Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

sexta-feira, 8 de abril de 2016

O surgimento de um Movimento do Povo




Para podermos responder fielmente à verdade as perguntas existenciais que nos afligem, nós devemos conhecer a luta de Adolf Hitler para a construção de um Estado do Bem-estar para os alemães. Enquanto não conhecermos a verdade sobre o Nacional-Socialismo, sobre Adolf Hitler e sobre os judeus, nós estaremos tateando no escuro – e caminhando assim para o abismo existencial.
Como uma singular Cosmovisão conquistou sozinha o bem-estar de um povo
Nós precisamos ler as publicações da época da Alemanha de Hitler para podermos conhecer a verdade, pois tudo que apareceu posteriormente é alvo de mentiras e omissões. Tudo destina-se a impossibilitar o despertar do povo alemão. Os inimigos mortais de Adolf Hitler iriam permitir a revelação da verdade sobre ele? Naturalmente não. Por isso nós do NJ e Concept Veritas publicamos regularmente livros autênticos daquela época abençoada para uma humanidade desorientada. Apenas através destas publicações as pessoas podem saber a verdade, toda a verdade. Justamente hoje, onde estamos sendo “afogados” por governantes impostos pelos vencedores, auxiliados pelo tsunami étnico, o conhecimento e a verdade são as únicas armas com as quais podemos nos defender contra os planos de “Satanás” (o oponente).
Philipp Bouhler (* 11 de Setembro 1899 em Munique; † 19 de Maio 1945 em Dachau) foi Reichsleiter do NSDAP, chefe da chancelaria do Führer, publicitário e SS-Obergruppenführer. Em seu livro “Adolf Hitler: o surgimento de um Movimento do Povo”, o extraordinário publicitário e autor conseguiu documentar fantasticamente a biografia de Adolf Hitler como unidade entre o NSDAP e seu tão amado povo alemão. Principalmente o leitor inexperiente poderá saber como aconteceu o surgimento e a vitória do NSDAP, e o que significou a verdadeira democracia, ou seja, não apenas marcar uma cruzinha em um pedaço de papel, onde posteriormente o eleitor será crucificado, mas determinar como povo seu próprio destino (plebiscito). Por isso os alemães – sob Hitler – se sentiram tão acolhidos. Não é por acaso que os historiador do sistema, Götz Aly, denominou o Reich de Hitler como uma “ditadura do bem-estar”.
Adolf Hitler organizou tudo em prol do Povo, desde a organização partidária assim como do Estado. Sua grande obra foi conseguir livrar o povo dos grilhões das Finanças Internacionais.
Adolf Hitler enfrentou um mundo onde pontos de vista idealistas deviam ceder lugar ao poder destrutivo da especulação financeira. Uma progressiva superindustrialização, mecanização e especulação financeira pioravam não apenas as condições de vida dos trabalhadores, mas estrangulavam o trabalhador rural cada vez mais. Hitler viu bem antes do que maioria, que desta forma até mesmo os fundamentos para a alimentação do povo estava em perigo. Após o trauma da derrota alemã de 1918, os vencedores trataram de submeter os vencidos à loucura de uma internacionalização da economia (globalização). No lugar de um determinado empreendedor, apareceu a sociedade anônima; no lugar do comércio justo e saudável, o sistema financeiro judaico.
O autor judeu Rafael Seligman perguntou e esclareceu de forma clara e impressionante:
“Com o que o imigrante austríaco golpeou os alemães em sua trajetória? Por que 17 milhões de pessoas votaram nele em eleições democráticas? Quais os motivos para que os alemães terem transformado Hitler em seu Führer? Por que os alemães lutaram em nome de Hitler e se sacrificaram por ele até o fim amargo, quando estava absolutamente claro que seu líder iria cair e levaria consigo o país ao abismo? Aqui fica clara a diferença decisiva para com os ditadores mencionados. Assim como Átila, estes dominadores não tinham qualquer legitimação democrática. Para eles a popularidade vinha em segundo lugar. Adolf Hitler, ao contrário, teve até o fim o amplo apoio, confiança, admiração, sim, até o amor dos alemães. Independente do aumento da devastação de seu país, os alemães lutaram e trabalharam de forma destemida e tenaz pela vitória. Posteriormente eles enfrentaram a derrocada heroicamente. Ao invés de soltarem as mãos de seu líder, quando a bancarrota e suas consequências para a população eram inevitáveis, os alemães seguiram Hitler lealmente até a queda.” [1]
Uma tal ligação maravilhosa entre povo e seu líder só pode acontecer quando líder e povo sejam uma unidade, quando exista uma ligação recíproca e incondicional de amor entre povo e líder. Mais uma vez citamos Rafael Seligman:
“Adolf Hitler prometeu aconchego, incorporou a luta heróica contra os desafios, ameaças e chances da fria era moderna, quando seus representantes de forma alguma não foram vistos como judeus apenas pelos nazistas.” [2]
Estes aspectos foram compilados por Philipp Bouhler neste livro de forma simples e resumida. Seu grande mérito é informar ao leitor inexperiente, o que significa a verdadeira democracia.
Ao final do livro é listada uma tabela cronológica do período entre 1933 e 1939, com apresentação dos acontecimentos decisivos. Trata-se de uma documentação histórica importante e inacreditável para aprofundamento do conhecimento. Apresenta o desenrolar de eventos do novo Reich, partindo da revolução nacional-socialista até a eclosão da grande luta libertária dos alemães.
Cyrus Cox
1) WAMS.de, 7.3.2004
2) Rheinischer Merkur, 11.03.2004
National Journal, 20/01/2016.