Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Globalismo e sua origem.

Eu diria que uma das primeiras manifestações públicas identificáveis teria ocorrido por ocasião das comemorações do centenário da Revolução Francesa, ao final do século XIX, em Paris. Ali foi criada a INTERNACIONAL SOCIALISTA. O Globalismo, isso já é público e notório, pretende assumir o GOVERNO MUNDIAL, tem, portanto, iguais pretensões às da Internacional Socialista. Já ali a I.S. mostrou a que vinha: decidiu acabar com três Impérios europeus. Conseguiu o que queria em cerca de vinte anos. Extinguiram a casa imperial do Império Austro-húngaro, com a mesma guerra fizeram o Kaiser alemão abdicar e ainda assassinaram o Czar da Rússia e toda a sua família, detonando a Revolução Russa. Nesta Rússia já foi criada uma vasta área experimental com a instalação do Regime Soviético. Tendo este como base operacional, seus agentes foram enviados para o mundo todo. Aqui basta nos lembrarmos dos nome Prestes e Olga. No Congresso americano foram denunciados em 1963 os “45 Objetivos Comunistas”, publicados cinco anos antes no livro THE NAKED COMMUNIST. A presença vermelha nos EUA já fora sentida antes pelo maccarthysmo.
Que a INTERNACIONAL SOCIALISTA tenha sido uma das razões da criação do NACIONAL SOCIALISMO, seu mais ferrenho opositor, é bastante óbvio. Mobilizou 53 países em uma guerra das mais sangrentas. Derrotados os nacionalistas, são feitos desde então todos os esforços para evitar sua renascença.
Comunismo não morreu
O que antes se chamava Comunismo não morreu com a União Soviética e muito menos nos Estados Unidos. Estes passaram a ser a locomotiva, o carro chefe dos promotores da NOVA ORDEM MUNDIAL, que costuma ser abreviado como NOM. Dominados por políticos ligados à maçonaria e ao illuminismo desde a sua independência, como bem mostra o seu brasão, os EUA formaram campo fértil para que o pensamento criasse raízes e florescesse, graças, e principalmente, ao apoio do alto mundo financeiro judaico. Alastrou-se mundo a fora, mas, mesmo entre os mais ativistas, a maioria nem sabe o que estão defendendo.
Os globais se revelam
George H.W. Bush, num discurso perante o Congresso no dia 11.9.1990 foi o primeiro presidente a mencionar em público o objetivo de criação da New World Order. Curioso que isso aconteceu exatos onze anos antes da bandeira falsa que derrubou com dois aviões os três edifícios do World Trade Center, quando era Presidente dos EUA o filho do citado Bush. Esta bandeira falsa, por sua vez, desencadeou uma operação destrutiva e exterminadora que atingiu várias nações e povos do Oriente Médio e mediterrâneas. Incluo aqui a substituição cultural da população branca da Europa, operação ainda em andamento. Ela já fora anunciada em 1925 pelo Conde Richard Nikolaus Coudenhouve-Kalergi em seu livro “Idealismo Prático”. Dizia ele que os brancos seriam substituídos por uma raça mista afro-asiática regida ou governada pelos judeus. Estes mantém a pureza de sua raça, uma vez que suas leis não permitem a miscigenação.
Quem são os GLOBALISTAS
Enquanto a INTERNACIONAL SOCIALISTA constitui aquilo que poderíamos chamar de “exército”. São aqueles que realizam um trabalho diário mundo afora. Estão agindo principalmente nas áreas da educação, da informação e da política.
Analisar sua direção, administração, orientação nos conduz a uma área de areia movediça, onde dependemos de observações isoladas. Podemos dizer que os JUDEUS estão seriamente envolvidos, não só por preceitos religiosos que lhes assegurariam a supremacia sobre os outros povos. Também devido ao seu poder financeiro. É imperioso, porém, não generalizar. Há entre eles várias correntes. Henry Makow cita os CABALISTAS como os mais perigosos partidários da NOM. Sua doutrina é a de que sem o MAL não existe o BEM e para que haja uma NOVA ORDEM (baseada na Kabbalah) a velha ordem (cristã) deve ser impiedosamente destruída. É parecido com o lema illuminatti: “Ordem a partir do caos.”
Mas há segmentos judaicos que nada querem com isto, tais como os Natureikarta e os Torahjews. Também entre eles há muitos ateístas e agnósticos e, assim como entre os cristãos, aqueles que não querem nada com nada.
Mas a verdade é que os GLOBALISTAS estão em todas as áreas. Altas finanças, maçonaria, corporações empresariais, Bilderberger, CFR Council on Foreign Relations, Comissão Trilateral, Comitê dos 300, Clube de Roma etc.
Entre os Presidentes dos Estados Unidos pode se dizer que, depois de Ronald Reagan (1981-1989), até 2017 todos eram partidários da ideia globalista. Do atual espero, sem muita certeza, que seja mesmo NACIONALISTA!
Norberto Toedter
Nasceu em 1929 em Curitiba, Paraná, Brasil. De 1942 a 1947 viveu na Alemanha, onde testemunhou parte da Segunda Guerra Mundial