usadas para o bem. Mas como são terríveis, sob o ponto de vista moral e institucional, se convertidas em tentáculos do poder político! Nos negócios em que então se envolvem elas não ofendem apenas as leis penais. Elas atacam a própria democracia.
Muito tenho escrito, aliás, contra a centralização em nosso país. Ela se dá ao arrepio da forma federativa, que aponta para uma direção, enquanto a prática política, fiscal, legislativa e administrativa age no sentido inverso. A isso se acrescenta agora, nestes anos de decadência moral das instituições, a vasta e multiforme rede de ONGs dependente dos favores e das vistas grossas de seus financiadores governamentais, conjugadas com subterrâneos canais de retorno das verbas recebidas. A existência de uma rede não implica, necessariamente, descentralização. No caso, ocorre o contrário disso, seja pela dependência financeira que cria, seja pelas verbas que refluem, mediante artifícios contábeis, para os dutos da corrupção política.
A presidente Dilma, energicamente, no final do mês passado, determinou uma paralisação de 30 dias em todas as transferências de recursos para que um pente fino fosse passado no emaranhado cabelo dessas ONGs com dono, com jatinho e prodigalidades semelhantes. Já se foram dois terços desse prazo. Eu, ao menos, estou contando.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Orkuteiro neonazista defende o "direito ao racismo"

 





Chegou até mim o print acima de um orkuteiro neonazista defendendo o "direito ao racismo" [sic]. Segundo ele, "ser racista é um direito que passa pela liberdade de consciência e expressão". Vamos então aos erros primários de seu comentário, primeiramente definindo o conceito católico de racismo.

Conforme já consignado neste blog, "o conceito de 'racismo' para o catolicismo limita-se ao ódio interracial e, nesta linha de análise, o racismo não pode ser aceitável." O conceito laico e politicamente correto de "racismo", que inclusive é juridicamente imposto aos cidadãos, envolve a prática de atitudes preconceituosas a outras raças, o que é uma imensa bobagem.

Trata-se de uma imensa bobagem porque, em primeiro lugar, o preconceito é uma atitude natural. Se preconceito racial fosse realmente ser punido, iria faltar espaço nas prisões, e muitas pessoas de boa fé teriam que ser encarceradas.
Um exemplo que foi ilustrado neste blog é Pio XII, que preconceituou tropas com "pessoas de cor" como exercício de sua prudência, no intuito de proteger as mulheres de crimes sexuais perpetrados desproporcionalmente por estas pessoas. Um outro exemplo bastante banal é a torcida do Flamengo. Não há estatísticas afirmando que a maioria dos negros cariocas são flamenguistas, mas este é um preconceito bastante arraigado, pois extraído da experiência e observação. Desta forma, não há nada de arbitrário em si em "preconceitos raciais".

Outrossim, atitudes discriminatórias raciais não são em si arbitrárias. Uma pessoa que não nutre atração física por pessoas de outra raça não deve ser presa. Naturalmente, a pessoa que prefere pessoas de sua raça ou mais próxima a sua não deve ser presa, pois tais preferências são inerentes a sua
personalidade, configurando-se aqui num direito humano. Naturalmente, tais preferências são um exercício de disciminação (separação), pois determinado grupo de pessoas é preterido na escolha. Logicamente, existem discriminações injustas e arbitrárias neste tocante, como é o caso das cotas raciais. Entretanto, como se viu, nem toda discriminação racial é arbitrária.

Raças existem e são desiguais entre si. Há diferenças de intelecto, de resistência física, de longevidade, de imunidade, de níveis de hormônios, enfim, há uma miríade enorme de diferenças, de modo que o pensamento segundo o qual "raça" é uma construção cultural é o exercício da mais patente e maldosa desinformação por parte do pensamento esquerdista.

Neonazistas como o energúmeno da imagem têm opiniões desequilibradas sobre raça. Erram em tributar adoração à raça como uma espécie de "ídolo" e, assim, não sabem lidar com as supra-mencionadas diferenças, que são inatas, e por isso cultivam ódio e desprezo para com o semelhante como se certas raças pertencessem a espécies não-humanas. As diferenças entre seres humanos e grupamentos de seres humanos, longe de serem oportunidades para se cultivar ódio e desprezo, foram plantadas por Deus para que haja solidariedade entre os homens, pois todos os homens, sejam eles brancos ou negros, têm um tronco em comum, que é Adão.

Para os neonazistas, no entanto, brancos e negros não têm a mesma origem, pois eles acreditam nas errôneas concepções do poligenismo e da teoria evolucionista. Essas são as diferenças essenciais entre o pensamento católico e o neonazista acerca deste assunto. Para o neonazista, as diferenças entre estes agrupamentos são oportunidade para cultivar sentimentos de ódio e desprezo para com o semelhante. Para o católico, as diferenças servem justamente para o oposto: para a caridade e solidariedade entre os homens. Desta forma, o mais inteligente ajuda o menos inteligente, o mais forte ajuda o mais fraco, o mais resistente ajuda o menos resistente etc, de modo que as raças devem se ajudar mutuamente. Os benefícios da desigualdade entre os seres humanos foram expostos pelo Papa Leão XIII em sua Encíclica Humanum Genis
:

"35. Olhando para a origem e natureza comum, para o fim último atribuído a cada um, para os direitos e deveres que cada um tem, não há dúvida de que os homens são todos iguais entre si. Mas como é impossível capacidade igual em todos, e porque um difere do outro pelas forças da alma e do corpo e é tanta a variedade dos costumes, das inclinações e das qualidades pessoais, é coisa absurda querer confundir e unificar isso tudo, e introduzir nas ordens da vida civil igualdade rigorosa e absoluta. Assim como a perfeita constituição do corpo humano resulta da união e composição dos vários membros que, diversos pela forma e uso, mas conjugados entre si e estabelecidos cada um em seu lugar, formam um organismo belo, forte, útil e necessário à vida; assim também no Estado é quase infinita a variedade dos indivíduos que o compõem. Se forem feitos arbitrariamente pares entre si, e todos agirem de acordo com sua vontade, derivará uma cidadania monstruosamente disforme; ao passo que distintos, mas em harmonia de graus, de ofícios, de tendências artísticas, juntos e harmoniosamente cooperarão para o bem comum, e apresentarão a imagem de uma cidadania bem constituída e conforme à natureza."

Assim, certas raças se beneficiam da interação com outras raças para seu progresso intelectual, técnico e espiritual. Do mesmo modo, se as raças não pudessem ser misturadas, Deus não as plantaria numa mesma espécie. A miscigenação é uma escolha individual e pertence ao foro privado. Não deve ser uma escolha do Estado e tampouco é contrária aos planos de Deus. Por isso não devem haver políticas nem favoráveis nem desfavoráveis à miscigenação, pois raça não deve ser um assunto primordial do Estado. Um Estado racial é um Estado idólatra, pois seu princípio é a raça e não a caridade entre seres humanos. Como ressaltado por Pio XI, em sua Encíclica Mit Brennender Sorge (“Com Ardente Preocupação”):

Todo aquele que tome a raça, o povo ou o Estado, ou uma forma determinada de Estado, os representantes do poder estatal ou outros elementos fundamentais da sociedade humana ... e os divinize com culto idolátrico, perverte e falsifica a ordem criada e imposta por Deus.”

Assim, conforme demonstrado, o racismo, consubstanciado no ódio e desprezo a outra raça, não é, pois, um "direito", mas um mal moral; um pecado, que priva o indivíduo do mais sagrado direito que é o direito ao Reino de Deus.

PROFESSOR TARSO


AULA DE MATEMÁTICA

Hoje vou brincar de professor de matemática. Vou passar alguns problemas para você resolver.

Problema nº1

Um professor trabalha 5 horas diárias, 5 salas com 40 alunos cada. Quantos alunos ele atenderá por dia?

Resposta: 200 alunos/dia.

Se considerarmos 22 dias úteis, quantos alunos ele atenderá por mês?

Resposta: 4.400 alunos por mês.
Consideremos que nenhum aluno faltou (hahaha) e que cada um deles resolveu pagar ao professor com o dinheiro da pipoca do lanche: 0,80 centavos, diárias. Quanto é a fatura do professor por dia?


R: 160,00 reais diários

Se considerarmos 22 dias úteis, quanto é faturamento mensal do mesmo professor?

R: Final do mês ele terá a faturado R$ 3.520,00.

Problema nº2

O piso salarial é 1.187 reais, para o professor atender 4.400 alunos mensais. Quanto o professor fatura por cada atendimento?

Resposta: aproximadamente 0,27 mensais

(vixe, valemos menos que o pacote de pipoca)... continuando os exercícios...

Problema nº3

Um professor de padrão de vida simples, solteiro e numa cidade do interior, em atividade, tem as seguintes despesas mensais fixas e variáveis:

Sindicato: R$12,00 reais

Aluguel: R$350,00 reais ( pra não viver confortável)

Agua/energia elétrica: R$100,00 reais (usando o mínimo)

Acesso à internet: R$60,00 reais

Telefone: R$30,00 reais (com restrições de ligações)

Instituto de previdência: R$150,00 reais

Cesta básica: R$500,00 reais

Transporte: sem dinheiro

Roupas: promocionais

Quanto um professor gasta em um mês?

Total das despesas: R$1202,00

Qual o saldo mensal de um professor?

Saldo mensal: R$1187,00 - 1202= -15 reais, passando necessidades

Agora, eu te pergunto:

- Que dinheiro o professor terá para seu fim de semana?

- Quanto o professor poderá gastar com estudos, livros, revistas etc.

- Quanto vale o trabalho de um professor??
- Isso é bom para o aluno???
- Isso é bom para a educação pública do Brasil??


 Agora, olhe a pérola que o Sr. Governador do RS disse.
" Quem quiser dar aula faça isso por gosto, e não pelo salário. Se quiser ganhar melhor, peça demissão e vá para o ensino privado " TARSO – Governador- RS
SE VOCÊ ACHA QUE NOSSO GOVERNADOR DEVE ABRIR MÃO DE SEU SALÁRIO E GOVERNAR POR AMOR, PASSE PARA A FRENTE!.
CAMPANHA
TARSO doe seu SALÁRIO e governe por AMOR !"

Vamos espalhar isso aos 4 ventos e aumentar a campanha:

DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS, MINISTROS, SENADORES, DOEM SEUS SALÁRIOS E TRABALHEM POR AMOR!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

YRMINSUL: Visão Eurasianista

YRMINSUL: Visão Eurasianista: Por Alexandr Dugin Princípios básicos da plataforma doutrinária eurasianista “Segundo 71% dos cidadãos russos pesquisados, a Rússia p...

Dextra: Do blogue Inacreditável: Desde quando sabemos sobr...

Dextra: Do blogue Inacreditável: Desde quando sabemos sobr...: Bom post recente do Inacreditável . Abaixo, o início do texto: O aparecimento de um “mito”? A definição do termo Holocausto judeu não es...

Alerta Total: Drogas, Midiotices e Senso Comum Modificado

Alerta Total: Drogas, Midiotices e Senso Comum Modificado: Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net Por Jorge Serrão Maconheiros, uni-vos e chorai! No mesmo mês em que a “empresa” na...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

WikiLeaks nunca vazou documento mostrando que William Waack foi informante dos EUA; já Zé Dirceu e Greenhalgh… Um deu pau em Lula; outro passou aos americanos bastidores do PT e do MST

WikiLeaks nunca vazou documento mostrando que William Waack foi informante dos EUA; já Zé Dirceu e Greenhalgh… Um deu pau em Lula; outro passou aos americanos bastidores do PT e do MST

UM MANIFESTO DIRIGIDO ÀS MOÇAS E AOS MOÇOS LIVRES DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS. A MAIORIA SILENCIOSA COMEÇA A DIZER O QUE QUER

UM MANIFESTO DIRIGIDO ÀS MOÇAS E AOS MOÇOS LIVRES DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS. A MAIORIA SILENCIOSA COMEÇA A DIZER O QUE QUER

Neuschwabenland

Antes da guerra, a Alemanha demarcou segundo as convenções internacionais, um território no polo sul e que recebeu a designação de “Neuschwabenland”.
A esquecida colônia alemã

O exército alemão capitulou em 1945 – isso é de conhecimento geral. Entretanto, não se deve esquecer que o Império alemão consistia não somente daquele pedaço de terra da Europa Central, mas que ele também possuía 600.000 km², os quais NÃO foram ocupados pelos aliados. Aparentemente a enorme colônia alemã de “Neuschwabenland”, na costa atlântica da Antártida, foi destino de inúmeros submarinos alemães nas últimas semanas da guerra.


Neuschwabenland ainda está indicada nos mapas atuais

O que se esconde atrás desta lenda e como os alemães vieram a possuir esta colônia, que é quase o dobro do tamanho da atual Alemanha? Qual o mistério que envolve este território sobre o qual pouco ou absolutamente nada se ouve na imprensa?

O início da exploração alemã da Antártida nos remete ao ano de 1873, quando a Sociedade Alemã de Pesquisa Polar envia Eduard Dallmann para as águas geladas da Antártida. Dallmann descobre com seu navio “Grönland” – o primeiro vapor em águas polares – inúmeras novas regiões, entre outras, a ilha Kaiser Wilhelm. Esta expedição foi uma das tantas outras expedições alemãs no hemisfério sul, dentre as quais podemos citar as mais importantes: em 1910 sob o comando de Wilhelm Fichtner com o navio “Deutschland” e em 1925 sob o comando de Dr. Albert Merz com o navio “Meteor”.

Sob o governo Nacional-Socialista, reconheceu-se rapidamente a importância deste território afastado e ficou decidido anexar este grande território, tomando-o como propriedade alemã. Ocorreu então, em 1938, a maior expedição alemã rumo à Antártida, sob o comando do capitão Alfred Ritscher. O navio “Schwabenland”, que foi preparado para esta expedição ao custo de um milhão de Reichsmark, deixou o porto de Hamburgo uma semana antes do natal de 1938 e chegou nas águas geladas do polo sul em 19 de janeiro de 1939.


Em 19 de janeiro de 1939, o navio Schwabenland chegou nos mares da Antártida

Para a exploração do território, os alemães utilizaram dois hidroaviões pesados, o “Boreas” e o “Passat”, os quais eram lançados através de catapultas a vapor, diretamente do convés do “Schwabenland”. Eles sobrevoaram uma região de cerca de 600.000 km², documentaram os voos de reconhecimento com quase 11.000 fotos e jogaram boias sinalizadoras com bandeiras do Império alemão, consolidando assim a posse do território. Este método era aceito internacionalmente naquela época. Todo o território recebeu o nome de “Neuschwabenland” e as paisagens descobertas receberam também nomes alemães, como por exemplo, a região livre de gelo onde até existe um pouco de vegetação – a Schirmacher-Seegruppe, e também as montanhas Mühlig-Hoffmann, com mais de 3.000 m de altura.


Hidroavião “Passat” é lançado por catapulta do convés do navio

No meio de fevereiro, o navio retornou à Pátria. Os preparativos para uma próxima expedição civil tiveram que ser cancelados logo após a eclosão da guerra. Neste ponto termina a parte oficial da documentação.


Brasão oficial da expedição

No Tratado da Antártida de 1957, a Noruega pleiteou o direito sobre o território e renomeou-o com denominações geográficas segundo suas próprias diretivas. Se os novos nomes noruegueses conseguiram se estabelecer, reconhece-se com uma olhadela sobre um mapa atual da região. Lá encontra-se até hoje, em sua grande maioria, os nomes alemães, às vezes também nas duas línguas.

O final da pesquisa civil não significou o final das expedições alemãs na Antártida. Nos anos de 1940 até 1943, o Império alemão continuou com operações militares em Neuschwabenland e iniciou em 42/43 a construção da famosa base 211 – uma fortaleza alemã no gelo. Quando as tropas aliadas já se encontravam em solo alemão, na Europa central, intensificou-se a locomoção de materiais de alta tecnologia, documentos secretos e importantes pessoas para a base 211 e para uma outra localidade secreta nos Andes sul-americanos. Aqui o Império deveria continuar caso a velha Pátria caísse. Os submarinos utilizados (mais de 100) são declarados até hoje como “desaparecidos”. Em todo o mundo e também na Alemanha “libertada”, não se tinha a menor ideia desta base secreta – até que em 1947 algo aconteceu.

Em 27 de janeiro de 1947, uma “expedição” americana chegou em Neuschwabenland. A operação “Highjump” foi comandada pelo famoso piloto dos polos, Almirante Byrd. O objetivo: destruir a última base nacional-socialista do mundo, a base alemã na Antártida, a base 211. Seis até oito meses foram calculados pelos americanos para esta última batalha da Segunda Guerra Mundial, porém, foram somente três semanas. Já nos primeiros voos de reconhecimento, vários aviões foram perdidos, a expedição teve de ser cancelada e terminou em um retirada incondicional. Ao almirante Byrd foi destinado o silêncio permanente, até hoje desconhece-se a versão oficial, por que e de quem os americanos tiveram de se retirar. Rumores sobre uma alta tecnologia dos alemães tomaram conta dos noticiários.

Não obstante, o almirante retorna novamente, mas desta vez melhor preparado. Em 1955 chega à região uma força-tarefa russo-americana sob seu comando, com 12 navios, 3.000 homens, 200 aviões e 300 veículos e instalam inicialmente diversas bases para então preparar o ataque final. No final do verão de 1958, os EUA detonam pelo menos duas bombas atômicas, as quais também são responsáveis pelo buraco de ozônio sobre a Antártida. Wilhelm Landig, o ex-membro da SS morto em 1988, envolvido nos assuntos secretos do Império alemão e autor do livro “Wolfzeit und Thule”, relatou em um vídeo publicado após sua morte, que este ataque também não teve resultado, mas que a base foi fechada nos anos 60 e transferida para a América do Sul.


Suposta foto original de um Haunebu III, em 1940

Até hoje permanecem fortes rumores sobre este “Terceiro Poder”, os descendentes desta elite trazidos em segurança pelos alemães ao final da guerra. Legendas sobre aeronaves desconhecidas com a simbologia do Terceiro Reich, cuja veracidade é supostamente documentada através de fotos e documentos secretos, e sobre as quais sérios jornais militares dedicaram vários artigos. Na atual supostamente esquecida Neuschwabenland existe desde 1981 uma estação de pesquisa alemã (Estação Neumayer). O que permanece hoje são inúmeras perguntas não respondidas e o mito do mistério.

Artigo publicado originalmente em 2006.

Capitalismo, por Joseph Goebbels

Características da atual crise financeira mundial são descritas neste ensaio sobre o Capitalismo. Além da data do artigo, chama atenção sua autoria: Joseph Goebbels.
“Democrática província do dinheiro”

Capitalismo não é uma coisa, mas sim uma relação para com ela. Não são as minas, fábricas, imóveis e terrenos, instalações ferroviárias, dinheiro e ações, as causas de nossa necessidade social, mas sim o abuso destes bens do povo. O capitalismo não é nada mais que a usurpação do capital do povo e, de fato, esta definição não encontra sua definição na limitação da pura economia. Ela tem sua validade ampla em todas as áreas da vida pública. Ela representa um princípio. Capitalismo é, sobretudo, o uso abusivo dos bens comuns, e a pessoa, que comete este abuso, é um capitalista.

Aqueles que abusam de centenas de bilhões de dólares, bem comum dos contribuintes, para dá-los aos bancos, aumentando a dívida pública e consequentemente o pagamento dos juros, estes são capitalistas. Seriam também vigaristas? – NR.

Uma mina existe para fornecer carvão ao povo, para que ele tenha luz e calor. Fábricas, casas, propriedades e terrenos, dinheiro e ações, existem para estar a serviço do povo, e não para tornar escravo um povo. A posse destes bens não proporciona somente direitos, mas deveres. Propriedade significa responsabilidade, e não apenas com seu próprio bolso, mas perante o povo e seu bem-estar. No início, as minas estavam lá para servir à produção, e a produção existe para servir ao povo. Não foi o dinheiro que descobriu as pessoas, mas sim as pessoas que inventaram o dinheiro, e para que ele lhes sirva, e não para que as subjugue.

Consciente disto, nosso Estado promulgou na Constituição de 1988 o limite máximo de 12% para cobrança de juros bancários. Alguém arrisca adivinhar quanto tempo esta decisão soberana do povo prevaleceu? – NR.


Goebbels e sua filha Holde

Se eu abuso dos bens econômicos para torturar e fazer sofrer o meu povo, então eu não sou digno da posse destes bens. Então eu inverto o sentido da vida no seu oposto, eu sou um capitalista da economia. Se eu promovo abuso de bens culturais, por exemplo, eu aproveito da religião para motivos econômicos ou políticos, então eu sou um mau administrador do bem a mim confiado, um capitalista cultural. O capitalismo se transforma num instante nas mais intragáveis formas, onde os motivos pessoais, para quais ele serve, se sobrepõem ao interesse de todo o povo. Parte-se então das coisas e não das pessoas. O dinheiro torna-se então o eixo, em torno do qual tudo gira.

No Socialismo é o contrário. A cosmovisão socialista começa no povo e então avança sobre as coisas. As coisas se submetem ao povo; o socialista coloca o povo sobre tudo, e as coisas são só meios para se atingir os fins.

Apliquemos esta premissa na vida econômica, então resulta a seguinte situação:

Em um sistema capitalista, o povo serve à produção, e esta é dependente por sua vez do poder do dinheiro. O fantasma do dinheiro triunfa sobre a presença viva do povo.
Em um sistema socialista, o dinheiro serve à produção, e a produção serve ao povo. O fantasma dinheiro se submete à comunidade orgânica de sangue – povo. O Estado pode ter nestas coisas somente um papel regulador. Ele revela os eternos conflitos entre capital e trabalho, seu caráter destrutivo. Ele é o juiz entre ambos, mas que age implacavelmente quando o povo está ameaçado. Existe para ele somente uma clara decisão, seja como for. Se ele se coloca numa disputa econômica ao lado hostil ao povo – pode ser tão nacional como quiser – então ele é capitalista. Ao contrário, caso ele sirva à justiça, e que é análogo à necessidade estatal, então ele é socialista.

Tão claras e transparentes possam parecer estes fundamentos da teoria, tão difíceis e complicados eles são na prática política. Eles dependem de milhares de questões individuais de caráter técnico ou comercial, de condições macro-econômicas globais e embaraços políticos mundiais. Mas esses problemas são insolúveis para um povo que interiormente não tenha caráter e seja exteriormente um escravo. Este é o caso hoje da Alemanha. Para nós não é colocado o debate, se Socialismo ou Capitalismo. Nós precisamos trabalhar para nossos opressores e não temos tempo para pensar em Socialismo, para não mencionar que mesmo que tivéssemos também a modesta possibilidade, seria difícil colocá-lo em prática.

Aqui no Brasil também não é colocado em debate se o nacionalismo socialista poderia ser a solução – NR.

Este foi o erro crucial do proletariado alemão naquele infeliz 18 de novembro de 1918: pode se perder uma guerra, deixar acontecer uma revolução, e apesar disso pode-se derrubar um Estado capitalista e erigir em seu lugar um Estado socialista. Isso só foi possível com as armas. Ninguém conseguiu na história mundial estabelecer uma nova cosmovisão – e o Socialismo é uma – através de uma capitulação, mas somente com resistência e ataque. 1918 apresentou aos socialistas alemães somente uma missão: manter as armas e defender o Socialismo alemão. Isso não foi feito. Conversa-se e realizam-se revoluções, mas o trabalhador alemão não nota que com isso ele apenas segura o cabide para seu pior inimigo, o capital internacional.

O resultado desta tolice é a anarquia de hoje. No papel uma Democracia social; na prática uma plantação do capital internacional. Ao contrário, nós nos posicionamos para a defesa. Como somos socialistas, queremos que o dinheiro sirva ao povo, por isso nos rebelamos contra esta situação, preparem a vontade para romper com um sistema insuportável, que dos escombros da democrática província do dinheiro, levante o Estado nacional alemão.

No combate contra as Altas Finanças temos o verdadeiro motivo para que o Nacional-Socialismo seja tão exorcizado pelos gafanhotos apátridas. Caso contrário, ele seria mais um dos inúmeros regimes autoritários que existiram ao longo da história – NR.

15 de julho de 1929.

Joseph Goebbels, O ataque – Extratos da época de luta, 1935, p. 188-190

Publicado originalmente em 17/10/2008

Yrminsul: A tortura acadêmica no Brasil

Yrminsul: A tortura acadêmica no Brasil: Por Gaius Fazer curso de história no Brasil é uma tortura para qualquer pessoa com cérebro. Coloquemos um nome mais honesto para o que ...

A Bronca é Livre: Danúbia, a "primeira dama" mais procurada da inter...

A Bronca é Livre: Danúbia, a "primeira dama" mais procurada da inter...: Não é de hoje que uma postagem de abril neste blog, exibindo duas fotos de Danúbia de Souza, mulher do traficante Nem, é uma das mais ac...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

DILMARIONETE BOTANDO PRA QUEBRAR NOS DISCURSOS

Frases e ideias que seriam barradas da ata da reunião de condomínio de
um conjunto habitacional do Minha Casa Minha Vida.


-
     O pensamento vivo de vossa presidente diante da
“grande e atenta” platéia do G 20.

  O discurso sobre o nada em Cannes: dar um jeito no neurônio de Dilma
é coisa para um Sírio-Libanês

Impressionado com o Discurso sobre o Nada em Cannes, o jornalista
Celso Arnaldo Araújo achou que era pouco internar Dilma Rousseff por
causa de um único trecho do palavrório sem pé nem cabeça.

O grande caçador de cretinices juntou logo quatro maravilhas do dilmês
rústico, acrescentou seu parecer e remeteu aos enfermeiros a hóspede
mais assídua do Sanatório Geral. Fez um trabalho tão bom que os
médicos do famoso nosocômio acharam que é coisa para o Direto ao
Ponto. (Augusto Nunes)

“Aí fomos para a reunião do G20. Na reunião do G20… Aliás, desculpa,
dos Brics. Na reunião dos Brics, os Brics discutiram a questão da
crise europeia. Os Brics, eu acho que nenhum deles foi… todos eles
acharam que tinha de aumentar, se houvesse uma ajuda, se fosse
necessário a ajuda, se… obviamente, os que são ajudados têm de querer.
Enfim, são discussões…”

“Nas reuniões, assim, mais laterais: com os japoneses, discutimos o
trem de alta velocidade… Quem mais que foi? Ah, com a OIT, foi essa
questão que a OIT enfatizou muito, a importância que o Brasil tem na
questão da política social, da política de proteção social, da
política de valorização do trabalho. Até a nossa… a recente
promulgação do Pronatec. Eles acompanham bem acompanhado”.

“Com a primeira-ministra, com a chanceler Angela Merkel, nós
discutimos a importância da relação do Brasil com a Alemanha;
enfatizamos que vamos dar uma ênfase muito grande à questão da pequena
e da média empresa no Ano Brasil-Alemanha 2013/2014 (…) Enfim, eu
estou tentando ser o máximo específica, mas, em geral, há muita, havia
muita preocupação com a questão da crise europeia”.

“Não é protecionismo, nós temos de nos proteger também, cada um faz o
que pode. Agora, tem algumas medidas que nós nunca vamos controlar.
Não vamos controlar a hora que eles resolvem despejar 800… A última
vez foram 800 milhões? Bi? Trezentos? Quanto foi o último quantitative
easing, o dois? Seiscentos bi? Eu não vou… não tem como controlar
isso, não tem como controlar a política cambial chinesa. Nós achamos é
que não… passamos o tempo inteiro dizendo isso: que tem isso, que não
pode ser assim, que tem de mudar. E, hoje, isso meio que se
internalizou; hoje, não somos só nós a falar isso”.

Celso Arnaldo faz o resumo da Ópera da Maluquice:
Dilma Rousseff, tentando explicar aos jornalistas o conteúdo de suas
sucessivas reuniões com chefes de estado das outras 19 nações mais
ricas do mundo, que discutiram em Cannes o futuro do planeta, com uma
sucessão de frases e ideias que, levadas ao pé da letra, sem uma
rigorosa revisão, seriam barradas na ata da reunião de condomínio de
um conjunto habitacional do “Minha Casa Minha Vida”.
 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Dextra: Do blogue Yrminsul: O mau sob a máscara do amor

Dextra: Do blogue Yrminsul: O mau sob a máscara do amor: Um leitor sugere o chocante vídeo abaixo, postado no blogue Yrminsul , sobre a doutrinação racista anti-branca que se passa por educação em...

Dextra: Em defesa dos linxamentos morais

Dextra: Em defesa dos linxamentos morais: Não sei se já disse (e se não disse, digo agora), mas apoio o antigo modo americano sulista de se fazer justiça. Acho que bandido tem mais é...

IMB - A Nova Ordem Mundial está se desintegrando

IMB - A Nova Ordem Mundial está se desintegrando

Mídia Sem Máscara - Então como é que é?

Mídia Sem Máscara - Então como é que é? Pobre federalismo brasileiro!

Haddad, pré-candidato do PT à Prefeitura, se solidariza, na prática, com os fascistas encapuzados da invasão, da pichação, da depredação, da facilitação ao narcotráfico!

Haddad, pré-candidato do PT à Prefeitura, se solidariza, na prática, com os fascistas encapuzados da invasão, da pichação, da depredação, da facilitação ao narcotráfico!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cavaleiro do Templo: Entrevista com "estudante" da USP

Cavaleiro do Templo: Entrevista com "estudante" da USP: MÍDIA SEM MÁSCARA ESCRITO POR BRUNO PONTES 07 NOVEMBRO 2011 ARTIGOS - EDUCAÇÃO Consegui falar com um meliante acampado no prédio da ad...

Cavaleiro do Templo: ESCOLA DE FORMAÇÃO OU LAVAGEM CE"L"EBRAL?

Cavaleiro do Templo: ESCOLA DE FORMAÇÃO OU LAVAGEM CE"L"EBRAL?: BLOGANDO FRANCAMENTE 11/07/2011 03:36:00 PM Por CAntonio Enquanto o ensino no país é fraco e sob a administração Haddad se tornou r...

Cavaleiro do Templo: Pr. Malafaia responde ao movimento gay que quer ti...

Cavaleiro do Templo: Pr. Malafaia responde ao movimento gay que quer ti...

Cavaleiro do Templo: Governo de Cuba anuncia nova marca de computadores...

Cavaleiro do Templo: Governo de Cuba anuncia nova marca de computadores...: VANGUARDA POPULAR ESCRITO POR EMMANUEL GOLDSTEIN O governo de Cuba anunciou a criação de uma estatal para gerir a distribuição de compu...

Vem aí o programa "Melhor em Casa", o tratamento caseiro do SUS.

Enquanto o Lula e a Dilma vão para o Sírio-Libanes, a idéia do governo do PT é tratar os pacientes que se amontoam nas filas do SUS em casa. Vem aí o "Melhor em Casa", o SUS caseiro. Ou seja: vão esconder as filas em casa e só falta usar, para isso, os "médicos" formados em Cuba. O lançamento será amanhã, com da presidente pronunciamento em cadeia nacional.

sábado, 5 de novembro de 2011

Mídia Sem Máscara - Projeto anti-família na origem das pilhagens na Europa

Mídia Sem Máscara - Projeto anti-família na origem das pilhagens na Europa

Mídia Sem Máscara - Miguel Nagib, sobre a doutrinação nas escolas: "o MP não pode fingir que não está vendo"

Mídia Sem Máscara - Miguel Nagib, sobre a doutrinação nas escolas: "o MP não pode fingir que não está vendo"

Dextra: Marcha patriótica, anti-imigrantes e anti-islâmica...

Dextra: Marcha patriótica, anti-imigrantes e anti-islâmica...: A grande imprensa esquerdista, com o perdão da redundância, tratou o evento, que reuniu milhares de pessoas no entorno da capital russa nest...

Dextra: Quatro negros estupram branco idoso no Texas

Dextra: Quatro negros estupram branco idoso no Texas: Council of Conservative Citizens : 4 de novembro de 2011 Original: Four black men gang rape elderly white man Tradução: DEXTRA A criminali...

Fora Apedeuta!: Este blog não é solidário com o ex-presimente

Fora Apedeuta!: Este blog não é solidário com o ex-presimente: Como seria bom ,nunca mais ouvir a voz dele O Ministério da Saúde adverte : MENTIR DEMAIS PODE CAUSAR CÂNCER NA LARINGE!!! O asno agor...

N O T I C I A S da U C R Â N I A: COMUNISMO SOVIÉTICO e NAZISMO ALEMÃO: AS DUAS FACE...

N O T I C I A S da U C R Â N I A: COMUNISMO SOVIÉTICO e NAZISMO ALEMÃO: AS DUAS FACE...: Timoty Snayder: Na Ukraina, havia duas fomes - soviética e nazista Istorychna Pravda (Verdade Histórica), 24.10.2011 Paulo Solodko "....

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

IMB - Empregos públicos são produtivos?

IMB - Empregos públicos são produtivos?

Cavaleiro do Templo: Islâmicos pedem tirar a Cruz da bandeira da Suíça

Cavaleiro do Templo: Islâmicos pedem tirar a Cruz da bandeira da Suíça: LUZ DE CRISTO domingo, 9 de outubro de 2011 Second@s Plus , associação de imigrantes islâmicos na Suíça anunciou uma campanha naciona...

A DIREITA BRASILEIRA EM AÇÃO: A Globo dá o troco

A DIREITA BRASILEIRA EM AÇÃO: A Globo dá o troco: A agressão à repórter Monalisa e a doce vingança da Globo no Jornal Nacional A repórter Monalisa Perrone foi agredida por dois delinquentes...

Graça no país das maravilhas: FORO DE SÃO PAULO

Graça no país das maravilhas: FORO DE SÃO PAULO: O Foro de São Paulo cuja matriz ideológica é a Ilha Cárcere de Cuba, é a nova internacional comunista que sob o significativa chavão: “¡Pat...

JUSTIÇA AO AVESSO: Poder, Política, Crimes e outras banalidades: O sistema político em Cuba: uma democracia autênti...

JUSTIÇA AO AVESSO: Poder, Política, Crimes e outras banalidades: O sistema político em Cuba: uma democracia autênti...: “O governo do povo, pelo povo e para o povo” (Abraham Lincoln) Ao estudar o sistema político vigente em Cuba, é necessário lembrar que se...

ESTE TEXTO MOSTRA A QUE PONTO ANDA A DOUTRINAÇÃO E A MENTE REVOLUCIONARIA MARXISTA NO BRASIL, DESCARADAMENTE GRAMISCIANA E SEM PUDOR EM ENFIAR GOELA ABAIXO DOS MAL INFORMADOS A DOUTRINA RELIGIOSA E UTOPICA, PRA NÃO DIZER MENTIROSA, DO PLANO DE PODER QUE VEM SENDO PRATICADO, E O BRASIL? INERTE EM BERÇO EXPLENDIDO.

Prostituta denuncia cliente à polícia por uso de drogas

Prostituta denuncia cliente à polícia por uso de drogas

Dextra: Viciados em ajudar aos não brancos -- por Kevin Ma...

Dextra: Viciados em ajudar aos não brancos -- por Kevin Ma...: Kevin MacDonald: The Occidental Observer , 2 de novembro de 2011 Original: Addicted to Helping Non-Whites Tradução: DEXTRA “ Addic...

Dextra: Por que o Judaísmo é um culto ultrarracialista tra...

Dextra: Por que o Judaísmo é um culto ultrarracialista tra...: David Duke: 30 de outubro de 2011 Original: Jewish news article reveals: “Judaism and Atheism are not contradictory” Tradução: DEXTRA ...