Free Shoutcast HostingRadio Stream Hosting

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

 
 Toque de silêncio
 
Por Maria Joseita Silva Brilhante Ustra
www.averdadesufocada.com
 
 
“Em uma guerra, a primeira vítima é a verdade”,
 Hiram Johnson - Senador americano - 1917
 
 
Nosso site tem recebido muitos e-mails de civis de todos segmentos da sociedade , de soldados a altas patentes das Forças Armadas, queixando-se da falta de informações sobre  a Contra-Revolução de 1964 e o Regime Militar.
Confirmando a falta de informações a respeito do período, em uma troca de idéias sobre os chamados "anos de chumbo",  foi dito por um general, na presença de mais dois generais, dois coronéis e três civis, um deles , eu, que:
- Nós, militares, não eu,  não discutimos o assunto por desconhecimento e vergonha desse período! ( Textualmente)


Creio que não são muitos, mas, esses, certamente, terão vergonha, por desconhecerem a história e, consequentemente, não terem condições de discutir o assunto. Provavelmente, não viveram essa época e nas escolas que frequentaram devem ter estudado em livros, onde a história já vinha sendo reescrita , com a versão da esquerda. Viram nas TV noticiários,  mini-séries, novelas e filmes onde os subversivos e os terroristas das décadas de 60 e 70 são mostrados como heróis desarmados que foram torturados, trucidados e abusados sexualmente pelos truculentos gorilas das Forças Armadas. Eram "pobres estudantes que lutavam pela liberdade e pela democracia". Leram reportagens tendenciosas em jornais e revistas  de grande circulação. Têm que ter vergonha, realmente, falta-lhes conhecimento do que, realmente, se passou naquele período .
As Forças Armadas ganharam a batalha das armas, mas não enfrentaram a guerra das comunicações!...
Perderam a guerra. Não rebateram as críticas... Não  mostraram  aos milhares de jovens que passaram por suas fileiras, como soldados, como sargentos, como cadetes, ou como alunos dos Colégios Miliares a verdadeira história da Contra-Revolução de 1964 e o desenvolvimento que o regime militar trouxe ao Brasil.
Os militantes das organizações subversivo-terroristas valendo-se do fato de que as três últimas gerações não foram testemunhas oculares dos fatos ocorridos durante os governos militares, estão agora no poder e com o dinheiro de nossos impostos pretendem continuar a cooptar os jovens
Os militares e a sociedade deixaram que um grupo de militantes de organizações subversivo-terroristas que, finalmente, depois de três tentativas de tomada do poder  pelas armas,  na quarta tentativa,  ao assumirem o poder pelo voto popular,  reescrevessem  a história, valendo-se do fato de que as três últimas gerações não foram informadas do que se passou  durante os governos militares. Assim. esses estudantes tendem a crer nas inverdades que o governo com o dinheiro de nossos impostos divulga permanentemente.
 Agora, vão lançar essa nova arma na doutrinação dos jovens do 2º grau.  Esse CD – ROM é inadmissível, pois seu conteúdo conspira contra a democracia. É o controle do Estado sobre a opinião pública
É inadmissível que o maior crime praticado, clandestinamente, antes e durante o regime militar - o recrutamento de nossos jovens - continue a ser praticado agora, às claras e  com a conivência da sociedade.
Será que as Forças Armadas, enquanto instituições nacionais permanentes, têm o direito, de calar-se ante tamanha ignomínia praticada contra a Nação?  Será que não percebem que esse CD-ROM é mais uma peça de propaganda na guerra psicológica contra as Forças Armadas?
Nós, que vivemos essa época, que vimos jovens serem cooptados para a luta armada, que vimos  nossos amigos morrerem emboscados, que vimos  soldados jovens que serviam à Pátria  e civis inocentes serem  assassinados, não podemos aceitar esse silêncio das nossas Forças Armadas  ante tamanha ignomia praticada contra a Nação.
Não sou militar, apesar de conviver com eles e, especialmente com um, meu marido,  há cerca de 50 anos . Não sei, exatamente, o que diz a Constituição quanto às atribuições das Forças Armadas, mas penso que, antes de servir  a governos, as Forças Armadas, devem lealdade ao Brasil e consequentemente à sua história!
Sei que não sou ninguém para sugerir nada a pessoas com muito mais cultura e conhecimento de suas atribuições e seus deveres do que eu, mas, atrevo-me a dizer que,  já passou da hora - mas nunca será tarde, para começar a escrever a verdadeira história da Contra-Revolução e do periodo militar .
Um gesto de grandeza e amor à Patria seria publicar conjuntamente - Exército, Marinha e Aeronáutica - um CD-ROM, um livro -  repondo a verdade dos fatos ocorridos no período 64/85,  mas, que não seja para o público interno e sim para as escolas , nem que seja apenas para as escolas militares
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário