Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

terça-feira, 27 de outubro de 2015

ENSINO? PL? GREVES? ISSO NÃO É A SALVAÇÃO DA SOCIEDADE.

O ensino nacional público falido, dominado pela mentalidade esquerdista com seus doutrinadores formados por décadas nas universidades brasileira, militando pela transformação e construção da sociedade para o socialismo que tanto almejam.
Lembramos que a Social democracia abriu as portas para o método Paulo Freire se alastrar pelo país e hoje não se pratica outra coisa nas salas de aula senão essa metodologia marxista emburrecedora. Constato que o estado de SP, aplica alem do método o regime das escolas "cicladas" idealizado por Paulo Freire, ou seja, estilo de ensino enraizado profundamente na cadeia escolar.


"A partir da Lei 9.394/96, a educação deixou de ter critérios pré-estabelecidos para a organização dos diversos níveis, alguns estudiosos creditam esta certa liberdade e autonomia em função da demanda econômica, pois a partir da década de 90, devido às mudanças no mercado de trabalho começa-se a perceber a necessidade de um trabalhador mais flexível, que consiga adaptar-se às condições que impõe o mundo da produção.
            Portanto, fica evidente pela interpretação da LDB, que a liberdade e autonomia hoje concedidas às instituições de ensino estão diretamente condicionadas aos processos avaliativos, como ao mercado de trabalho. Poderíamos, afirmar que a escola nunca foi tão vigiada como é nos dias atuais. A flexibilidade, se por um lado é entendida como autonomia para a escola, por outro lado impõe uma intensa cobrança pela qualidade. Ou seja, não se preocupa mais com os meios, e sim com a qualidade do produto.
            Muitos professores ainda não se deram conta de que a nova LDB sugere a formação para o mercado de trabalho, e muito do discurso pedagógico está bem distante das novas exigências, porque há muito discurso permeando a educação e distanciando os professores das verdades incutidas na Lei.
Estudar a estrutura da Escola por Ciclos de Formação Humana é certamente um desafio, ora porque as informações ainda estão muito desencontradas, ora porque o grau de interpretação das informações é extremamente subjetivo".

Com a criação de de uma nova legislação, estrutura organizacional para o ensino preparado para esse modelo Freiriano Marxista, só precisou paciencia e tempo para que os velhos professores se aposentassem dando lugar aos docentes formados na cartilha marxista de dar aula e promover a pedagogia como uma força e com super poderes sobre o sistema de ensino e salvaguardar o modelo implementado nos últimos 30 anos.
Primeiramente se criou os colegiados de aprovação dos alunos, sendo que o mérito do aluno através das notas conquistadas passou a ser mero detalhe e desestimulo para os alunos, já que o que passou a ter mais peso era o colegiado. E sou testemunha que professores para se desfazer da responsabilidade e da vida acadêmica do aluno saiu aprovando sem critério algum e despejando analfabetos para o ensino médio, semi analfabetos para as faculdades e formando analfabetos funcionais para atuar nas mais diversas carreiras profissionais que envolvem, muitas delas com a vida da sociedade.
"O parecer do Conselho Estadual de Educação (CEEd) que proíbe a reprovação de alunos até o 3º ano do Ensino Fundamental, no chamado bloco pedagógico. Sei que a criança tem seu tempo de aprendizagem, mas não cabe ao Estado determinar, em nome de sabe se lá o que, que não se pode mais reprovar alunos. Será que em breve também será proibido reprovar alunos em todo o Ensino Fundamental, depois no Ensino Médio e, por fim, no Ensino Superior?"
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/opiniao/noticia/2015/10/bruno-eizerik-e-proibido-reprovar-4879989.html
Não será projetos legislativos romanticamente atraentes que mudará o perfil e a realidade da sala de aula, pois a raiz do problema nem citada é no debate com a profundidade devida e o conhecimento de causa para bem combate-la.
Mas antes de criticar o PT e seus asseclas aliados, lembrem-se que grande parte, senão o inicio do desmanche do ensino e da boa formação intelectual do brasileiro começou pelas mãos da Social Democracia Tucana...Todos concorrentes pelo poder mas iguais nos objetivos.
O debate está sempre aberto e sempre buscando a melhora da sua qualidade com pessoas comprometidas com o ensino verdadeiro e não em justificar essa ficção marxista que praticamos há décadas.
Dentro da premissa que estamos em uma democracia(?) o que se observa é bem o contrario. Uma imposição sistemática por uma maioria de profissionais(?) doutrinados nas faculdades e que se empoderam do poder dado pelo estado de descartas os contrários, que justamente são os que estão preocupados e querendo preparar os alunos.
Nossa ditadura e intervencionismo estatal não se restringe à economia, politica...mas na formação do cidadão.
Assim está e fica cada dia mais complicado achar uma luz no fim do túnel.