Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Fundação Soros deixa a Hungria em meio a hostilidade política

BUDAPESTE (Reuters) – a fundação Open Society de George Soros irá fechar seu escritório em Budapeste e mudar suas operações na Europa oriental para Berlim, informou o jornal Austríaco “Die Presse” nessa quinta-feira.
FILE PHOTO: Activists of Egyutt (Together) opposition party removes a government billboard in Budapest
FOTO DO ARQUIVO: Ativistas do partido da oposição “Egyutt” (Juntos) removem um outdoor do governo exibindo George Soros em monocromo ao lado de uma mensagem pedindo para os húngaros participarem de uma consulta nacional sobre o que o financista, húngaro de nascimento, chama de plano para estabelecer um milhão de imigrantes na Europa por ano, em Budapeste, Hungria, 5 de outubro, 2017. REUTERS/Bernadett Szabo/Foto do Arquivo.
O Primeiro Ministro Húngaro Viktor Orban culpou Soros, um financista americano nascido na Hungria, por uma série de males e moveu a repressão de ONGs por meio de legislação, as chamadas de leis “Stop Soros”, que atraíram críticas internacionais.
O site de notícias húngaro “444.hu” disse que o escritório da Fundação Open Society irá fechar até dia 31 de agosto e se mudar, primeiro para Viena, e então para Berlim.
FILE PHOTO: Business magnate George Soros arrives to speak at the Open Russia Club in London
FOTO DO ARQUIVO: O magnata dos negócios George Soros chega para falar no Clube Open Russia em Londres, Grã-Bretanha, 20 de junho de 2016. REUTERS/Luke MacGregor/Foto do arquivo.
A Reuters não conseguiu se comunicar com a Fundação Open Society, tanto em Budapeste quanto em Nova York.
Orban, um autoproclamado defensor do que ele chama de “democracia não-liberal”, a muito tempo está em desacordo com a rede de ONGs de Soros que promove valores esquerdistas ao redor do mundo.
O premier húngaro travou durante anos uma campanha contra a migração para a Europa, uma das questões principais na sua campanha de reeleição, o que resultou em uma terceira vitória esmagadora neste mês.
FILE PHOTO: A government billboard is seen in Budapest
FOTO DO ARQUIVO: Um outdoor do governo visto em Budapeste, Hungria, 14 de fevereiro de 2018. No outdoor se lê: ‘Soros quer trazer milhões da África e do Oriente médio’. REUTERS/Bernadett Szabo/Foto do Arquivo.
O partido de Orban Fidesz disse que iria cumprir as promessas de campanha de reprimir ONGs que fomentam direitos para migrantes. A Organização para Segurança e Cooperação na Europa disse que a eleição foi caracterizada por mensagens xenofóbicas e intimidadoras.
A legislação enviada para o parlamento antes da eleição iria impor uma taxa de 25% sobre doações estrangeiras para ONGs que o Governo diz que financiam a imigração.
Sua atividade teria que ser aprovada pelo ministro do Interior, que poderia negar permissão se visse um risco à segurança nacional.
A fundação Open Society não pôde ser encontrada de imediato para dar maiores explicações. Porta-vozes do governo húngaro não responderam imediatamente aos pedidos de esclarecimentos por e-mail.
A Universidade Central Européia, fundada por Soros, também disse que está abrindo um campus em Viena em um futuro próximo. Ela disse que continua comprometida com o campus de Budapeste, mesmo com a pressão do governo para expulsá-la da Hungria.
[*] Reuters Staff. “Soros foundations to quit Hungary amid political hostility”. Reuters, 19 de abril de 2018.