Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

domingo, 28 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O BRASIL DA INVERSÕES


Prof. Marlon Adami
Uma triste constatação se faz e se reitera a cada dia no país, a inversão total, geral e irrestrita de tudo, da moral, da ética, e até de sexo e postura social.
Depois de termos um presidente que não gostava de trabalhar e de crescer através da meritocracia, onde de forma ignorante achou que meritocracia era igual a exploração da mais valia, isso prova como a teoria marxista de tão absurda e incoerente qualquer apedeuta chega nela sem estudar o outro vagabundo chamado Karl Marx e seus contemporaneos.
No país onde a tematica do pensamento dos Direitos Humanos, teorizada por Gramsci se encaixa a cada dia como uma luva no processo revolucionário, acabou o bom humor, o sarcasmo e o deboche do brasileiro, transformando a sociedade numa grande divisão de grupos que se agridem, se perseguem, se julgam entre si como se a tutela judicial do Estado fosse a solução para os problemas por ele mesmo criado e que a massa imbecilizada não consegue perceber a maldade íntrinsica dessa realidade nacional.
Um sarcasmo, deboche é um crime e o crime é culpa da sociedade opressora que excluiu o bandido das oportunidades, porem apenas o individuo pode ve-las, mas o Estado babá quer dar tudo para todos no seu imaginário, mas acaba por ser incompetente e desprovido de ferramentas para agraciar à todos com sua pseudo benevolencia. Lembrando que a benevolencia do Estado jamais esquece os militantes fieis e raivosos que cumprem com sua agenda sempre sendo recompensados por tempo de militancia prestada ao partido/igreja que sempre foi o PT, que há algumas décadas já se sabe que de partido nada tem e de igreja apenas a fidelidade e cega pratica de sua militancia que deposita sua fé numa quadrilha de imorais e psicopatas.
Com tantas crises institucionais internas e externas, o país trata a realidade através da classe política como meros casos pontuais e dentro da normalidade da realidade capitalista intervencionista que eles praticam, onde tudo tem que ser resolvido através de dialogo e pelas leis que eles mesmos criaram que tem como objetivo protege-los da punição e da retirada dos psicopatas do poder.
A população que sustenta e mantem essa maquina enganadora chamada de Estado democratico de direito PETISTA NEO SOCIALISTA, se sente há muito amarrada e refem da quadrilha política instalada nos ultimos 20 anos, mas que há muito mais tempo trabalha para formatar a sociedade à seu favor 
como um grupamento adestrado para aceitar tudo sem reclamar.
Se existe produção e comércio e obviamente nem todos terão oportunidade de consumir as mesmas 
coisas, vem a público a verve socialista afirmando que o capitalismo é um regime economico selvagem que cria diferenças e desigualdades entre as pessoas, ocasionando problemas de toda ordem. No entanto esses mesmos combatetentes do capitalismo adoram as benesses do capitalismo e sabem perfeitamente que seu socialismo é um Titanic afuindado que jamais sobreviverá, então se combate o capitalismo, se utilizando dele e intervindo como um domador de leões, onde da mesma forma não haverá 
menos desigualdades através da maquiagem da redistribuição de renda promovida pela mentalidade 
esperta e maldosa dos neo socialistas.
Igualar desiguais é tudo que qualquer mente deformada sonha em fazer e transfere para uma luta eterna esse objetivo utópico utilizando de todas as formas, até ganaciosa o que o capitalismo tem para oferecer.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

OS DIREITOS E OS DEVERES


Todos os seres humanos têm Direitos. É óbvio.
Contudo, a Constituição de 1988 é peremptória para os idiotas que não sabiam ou não se submetiam ao “direito de todos”.
A partir de então, o “Direito” de todos foi utilizado pelo Foro de São Paulo como uma ferramenta para semear a dicotomia no seio da trêfega população nativa.
Hoje o Brasil está dividido, os jeitosos e os não - jeitosos, os cidadãos e os não - cidadãos, os que pagam e os que recebem.
Mas não era o suficiente. E surgiram os negros e os não - negros, os pobres e os não - pobres, os quilombolas e os não - quilombolas, os índios e os não - índios, os libertinos de taras sexuais e os normais. E assim, tivemos a promoção desgoverna mental do “Direito”.
Quem não tinha, roubava, desfalcava, pois é o seu direito possuir dinheiro, palacetes, tênis de marca, drogas, bebidas e mulheres ou... homens.
Começou o império dos homicídios, das falcatruas, dos estupros e das greves.  Se os outros comem, por que não eu? Se os outros têm por que não eu?
De acordo com os espertos, todos são iguais perante Deus e perante o desgoverno. Principalmente, no voto.
Por comodismo, nos DEVERES, nem pensar.
Se os que têm algo, se esgoelam para obter o que possuem, e cumprem um montão de DEVERES, o problema é deles, pois quem tem ganas de vencer na vida sem fazer força, nem precisa se dar ao trabalho de seguir  regras como cidadania, respeito, honestidade e outras frescuras que só causam incômodos.
Ainda mais”, alegam de punhos cerrados os favoráveis aos “Direitos” a qualquer custo, “que se os mais altos escalões vivem nababescamente, com poder e dinheiro, sob a sombra negra da impunidadeeu também posso”.
Depois de centenas de CPMIs e CPIs, sem eira nem beira, numa demonstração cabal de que no País o crime compensa, os jeitosos assumiram que é de seu “Direito” pegar o que julgam ser... de seu “Direito”.
O Brasil da permissividade superou a todas as expectativas, terra onde impera a igualdade, bastando pegar, roubar, aterrorizar e avançar nos bens dos OUTROS, pois vivemos sob a lama do social - lulo - petismo.
O tal de DEVER é um saco, passar anos economizando para comprar uma casinha, e estudar queimando os neurônios é uma idiota perda de tempo.
Um dos homéricos problemas dos que usam os seus “Direitos” de usurpar o dos OUTROS é que pegam as benesses apenas em seu proveito e se esquecem dos OUTROS.
Este é o Brasil cruel em que sobrevivemos, pois todos são iguais, e se todos pegam o que é dos OUTROS, a grande dúvida é quem no futuro vai fazer algo, e a tendência é que em breve venha a faltar bolo para todos.
O importante é o agora, pois o futuro Deus dará. Ou melhor, os que cumprem os DEVERES nasceram para sustentar, vestir e permitir que os espertos vivam, embora eles apenas sobrevivam.
Mas a vida nacional é assim, conforme decretou o desgoverno, tanto que a LDO de 2014 foi alterada no estertor do ano para anular o seu DEVER de cumprí - la, e sofrer as sanções por sua incompetência e roubalheira.
Ai dos vencidos, que na derrota têm que dividir o que é seu, cumprir os seus e os DEVERES dos outros, e submeter - se aos injustos DIREITOS dos mais canalhas.    
Brasília, DF, 30 de novembro de 2014
Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira