Bunker da Cultura Web Radio

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Fiéis da Universal distribuem jornal com o Bispo Macedo na recepção de Dilma a chefe de Estado

Por Jorge Serrão

O empresário religioso Edir Macedo Bezerra marketeia sua presença na posse da Presidenta Dilma Rousseff. Fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus começaram a distribuir pelas ruas das grandes cidades do País, neste final de semana, restos dos 2.460.250 exemplares da edição 979 da Folha Universal que circulou de 9 a 15 de janeiro. A publicação exalta o simbolismo da presença de Macedo na recepção oficial reservada aos chefes de Estado: “O encontro, no segundo andar do Palácio do Planalto, em Brasília, foi um dos principais eventos da festiva posse de Dilma Rousseff e possui um valor simbólico. Demonstra que o tempo é o senhor da razão e a honra prevalece a injustiças”.

Com a manchete “Posse da Honra”, a capa foi ilustrada por duas fotos. Na de cima, do Bispo Macedo preso, lendo a Bíblia, na carceragem do 91º Distrito Policial (SP), em maio de 1992. Na de baixo, do sorridente Macedo, observado por Michel Temer e sua bela esposa Marcela. Nessa imagem clicada por Roberto Stuckert Filho, fotógrafo oficial da Presidência, Dilma, com a faixa presidencial verde-amarela, põe a mão esquerda sobre o ombro direito de Macedo. O jornal comentou: “Foi um encontro rápido, mas caloroso e com uma sincera troca de afetos e sorrisos que não passou desapercebida pelos ilustres convidados da recepção que celebrou a posse de Dilma Rousseff, a primeira mulher a presidir o Brasil”.

A matéria da Folha Universal aproveitou para acusar a Rede Globo de “interromper as transmissões ao vivo da cerimônia, possivelmente para não exibir o encontro da presidente com o bispo Macedo”. No final da reportagem, cujo título evocava um ditado estampado pelo ex-presidente Fernando Collor em uma camiseta (“Tempo, o senhor da razão”), o jornal da Igreja Universal editorializa o momento histórico para o Bispo Macedo: “No sábado (1), o bispo Macedo era um dos presentes num momento único do País: a posse da primeira mulher na presidência, uma conquista que também vem cheia de simbolismo e esperança. Ao lado da cúpula da Rede Record, o bispo ganhava status de chefe de Estado e mais uma vez demonstrava que o tempo será sempre o senhor da razão”.

Gratidão eterna

No meio da reportagem, tem um destaque especial para o Extalinácio.

O jornal ressalta que Lula foi uma das vozes mais indignadas contra a prisão do Bispo Macedo, em maio de 1992, com a seguinte declaração:

Acho um absurdo a prisão sob o argumento de que o bispo está enganando as pessoas com sua religião. As pessoas têm fé naquilo que querem ter fé”.

A reportagem da Folha Universal destaca que Macedo tirou uma grande lição daquela prisão: como transformar as adversidades.

Presenças destacadas

A Folha Universal destacou quem acompanhava o líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e proprietário da Rede Record na festa da Dilma:

O bispo estava acompanhado do presidente do Grupo Record, Alexandre Raposo, do vice-presidente de jornalismo da emissora, Douglas Tavolaro, e do presidente de relações corporativas da Record, Marcos Pereira”.

Todos os textos do jornal são rigorosamente revisados ou escritos pelo jornalista Douglas Tavolaro – que comanda o jornalismo da Rede Record e que foi autor do livro “O bispo – a história revelada de Edir Macedo” (Larouse, 2007).

Outro ensinamento útil

No domingo, dia 16 de janeiro, no culto matinal no Templo Maior da Universal de Santo Amaro (SP), Macedo usou o exemplo bíblico do Rei David para destacar sua volta por cima perante o Poder no Brasil:

Mesmo Davi vivendo na justiça, ele passou por uma situação crítica e, neste momento, se voltou para Deus e clamou por justiça. Nós vamos buscar a Deus para que Ele cure a sua alma; mas você não deve se humilhar diante dos problemas; deve, sim, levantar a cabeça e resolvê-los”.

No culto, Macedo ensinou que, apesar de o ser humano não ter méritos diante de Deus, quando faz uso da fé sobrenatural e se volta para Ele, adquire o direito de ser atendido.

Emprego garantido

Na Rede Record, entrou para a história uma reunião fechada, promovida pelo jornalista Paulo Henrique Amorim, no dia da eleição presidencial passada.

Exibindo para todos o crachá pendurado no pescoço de um dos membros da equipe de produção do programa “Domingo Espetacular”, Paulo Henrique suplicou:

Se vocês têm amor a este crachá, a este emprego, votem na Dilma Rousseff. Se José Serra ganhar, estamos todos no olho da rua”.

Sorte que Dilma venceu, e o proprietário da Rede Record teve até a chance de tirar uma casquinha na posse dela, como “chefe de Estado”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário